novembro 20, 2010

**** MARLENE DIETRICH POR MANUEL BANDEIRA


marlene dietrich

"Ainda será tempo de falar de MARLENE DIETRICH? Não a vi quando de sua passagem pelo Rio de Janeiro: televi-a apenas, o que não é a mesma coisa, sobretudo levando em conta como foi tecnicamente imperfeita a sua apresentação (viam-se mais as costas do locutor do que a figura da artista). Todavia, resistiu ela a tudo o que, desde “O Anjo Azul”, me impressionou como essencial no extraordinário encanto da mulher Marlene – aquele sorriso de olhar infinitamente apiedado e que parece dizer-nos, sem gosma de sentimentalismo, aliás: “Criança, a vida é tão absurda, tão triste!”. Mas a vinda de Marlene proporcionou-nos um espetáculo bem divertido, que foi a polêmica entre os cronistas Carlos Drummond de Andrade e Vinicius de Moraes. Defendendo cada um a sua estrela, Drummond, Greta Garbo, e Vinicius a Marlene, reviveram ambos galhardamente os dias românticos em que Castro Alves e Tobias Barreto se digladiavam no Recife por causa de duas artistas da mesma companhia no Teatro Santa Isabel.

Para Vinicius, Marlene é a mulher, talvez a mulher-idéia de Platão, ou o Eterno Feminino de Goethe; para Carlos Drummond de Andrade, a Garbo é um mito. Vinicius tomou nojo da sueca porque a viu, num coquetel de Madame Schiappparelli, recusar uma beberagem estranha onde boiava uma pétala de rosa e pedir vodca. Tive vontade de acudir em auxílio de Drummond, fornecendo-lhe certo trecho de carta de Vinicius, datada de 1949 em Hollywood, na qual o poeta me contava a sideração em que ficara ao cruzar na rua com o Mito. Mas procurei a carta e não a achei. Achei foi outra, em que ele me falava de Marlene: “Você sabe, ela está cada dia mais linda, mais elegante, mais tudo. É uma mulher incrível, sem o menor desgaste, e de uma naturalidade fantástica. Tira fotografias de publicidade com o netinho, sem dar a menor bola para a legião de apaixonados que tem aí – por esse mundo todo. Eu, depois que a vi com o neto ao colo, fiquei mais apaixonado do que nunca. Imagine você a gente a...”. Bem, não posso transcrever o resto, mas a avó Marlene tentava o poeta. “Isso nunca me aconteceu, pelo menos que eu soubesse”, concluía Vinicius.

Quanto a mim, o que me ficou de todos os filmes em que vi Marlene foi aquele sorriso a que me referi no começo destas linhas. Lembro-me fortemente é de seus partners: Emil Jannings no “Anjo Azul”, Gary Cooper em “Marrocos”, ao passo que da Garbo me recordo nitidamente, indeslembravelmente, em todos os filmes, sem ter a menor reminiscência dos homens – e eram todos astros – que trabalharam com ela".

(Fonte: Folha da Manhã, 09/08/1959)

Marlene Dietrich

27 comentários:

LUCIANA C. disse...

Seu blog é excelente! Já li algumas postagens...

As fotos são incríveis!

Aprecio os Filmes de Douglas Sirk e gostaria de saber qual o valor, tenho interesse em dois:

Imitação da Vida e Tudo que o ceu Permite.

Abraço.

Nika disse...

Adorei o post sobre Marlene Dietrich. Ela é linda! Adoro!

KLEY disse...

Antonio, seu blog está cada vez melhor!
Um abraço

Jamil J. Landim disse...

Drummond e Vinicius trocando farpas na mídia em louvor de divas do cinema. Que interessante! E o humor saboroso do texto de Bandeira.
Muito bom!

Toninho Luz disse...

Parabens pelo blog , cada vez mais bacana!!
Abraço!!

José Aloise Bahia disse...

Parabéns pelo Blog!

Antonio Nunes de Souza disse...

"Conheci o menino Antonio Júnior saindo da adolescência e buscando sua afirmação dentro das artes: pintura e literatura!
Naquela época, impulsionado pelo ímpeto peculiar da idade, se dedicava com unhas e dentes numa busca constante de uma diretriz, atravessando momentos de erros e acertos, mas, sem nunca desprezar seus intentos e a vontade de realizar seus sonhos, objetivados pela inteligência e o espírito de guerreiro. Sua maior arma era, e é, a de nunca se deixar levar pelo desânimo. Sempre foi daqueles lutadores que, mesmo quando caem na lona, antes do juiz terminar a contagem, levanta-se e está pronto para continuar a luta e vencer!"
Hoje, esse menino já com alguns cabelos brancos nas têmporas, me dá a satisfação de ver seu merecido sucesso nas vertentes mais importantes: Poesia, literatura, jornalismo e cinema!
Ele não se transformou em um homem eclético. Já nasceu assim! Pois, sua alma, mente e personalidade sempre foram recheadas de informações e idéias vanguardistas, só faltando a hora chegar. E chegou como uma explosão maravilhosa de flores que, pela beleza e cores, não é mais um bouquet, mas, um jardim que deve ser admirado por todos que apreciam o que existe de melhor!
Um abraço saudoso,
Antonio Nunes de Souza

GISELDA LEIRNER disse...

Belissimo teu blog !!!!!!!! Abraço Giselda

Zaldivar disse...

Seu Blog, é muito bom amigo, adoro cinema clássico, sempre que posso faço uma visita. Abraços!!!!!!!!

Regina Braz disse...

Sucesso sempre, querido amigo...É o que te desejo.
Amo-te
bjs

ZUZA HOMEM DE MELLO disse...

Caro Antonio,

Em retribuição ao texto do Bandeira segue via e-mail um trecho do que escreví sobre Marlene quando fez seu show no Teatro Record, na época em que eu ocupava o cargo de técnico de som de todos os shows internacionais lá realizados.

Esse trecho está num dos capítulos do livro “Música nas veias”, Editora 34, que pode ser encontrado nas boas livrarias.

Um grande abraço do

Zuza

Rita Santana disse...

Delícia de blog, Antônio! Quanta beleza e encantamento. Bandeira é um doce observador do mundo, fez até um livro para guiar os nossos passos na cidade de Ouro Preto "Manuel Bandeira: Guia de Ouro Preto", imagine! O blog tem bom gosto e refinamento! obrigada e perdão pela demora dos olhos. Beijos! Rita

annastesia disse...

Marlene é a diva suprema!

Cinema Clássico disse...

Olá, Antonio!
Gostaria de agradecer por ter me linkado no seu blog. É uma honra para mim, já que seu trabalho é tão bem feito, com textos tão bem elaborados, como este post sobre Dietrich. Continue com seu trabalho irretocável!
Um abraço, Dani.

Dilberto L. Rosa disse...

Nunca vi todo esse poder sedutor em nenhuma das duas, meu caro: acho estranho, até! Uma era realmente bela, mas aparentemente muito fria (Garbo); a outra, com seu jeitão aguerrido, impressionava mais pela personalidade e pela inteligência que necessariamente poralgum atributo físico (Dietritch). Era apaixonado mesmo pela Ingrid e pela Rita, esta especialmente em Gilda... Abração!

P.S.: adoráveis estes textos de nossos poetas favoritos sobre Cinema - tenho todas as críticas feitas por Vinícius e é sempre adorável ler sua paixão por Chaplin!

Película Criativa disse...

Adorei o post dedicado a super diva Marlene Dietrich. Ela foi uma grande atriz e rendeu ótimos filmes.

parabéns pelo seu blog :D
Muito bom!

Se quiser trocar figurinhas sobre cinema, passe no meu blog: http://peliculacriativa.blogspot.com/

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Concordo com você, Dilberto. São duas divas extraordinárias, com forte personalidade e grande presença em cena, mas nunca símbolos sexuais. A Rita é outra história. Pura sensualidade. Assim como a Sophia, a Ava...
Gostaria muito de ler as críticas cinematográficas de Vinicius.
Abração!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Já estive no seu blog, Película Criativa. Muito bom (inclusive tornei-me seguidor). Gosto muito da Dietrich, realmente ela tem uma carreira iluminada, mas nunca foi uma grande atriz, simplesmente era Marlene Dietrich em todos os seus filmes (surpreende apenas em A MARCA DA MALDADE), o que não é pouca coisa.
Tudo de bom,

helenahistory disse...

Primo
Parabéns pelo seu blog.
Vejo seu vasto conhecimento sobre filmes, principalmente da era aurea do cinema. Eu tb sou admiradora, porém vejo que tenho muito a aprender com vc.
Vou te visitar sempre
bjs
Ps tenho muito orgulho de vc.

Fiorna disse...

Incrível este blog. Parabéns.

Gostaria de saber se os filmes são originais, e se não são qual a qualidade das copias.

Abçs

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Fiona, muitos dos filmes são originais. Mas só revendo cópias. A qualidade é boa. Se algum deles tiver algum problema, eu avisarei.
Abraços,

Octavio Caruso disse...

Gosto muito da Marlene em "Testemunha de Acusação". Sua presença de cena era algo invejável.
Grande abraço, Antônio!

Nina Almeida disse...

Junior que maravilha de Blog, isso é uma linda apresentação de fotos e imagens para ativar a memória dos fãs. Parabéns por essa riqueza arquivada na sua pagina e admirada por todos...bjs.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Verdade, Octavio, Marlene estava iluminada em TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO. Não só ela, né? O Tyrone, o Charles Laughton e Elsa Lanchester também.

AnnaStesia disse...

Linda, não é mesmo? Dietrich é a Diva Suprema. Personalidade, inteligência, postura, elegância, charme e beleza (não convencional).

Alan Ferreira disse...

Tão bom quanto assistir a grandes filmes é ler sobre eles. A leitura de seus textos é uma experiência complementar bastante enriquecedora. Parabéns!

White Gold disse...

Espléndida, maravillosa... Marlene Dietrich es una de mis grandes favoritas. Divina, eterna...