maio 15, 2021

***** A TRÁGICA HISTÓRIA de CAROLE LOMBARD





“Uma mulher tem tanto direito neste mundo quanto um homem e pode se dar bem nele se ela se dedicar a isso.”
CAROLE LOMBARD
 
Apelidos: O Anjo Profano, Tornado Hoosier, Rainha da Comédia Maluca
Altura: 1,68 m
Olhos: azuis
Cabelos: negros

 
Desinibida, vivaz e com um talento surpreendente, CAROLE LOMBARD (1908 – 1942. Indiana / EUA) se tornou uma das maiores estrelas da época de ouro de Hollywood. Inteligência e charme fizeram dela o centro social e artístico em torno do qual a meca do cinema girava nos anos 30. Com sua sofisticada independência, ela estava anos à frente de seu tempo. Era conhecida por seu estilo moleca, por promover festas extravagantes, pela linguagem sem papas na língua, piadas, amigos gays e preocupação genuína com todas as pessoas.
 
De uma beleza encantadora, a atriz mais bem paga de sua época atuou em 54 filmes e estampou a capa de 123 revistas, sendo a primeira em setembro de 1929, na “Cine-Mundial”. Recusou comédias importantes como “Aconteceu Naquela Noite / It Happened One Night” (1934), “O Galante Mr. Dees / Mr. Deeds Goes to Town” (1936) e “Jejum de Amor / His Girl Friday” (1940). Pela primeira, Claudette Colbert ganhou o Oscar de Melhor Atriz. Em 1999, o “American Film Institute” a incluiu na lista das 50 maiores lendas femininas do cinema norte-americano.

Bela loira de olhos cintilantes, desempenhou papéis dramáticos, mas era conhecida por suas hilárias comédias malucas. Nascida Jane Alice Peters, mudou-se de Fort Wayne para Hollywood com sua mãe e irmão ainda na infância. Depois de ser vista jogando beisebol na rua por um diretor de cinema, Allan Dwan, foi convidada para o filme “A Perfect Crime”. Tinha 13 anos. Aos 15 anos, juntou-se a uma trupe de teatro e atuou em várias peças. Em 1925, assinou contrato com a Fox Films.
 
Gravemente ferida em um acidente automobilístico em 1926, que resultou em cicatrizes no lado esquerdo de seu rosto, assim que se recuperou teve seu contrato cancelado na Fox. Sobreviveu fazendo curtas para o diretor de comédia pastelão Mack Sennett. A essa altura, a indústria cinematográfica passava do mudo para os filmes falados. Enquanto carreiras terminaram por causa de sotaques pesados, dicção pobre ou uma voz inadequada ao som, a voz leve, alegre e sexy de CAROLE LOMBARD permitiu que fizesse uma transição tranquila.
 
No contrato de sete anos com a Paramount, atuou em “Homem do Mundo / Man of the World” (1931), com William Powell. Terminaram se casando no mesmo ano e se divorciando 28 meses depois, mas permaneceram amigos. Segunda ela, “a carreira pouco teve a ver com o divórcio. Éramos apenas duas pessoas completamente incompatíveis”. Com “Suprema Conquista” mostrou sua competência, provando a boa atriz que era. Em 1936, recebeu sua única indicação ao Oscar de Melhor Atriz por “Irene, a Teimosa”. Está excelente como uma excêntrica herdeira. Injustamente, a estatueta foi para Luise Rainer em “O Grande Ziegfeld / The Great Ziegfeld” (1936).
carole e william powell

Enquanto sua carreira florescia, CAROLE LOMBARD trabalhou em vários estúdios. Ganhava cerca de US $ 500.000 por ano e não tinha vergonha de gastá-los, sendo reconhecida como a mulher mais bem vestida de Hollywood. Conheceu o amor de sua vida, o astro Clark Gable, em 1932, nas filmagens de “Casar por Azar / No Man of Her Own”. Ambos eram casados - Gable com uma viúva rica do Texas dez anos mais velha que ele - e não tiveram interesse um pelo outro. Quando se reencontraram, três anos depois, numa festa a fantasia, ela divorciada e ele separado, foi bem diferente.
 
No início de 1939, a esposa de Gable finalmente concedeu-lhe o divórcio, e ele imediatamente se casou com CAROLE LOMBARD. Compraram um rancho em Encino, no Vale de San Fernando, e quando não estavam trabalhando passavam a maior parte do tempo nele, longe da cena social. Amavam a vida ao ar livre e compartilhavam momentos caçando e cavalgando. Ela era ideal para ele, uma mulher que podia ser glamorosa e companheira, mas também parceira como um amigo.
 
Em janeiro de 1942, logo após a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, a estrela foi recrutada para vender títulos de guerra em seu estado natal, Indiana. Acompanhada na jornada por sua mãe, Elizabeth Peters, e Otto Winkler, um agente de publicidade da Metro-Goldwyn-Mayer que foi seu padrinho de casamento, fez a maior parte da viagem de trem, parando em diversas cidades e arrecadando cerca de US $ 2 milhões para o esforço de guerra.
gable e carole

De volta a Hollywood, ela optou por voar no último minuto. Segundo fofocas, estava preocupada com um suposto caso entre seu marido e Lana Turner. Logo após a decolagem, no dia 16 de janeiro de 1942, o avião se chocou contra o Monte Potosi. Todos os 23 passageiros morreram, incluindo 15 jovens pilotos do exército. No auge da carreira, a atriz tinha 33 anos.
 
Os destroços se espalharam por quilômetros. O local montanhoso do acidente era perigoso de alcançar e o impacto violento tornou os corpos das vítimas difíceis de identificar. Clark Gable alugou um avião e se dirigiu ao local. Esperando por um milagre, manteve uma vigília angustiada até que as equipes de resgate encontraram os restos mortais de sua esposa. Dizem que ele nunca se recuperou.
 
À deriva na mansão vazia, Gable bebeu muito e teve dificuldade para terminar “Ainda Serás Minha / Somewhere I'm Find You”, o drama que atuava com Lana Turner. Consolado por amigos, incluindo sua ex-amante Joan Crawford, alistou-se nas Forças Aéreas e passou a maior parte da guerra no Reino Unido, voando em várias missões de combate (uma delas para a Alemanha) e ganhando condecorações. Se casaria mais duas vezes, mas pouco antes de morrer, em 1960, embora estivesse com Kathleen Williams Spreckles, pediu para ser enterrado ao lado de Carole.
carole e gable

O ator tinha fama de conquistador, mas não teve muita sorte no amor. Casado cinco vezes, foi feliz somente com CAROLE LOMBARD. Ele realizou os desejos dela deixados em testamento: ser enterrada em jazigo modesto e vestida de branco. Clark Gable jamais a esqueceu, vivendo o resto da existência no rancho em que moraram. Em 1976, o filme “Os Ídolos Também Amam / Gable and Lombard” contou a vida do casal.
 
A estrela tinha um bassê chamado Comissário que ignorava Gable. Após a morte da dona, colou no viúvo. O último filme de CAROLE LOMBARD, “Ser ou Não Ser”, de Ernst Lubitsch, sátira anti-nazista sobre trupe de teatro polonesa, foi lançado em março de 1942, com sucesso crítico e enorme bilheteria.
 

10 GRANDES FILMES de CAROLE
(por ordem de preferência)
 
01
SER OU NÃO SER
(To Be or Not to Be, 1942)

Direção de: Ernst Lubitsch
Elenco: Jack Benny e Robert Stack
 
02
IRENE, a TEIMOSA
(My Man Godfrey, 1936)

Direção de: Gregory La Cava
Elenco: William Powell e Alice Brady
 
03
NADA é SAGRADO
(Nothing Sacred, 1937)

Direção de: William A. Wellman
Elenco: Fredric March, Charles Winninger, Walter Connolly e Margaret Hamilton
 
04
SUPREMA CONQUISTA
(Twentieth Century, 1934)

Direção de: Howard Hawks
Elenco: John Barrymore e Walter Connolly
 
05
CORAÇÕES UNIDOS
(Hands Across the Table, 1935)

Direção de: Mitchell Leisen
Elenco: Fred MacMurray e Ralph Bellamy
 
06
NOITES de VIGÍLIA
(Vigil in the Night, 1940)

Direção de: George Stevens
Elenco: Brian Aherne e Anne Shirley
 
07
ESPOSA SÓ no NOME
(In Name Only, 1939)

Direção de: John Cromwell
Elenco: Cary Grant, Kay Francis e Charles Coburn
 
08
NASCIDOS para CASAR
(Made for Each Other, 1939)

Direção de: John Cromwell
Elenco: James Stewart, Charles Coburn e Lucile Watson
 
09
CONFISSÕES de MULHER
(True Confession, 1937)

Direção de: Wesley Ruggles
Elenco: Fred MacMurray, John Barrymore e Uma Merkel
 
10
Um CASAL do BARULHO
(Mr. & Mrs. Smith, 1941)

Direção de: Alfred Hitchcock
Elenco: Robert Montgomery, Gene Raymond, Jack Carson e Lucile Watson
 

CAPAS


GALERIA de FOTOS



Nenhum comentário: