novembro 20, 2010

******* UM AMOR LOUCO: INGRID E ROSSELLINI


rossellini e ingrid

Em maio de 1948, o cineasta neo-realista ROBERTO ROSSELLINI recebeu uma carta assinada pela maior estrela hollywoodiana da época:

“Vi seus filmes ‘Roma Cidade Aberta’ e ‘Paisà’ e gostei muito. Se você precisar de uma atriz sueca que não fala muito bem inglês, que não esqueceu seu alemão, não é muito compreensível em francês e em italiano só sabe dizer ‘Ti amo’, estou pronta para fazermos um filme.”

A sueca em questão era INGRID BERGMAN aos 33 anos. O italiano Rossellini, casado com a diva Anna Magnani, aceitou a proposta sem vacilar. De 1949 a 1955, fizeram seis filmes (“Stromboli”, “Europa 51”, “Viagem a Itália”, “Nós, as Mulheres”, “Joana D’Arc de Rossellini” e “O Medo”), apaixonaram-se e abandonaram as respectivas famílias para viverem juntos. Esse amor louco fez com que Ingrid fosse acusada de adúltera e de mau exemplo para todas as mulheres do mundo. Durante anos foram perseguidos pela mídia e pela classe religiosa. Com Rossellini, Ingrid teve três filhos: Roberto e as gêmeas Isotta Ingrid e a atriz Isabella.

O casamento durou até 1957, quando se divorciaram depois que o diretor foi filmar um documentário na Índia e teve um caso tórrido com a roteirista Sonali Das Gupta. Pia, a filha de Ingrid, depôs a favor do pai no processo litigioso de divórcio, acusando a mãe de abandono. Entretanto, Hollywood já havia “perdoado” a estrela, e em 1956, voltou triunfalmente com “Anastasia, a Princesa Esquecida”, de Anatole Litvak, levando o seu segundo Oscar e outros prêmios importantes. Um dos filmes do casal, “Viagem a Itália” (1953), é considerado um dos marcos do cinema moderno. Jean-Luc Godard e François Truffaut afirmaram que ele foi a base sobre a qual se construiu a cadetral da Nouvelle Vague.

ingrid bergman

9 comentários:

Aleselma disse...

Queria ler um comentário seu sobre "Casablanca", um filme do topo da minha lista de preferidos!
Bj

Kley disse...

Paixão fogo de palha. Mas isso não foi o suficiente pra ofuscar a carreira de Ingrid Bergman. Rossellini depois de um tempo começou a fazer filmes "didáticos" para a TV, o que o afastou um pouco do público de arte.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Aleselma, em breve CASABLANCA estará por aqui...

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

A união Bergman-Rossellini valeu a pena, Kley. Os filmes que fizeram juntos são realmente inovadores.

Jamil J. Landim disse...

Ingrid é a minha rainha. Sua carreira é excepcional. Muitos cinéfilos têm um ou outro filme dela como o seu favorito. "Stromboli", o primeiro filme do casal, é para se ver várias vezes.

Octavio Caruso disse...

Uma linda história... Não existem mais atrizes tão comprometidas com a arte, como Bergman.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Poucas, mas existem, Octavio... E a Isabelle Huppert, a Meryl Streep e a Catherine Deneuve?

Octavio Caruso disse...

Concordo que generalizei demais..rs...mas ainda acho que, na intensidade do comprometimento (até pela época, que era outra), ainda acho a Ingrid imbatível!
Abração amigo!

Monica disse...

E a mulher mais linda que já vi na vida, depois dela outra bela é Grace Kelly que tinha um rosto perfeito. O encanto da beleza de Ingrid não está só nos traços delicados mas na suavidade e sensibilidade que seu rosto irradiava.