outubro 25, 2010

************ CENA DE "ALMAS PERVERSAS"


joan bennett como kitty march

O FURADOR DE GELO

Descobre-se que o primeiro marido de Adele ainda vive. Christopher (Edward G. Robinson), o segundoi marido, está livre para se casar com Kitty March (Joan Bennett), a prostituta que ele vem sustentando e pela qual desviou fundos da empresa. Ao correr para o quarto dela, convicto de que ela o escolherá, em detrimento de seu namorado vigarista Johnny (Dan Duryea), encontra-a na cama, de négligé.

Kitty: O que você veio fazer aqui?
Christopher: Pedir-lhe que case comigo.
Kitty: E a sua mulher?
Christopher: Não tenho mulher alguma. Acabou.
Kitty: Pelo amor de Deus, você não...
Christopher: O marido dela apareceu. Estou livre. (Ela esconde o rosto num travesseiro) Não me importa o que aconteceu. Posso casar com você agora. Quero que seja minha mulher. Vamos embora juntos. Para bem longe, assim você poderá esquecer esse outro homem. Por favor, não chore, Kitty.
Kitty (erguendo-se e encarando-o): Não estou chorando, seu imbecil. Estou rindo.
Christopher: Kitty!
(Chocado, ele dá um passo para trás e esbarra no balde de gelo. Pega o furador de gelo.)
Kitty: Tive vontade de rir na sua cara desde a primeira vez que o vi. Você é velho e feio e estou cheia de você. Cheia, cheia, cheia!
Christopher: Kitty, pelo amor de Deus!
Kitty (sentando-se em atitude de desafio, com as mãos nos quadris): Você vai matar Johnny? Queria ver você tentar. Ora, ele lhe quebraria todos os ossos do corpo. Ele é um homem. Você quer casar comigo? Você? Caia fora daqui! Fora! Vá para longe de mim.
(Enquanto ele avança ameaçadoramente na direção dela com o furador de gelo) Chris! Chris! Fique longe de mim! Chris! Chris!
(Ela tenta se esconder sob as cobertas. Ele a perfura repetidas vezes)

ALMAS PERVERSAS (Scarlet Street), de Fritz Lang, 1945, EUA, policial. P& B, 103 mins. Com Edward G. Robinson, Joan Bennett, Dan Duryea, Margaret Lindsay e Rosalind Ivan.

7 comentários:

Leandro Afonso Guimarães disse...

Embora a situação seja, no final, inversa, é inevitável lembrar de INSTINTO SELVAGEM (1991), de Paul Verhoeven. Tarado, cinéfilo e talentoso, bom rapaz.

Sei que o post é mais sobre Fritz Lang, mas não sei o que dizer de Joan Bennett. Quanta elegância!

O FALCÃO MALTÊS disse...

Verdade. Lembra Verhoeven... A JOAN BENNETT era extraordinária, amigo. Teve a fase loura e a morena. A de garota boazinha e a de mulher fatal. Seis décadas de carreira, dirigida por Renoir, Ophuls, Cukor, Lang e outros bacanas.

Priscilla Signorelli disse...

Amo Joan Bennett.Um dos primeiros filmes q vi com ela foi Little Women de 1933 (tbm com a incrível Katharine Hepburn) ela estava tão novinha...e o filme é uma graça, vale a pena.

O FALCÃO MALTÊS disse...

Vi LITTLE WOMEN, Priscilla. Realmente é um belo George Cukor.

O FALCÃO MALTÊS disse...

Vi LITTLE WOMEN, Priscilla. Realmente é um belo George Cukor.

annastesia disse...

"I´m sick of you!Sick!Sick!Sick!" Gosto muito de Almas perversas. Fritz Lang é um mestre inigualável!

O FALCÃO MALTÊS disse...

ALMAS PERVERSAS realmente é uma obra-prima. Um dos melhores filmes de Lang.