novembro 20, 2010

************ OS FOTÓGRAFOS E O OSCAR


"como era verde o meu vale", fotografia de arthur c. miller

LEON SHAMROY (1901-1974). Nascido em Nova York, detém com Charles B. Lang Jr. o recorde de maior números de indicações ao Oscar de Melhor Fotografia. Ele conquistou dezoito indicações, com quatro vitórias: “O Cisne Negro” (1942), “Wilsom” (1944), “Amar Foi a Minha Ruína” (1945) e “Cleópatra” (1963).

JOSEPH RUTTENBERG (1889-1993). Nomeado ao Oscar dez vezes, ganhou quatro: “A Grande Valsa” (1938), “Rosa da Esperança” (1942), “Marcado pela Sarjeta” (1956) e “Gigi” (1958). Nascido na Rússia, aos dez anos emigrou para os Estados Unidos. Em 1917 já estava por trás das câmeras, iniciando uma carreira bem-sucedida vinculada a Metro-Goldwyn-Mayer.

ROBERT L. SURTEES (1906-1985). Nascido no Kentucky (EUA), levou o Oscar três vezes: “As Minas do Rei Salomão” (1950), “Assim Estava Escrito” (1950) e “Ben-Hur” (1959). Começou como assistente do genial Gregg Toland, tornando-se um dos profissionais mais cotados do cinema.

CONRAD L. HALL (1926-2003). Nasceu no Tahiti, Polinésia Francesa. Fotografou documentários, filmes de tevê e produções independentes, antes de receber três prêmios da Academia por “Butch Cassidy” (1969), “Beleza Americana” (1999) e “Estrada para Perdição” (2002). Foi nomeado mais sete vezes.

ARTHUR C. MILLER (1895-1970). Nascido em Nova York, iniciou sua carreira aos 13 anos. Em 1932, assinou longo contrato com a 20th Century-Fox. Nomeado sete vezes ao Oscar, ganhou em 1941 com “Como Era Verde o Meu Vale”, de John Ford; de novo em 1944 com “A Canção de Bernadette”, e uma terceira vez em 1947 com “Ana e o Rei do Sião”. Aposentou-se em 1951.

FREDERICK A. YOUNG (1902-1998). Um dos fotógrafos mais ilustres da Grã-Bretanha, conhecido por seu trabalho com o mestre David Lean: “Lawrence da Arábia” (1962), “Doutor Jivago” (1965) e “A Filha de Ryan” (1972). Todos esses lhe deram o Oscar. Fotografou mais de 130 filmes.

VITTORIO STORARO (1940). Nascido em Roma (Itália) e chamado “o mago da luz”, tem o pintor Caravaggio como inspiração para a fotografia de seus filmes. Para ele, fotografar é como “escrever com a luz”. Premiado três vezes com o Oscar – “Apocalipse Now” (1979), “Reds” (1981) e “O Último Imperador” (1987) -, também foi indicado por “Dick Tracy” (1990).


3 comentários:

Aleselma disse...

"Como Era Verde o Meu Vale”: filme lindo! O trabalho do Arthur Miller certamente só engrandeceu essa obra.
Parabéns pelo site, amigo!
Estou fazendo a divulgação!
Bjs

Kley disse...

Young e Storaro eram geniais. Gregg Toland foi um dos maiores fotógrafos do cinema. Em 1946, a união dos fotógrafos Charles Rosher, Leonard Smith e Arthur E. Arling deu origem a uma das maiores fotografias da Sétima Arte, do belíssimo Virtude Selvagem.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Kley, eu coleciono os filmes fotografados por GREGG TOLAND, ARTHUR C. MILLER e JAMES WONG HOWE. São os meus fotógrafos preferidos. Realmente VIRTUDE SELVAGEM tem uma fotografia inesquecível.