dezembro 04, 2015

********************* JOVENS DEMAIS PARA MORRER


Eles partiram cedo. Acidentes, doenças, violência ou drogas, muitos são os fatores que interromperam de forma prematura a vida de ídolos cinematográficos. Relembre alguns deles. Morreram antes dos trinta e seis anos de idade.

ADRIANA PRIETO
(1950 – 1974)
24 anos
Um Filme para lembrá-la:
“O Casamento” (1974)
 de Arnaldo Jabor 


Argentina que fez carreira no Brasil. Estreou no cinema em 1966. Com “Lucia McCartney, Uma Garota de Programa” ganhou o Prêmio Air France de cinema como Melhor Atriz de 1971. No mesmo ano naturalizou-se brasileira. Faleceu na véspera do natal de 1974, em um acidente automobilístico. Seu fusca foi atingido por um carro da polícia. Tinha acabado “O Casamento”, baseado na obra homônima de Nelson Rodrigues.

ALMA RUBENS
(1897 – 1931)
33 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Máscaras da Alma / The Mask of the Devil” (1928)
de Victor Sjostron


Atuou desde a infância, tornando-se estrela aos 19 anos de idade e participando de diversos filmes na Fox Film Corporation. Quando seu contrato expirou, começou a ter dificuldade em conseguir trabalho devido ao vício em cocaína. Internada diversas vezes em clínicas de desintoxicação, ficou inconsciente por três dias antes de morrer de pneumonia.

ANECY ROCHA
(1942 - 1977)
34 anos
Um Filme para lembrá-la:
 “A Grande Cidade” (1966)
de Cacá Diegues

Ótima atriz, irmã de Glauber Rocha e esposa de Walter Lima Jr., diretor de “A Lira do Delírio” (1978), um dos mais importantes filmes do moderno cinema brasileiro. Morreu logo depois do carnaval de 1977, ao cair no poço do elevador do prédio onde morava.

ANNE CRAWFORD
(1920 – 1956)
35 anos
Um Filme para lembrá-la:
“A Filha das Trevas / Daughter of Darkness” (1948)
de Lance Comfort

Atriz britânica, mais lembrada hoje por sua participação no clássico de aventura “Os Cavaleiros da Távola Redonda/ Knights of the Round Table” (1953). Morreu de leucemia.

BARBARA LAMARR
(1896 - 1926)
29 anos
Um Filme para lembrá-la:
“A Mariposa Branca / The White Moth” (1924)
de Maurice Tourneur

O seu fim foi um dos primeiros relacionados com a droga em Hollywood. Grande e extravagante estrela, ao ser despedida da Metro se entregou ainda mais à cocaína e ao álcool, morrendo de tuberculose. O comunicado oficial do estúdio culpou seu infortúnio a uma “dieta rigorosa”.

BELINDA LEE
(1935 – 1961)
25 anos
Um Filme para lembrá-la:
“A Noite do Massacre / La lunga notte del '43” (1960)
de Florestano Vancini 


Iniciou no teatro britânico, estreando no cinema em 1954. Fez relativo sucesso, numa curta carreira encerrada com sua morte num desastre de automóvel na Califórnia (EUA). Considerada uma das atrizes mais belas do cinema. O que mais marcou a sua intensa vida foi ter sido a causa de um grande escândalo, pelo romance tumultuoso com o príncipe italiano Felipe Orsini, casado e nobre da Santa Sé como assistente papal. A ligação amorosa acabou por penetrar nos austeros corredores do Vaticano e foi motivo de várias tragédias como a tentativa de suicídio de Belinda, por envenenamento, em janeiro de 1958 e, dois dias depois, o suicídio frustrado do príncipe Orsini, que foi encontrado em seu banheiro com os pulsos cortados. Pressionado, o Papa João XXIII retirou-lhe o cargo e a esposa de Orsini (a princesa Franca Buanocossa) o deixou. E, ironia do destino, tudo por nada, pois em seguida ela o trocou por outro.

BOBBY DRISCOLL
(1937 - 1968)
31 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“A Canção do Sul / Song of the South” (1946)
de Wilfred Jackson e Harve Foster

Ganhou um Oscar especial por sua atuação em “Ninguém Crê em Mim / The Window” (1949). Foi o primeiro ator mirim a ter contrato exclusivo com os estúdios Disney. Além do filme de suspense, ele é recordado por “A Ilha do Tesouro/ Treasure Island” (1950). Com a maturidade e a diminuição das ofertas de trabalho, envolveu-se com drogas, o que por fim arruinou sua saúde e o reduziu à pobreza. Anos de abuso enfraqueceram seu coração e ele morreu sozinho de um ataque cardíaco numa construção desocupada em Nova Iorque, tendo sido sepultado numa sepultura comunitária.

BRANDON DE WILDE
(1942 – 1972)
30 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Cruel Desengano / The Member of the Wedding” (1952)
de Fred Zinnemann

Imortalizado pelo dócil menino Joey Starrett no western “Os Brutos Também Amam Shane (1953), de George Stevens. Sua interpretação lhe valeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Atuou em outras produções de prestígio e em 1954 teve sua própria série na televisão, “Jamie”. Fez teatro. Em 1972, seguia com seu carro em direção ao hospital de Denver, onde sua esposa se recuperava de uma cirurgia, quando colidiu violentamente contra um caminhão parado. Gravemente ferido, faleceu poucas horas depois.

BRUCE LEE
(1940 – 1973)
32 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“O Dragão Chinês / Tang Shan da Xiong” (1971)
de Wei Lo

Considerado por muitos como o melhor lutador de artes marciais do século 20 e um ícone cultural. Seus filmes produzidos em Hong Kong elevaram as artes marciais a um novo patamar de popularidade. Em maio de 1973, o astro desmaiou no estúdio Golden Harvest, enquanto fazia o trabalho de dublagem para o filme “Operação Dragão / Enter the Dragon” (1973). Sofreu convulsões e dores de cabeça, sendo diagnosticado um edema cerebral. Dois meses depois, com dor de cabeça, tomou um analgésico e foi dormir. Nunca mais acordou. A morte, causada pelo edema cerebral, ainda hoje gera controvérsias.

CAROLE LANDIS
(1919 - 1948)
29 anos
Um Filme para lembrá-la:
“O Despertar do Mundo / One Million B.C.” (1940)
de Hal Roach e Hal Roach Jr.

Conhecida como “O Busto” - devido ao impressionante tamanho dos seios -, alta, magra e glamorosa, ela apareceu em filmes de sucesso no início dos anos 1940. Em 1948, com carreira em declínio e o casamento em colapso, iniciou romance com o ator inglês Rex Harrison, casado com a também atriz Lilli Palmer. Quando ele se recusou a abandonar a esposa, cometeu suicídio através de uma overdose de soníferos.

CAROLE LOMBARD
(1908 - 1942)
33 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Suprema Conquista / Twentieth Century” (1934)
de Howard Hawks

Uma das maiores e mais bem pagas estrelas de Hollywood, a então esposa de Clark Gable foi vítima de um acidente de avião, durante uma turnê para arrecadar fundos para o exército norte-americano na II Guerra Mundial, em 1942. A comédia ácida e clássica “Ser ou Não Ser / To Be or Not To Be”, de Ernst Lubitsch, foi o seu último filme.

FRANÇOISE DORLÉAC
(1942 - 1967)
25 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Um Só Pecado / La Peau Douce” (1964)
de François Truffaut

Irmã mais velha de Catherine Deneuve, morreu em um acidente de carro em Nice, na França. O carro capotou e explodiu, deixando seu corpo irreconhecível. Ela tinha uma promissora carreira, tendo no currículo filmes de François Truffaut, Jacques Demy e Roman Polanski.

HEATHER LEDGER
(1979 - 2008)
28 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“O Segredo de Brokeback Mountain / Brokeback Mountain” (2005)
de Ang Lee

Morreu por reação a uma mistura de calmantes e soníferos. Não chegou a ver a estreia de “Batman - O Cavaleiro das Trevas / The Dark Knight” (2008), onde interpreta o Coringa, papel que lhe rendeu um Oscar póstumo de Melhor Ator Coadjuvante.

INGER STEVENS
(1934 – 1970)
35 anos
Um Filme para lembrá-la:
“O Diabo, a Carne e o Mundo / The World, the Flesh and the Devil” (1959)
de Ranald MacDougall

Apareceu em comerciais, peças e TV, até que finalmente conseguiu sua grande chance no filme “Fogo no Coração / Man of Fire” (1957), ao lado de Bing Crosby. Muitos outros vieram em seguida, mas seu maior sucesso foi a série de TV “The Farmer's Daughter”. De 1961 até sua morte, ela esteve secretamente casada com Ike Jones, um diretor negro norte-americano. Também namorou Anthony Quinn, Bing Crosby, Dean Martin, Harry Belafonte e Mario Lanza e, pouco antes do seu suicídio, Burt Reynolds. Foi encontrada deitada no chão de sua cozinha, tendo tomado uma overdose de Tedral (combinação de teofilina, efedrina e barbitúricos) misturada ao álcool.

JAMES DEAN
(1931 - 1955)
24 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Vidas Amargas / East of Eden” (1955)
de Elia Kazan

Apaixonado por velocidade, o ator de “Juventude Transviada / Rebel Without  a Cause” (1955) morreu em um acidente automobilístico a caminho de uma corrida, provocando comoção em todo o mundo. Atuou em apenas três filmes, mas se tornou um ícone.

JAMES MURRAY
(1901 – 1936)
35 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“A Turba / The Crowd” (1928)
de King Vidor

Depois de vários anos de trabalho, principalmente como figurante, com pouca esperança de um papel protagonista, ele foi descoberto pelo diretor King Vidor, que o viu nos estúdios da Metro. Contratado para “A Turba”, seu desempenho foi elogiado por crítica e público. Apesar do sucesso em filmes posteriores, beber em excesso o levou a uma escassez de papéis, e em 1934 pedia esmolas na rua. Dois anos depois, embriagado, afogou-se no Rio Hudson. Não se sabe se foi um acidente ou suicídio.

JAYNE MANSFIELD
(1933 – 1967)
34 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Sabes o que Quero / The Girl Can't Help It” (1956)
de Frank Tashlin

Um dos símbolos sexuais das décadas de 1950 e 1960, chamou a atenção ao se tornar a playmate da edição de fevereiro de 1955 da Playboy. Vencedora do Globo de Ouro, estrelou vários filmes que enfatizam o seu lado sensual. Tornou-se a primeira atriz a aparecer nua em uma produção hollywoodiana (em “Promises... Promises!” de 1963). Sua carreira de sucessos de bilheteria foi subitamente interrompida quando sofreu um acidente de carro durante uma viagem com o namorado, Sam Brody, e três de seus quatro filhos. Jayne, Brody e o motorista faleceram na hora, mas as crianças, que estavam todas no banco traseiro, ficaram apenas com ferimentos leves.

JEAN HARLOW
(1911 - 1937)
26 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Mares da China / China Seas” (1935)
de Tay Garnett

Seu falecimento nunca foi bem esclarecido. A “Platinum Blonde” teria sofrido durante dias em casa, enquanto sua mãe se recusava a levá-la ao hospital. Quando finalmente recebeu socorro, era tarde demais: pereceu de insuficiência renal. Star maior da Metro, seus filmes eram verdadeiros campeões de bilheteria.

JOHN BELUSHI
(1949 – 1982)
33 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Os Irmãos Cara-de-Pau / The Blues Brothers” (1980)
de John Landis

Encontrado morto em um hotel na cidade de Los Angeles. A causa da morte foi overdose acidental por um speedball, uma injeção combinada de cocaína e heroína. Na noite de sua morte, foi visitado por vários amigos, incluindo celebridades como Robin Williams e Robert De Niro. Comediante, integrante da primeira formação do célebre programa de televisão “Saturday Night Live”na década de 1970, ficou conhecido por seu estilo ousado e humor atrevido. Era irmão do ator James Belushi e também brilhou no cinema.

KAY KENDALL
(1926-1959)
33 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Brotinho Indócil / The Reluctant Debutante” (1958)
de Vincente Minnelli

Começou sua carreira no cinema em 1946, num musical. O sucesso chegou com a comédia “Genevieve / Idem” (1953). Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Atriz - Musical ou Comédia por “Les Girls / Idem” (1957), de George Cukor. Ela começou um caso com o ator Rex Harrison durante as filmagens de “O Passado de meu Marido / The Constant Husband” (1955). Casado com Lilli Palmer, ele pediu o divórcio quando soube que a amante estava com leucemia, casando-se com ela em 1957. A atriz morreu logo depois de completar a comédia “Ainda uma Vez com Emoção / Once More, With Feeling!” (1960), atuando ao lado de Yul Brynner.

LAIRD CREGAR
(1916 – 1944)
28 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Concerto Macabro / Hangover Square” (1945)
de John Brahm

Sua figura gorda, grande e talentosa logo recebeu elogios. Contratado da 20th Century-Fox, vivia obcecado com o excesso de peso (mais de 130 kg) e os repetitivos papéis de vilão. Homossexual, embora não abertamente revelado, tinha uma persona ligeiramente enigmática, traduzida na tela como uma devassa, mesmo perversa, sensualidade. Em 1943, seu ex-namorado, o jovem ator David Bacon, foi esfaqueado até a morte, gerando rumores na imprensa e fazendo com que decidisse por uma namorada de fachada (o chefão Darryl Zanuck arranjou a atriz Dorothy McGuire) e dieta radical para uma nova imagem nas telas. Resultou em severos problemas abdominais. Após uma cirurgia, teve um ataque cardíaco e morreu.

LEILA DINIZ
(1945 – 1972)
27 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Todas as Mulheres do Mundo” (1966)
de Domingos de Oliveira

Um dos maiores mitos brasileiros, símbolo sexual, brilhou no teatro de revista. Depois de ser garota propaganda e atriz de sucesso na TV, foi uma das musas do Cinema Novo. Ela nos deixou quando o avião em que vinha da Índia, onde foi divulgar o filme “Mãos Vazias” (1971) em um festival de cinema, explodiu.

LYA DE PUTTI
(1897 – 1931)
34 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Varieté / Idem” (1925)
de E. A. Dupont

Filha de nobres húngaros, um barão e uma condessa, fez filmes de sucesso na Alemanha antes de ir para Hollywood, em 1926. Estrelou vários produções na meca do cinema, mas fracassou. Morreu de pneumonia, na sequência de uma operação para remover um osso de galinha de seu esôfago.

MARK FRECHETTE
(1947 – 1975)
27 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Zabriskie Point / Idem” (1970)
de Michelangelo Antonioni

Lançado por Michelangelo Antonioni no papel principal do controverso “Zabriskie Point”: um estudante universitário, injustamente perseguido pelo assassinato de um policial. Rodou mais dois filmes e em seguida foi preso por assalto a banco. Por acidente, morreu na sala de musculação da prisão, com a garganta esmagada por uma barra de peso de 150 kg.

MÄRTA TORÉN
(1926–1957)
30 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Intriga em Paris / Assignment: Paris” (1952)
de Robert Parrish

Desde menina seu sonho era ser atriz. Contratada pela Universal Studios, rapidamente fez 10 filmes, incluindo “Sirocco/ Idem” (1951), com Humphrey Bogart. No início de 1957, voltou à Suécia para sua estreia nos palcos em uma peça de JB Priestley. Morreu um mês depois de uma hemorragia cerebral.

MARTHA MANSFIELD
(1899–1923)
24 anos
Um Filme para lembrá-la:
“O Médico e o Monstro / Dr. Jekyll and Mr. Hyde” (1920)
de John S. Robertson

Dançarina e atriz desde muito jovem, iniciou a carreira na Broadway, em 1912, e em 1917 fez seu primeiro filme. Assinou contrato com Selznick Pictures e depois com a Fox Film Corporation. Em 29 de novembro de 1923, enquanto trabalhava no filme “The Warrens of Virginia”, a chama de um palito de fósforo pegou fogo no seu elaborado vestuário de muitos babados. O fogo foi apagado, mas ela sofreu queimaduras substanciais, morrendo em menos de vinte e quatro horas. Nunca foi determinado quem jogou o fósforo.

PATRICK DEWAERE
(1947-1982)
35 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Hotel das Américas / Hôtel des Amériques” (1981)
de André Téchiné

Cultuado pelos críticos e amado pelos franceses, suicidou-se em sua casa, disparando uma bala na cabeça. Era um dos atores europeus mais promissores dos anos 1970-80 e não se sabe a causa de sua decisão radical, possivelmente depressão barra pesada.

PHILLIPS HOLMES
(1907-1942)
35 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Nao Matarás / Broken Lullaby” (1932)
de Ernst Lubitsch

Louro de olhos azuis, contratado pela Paramount Pictures, estreou no cinema em 1928. Após uma série de fracassos, brilhou no clássico “Uma Tragédia Americana / An American Tragedy” (1931), de Josef von Sternberg, refilmado vinte anos depois como “Um Lugar ao Sol / A Place in the Sun” (1951). Trocou a Paramount pela Metro, mas sua carreira não evoluiu. Passou a fazer filmes baratos e teatro. Na Segunda Guerra Mundial se alistou na força aérea canadense real. O avião que o levava a caminho de seu novo destino (Ottawa) colidiu com outro, matando todos a bordo.

RENÉE ADORÉE
(1898 – 1933)
35 anos
 Um Filme para lembrá-la:
“Cossacos! / The Cossacks” (1928)
de George W. Hill e Clarence Brown

Filha de artistas de circo, participou de performances desde a idade de cinco anos. Quando a Primeira Guerra Mundial estourou, ela fugiu para Londres, e depois Nova Iorque, aproveitando a oportunidade para trabalhar no cinema. Estreia em 1920 num filme de Raoul Walsh. Apesar de seu pequeno tamanho, a beleza sensual e olhos penetrantes incendiaram as telas. Contratada da M-G-M, fez grande sucesso, inclusive superando a barreira do cinema mudo para o falado. Diagnosticada com tuberculose, foi forçado a deixar de trabalhar, internando-se num sanatório. Ao deixar o hospital, morreu.

RIVER PHOENIX
(1970 - 1993)
23 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Garotos de Programa / My Own Private Idaho” (1991)
de Gus Van Sant

Irmão mais velho de Joaquin Phoenix, tinha 23 anos quando morreu de overdose de heroína e cocaína (conhecido como Speedball). A cena trágica, presenciada por seus irmãos Joaquin e Rain e pela namorada Samantha Mathis, aconteceu em frente ao Viper Room, clube que tinha como sócio Johnny Depp. River iria fazer uma performance com o seu amigo Michael Flea Balzary, do Red Hot Chili Peppers, mas após consumir a droga se sentiu mal. Deixou o local, desmaiando na calçada e tendo convulsões até a morte.

ROBERT FRANCIS
(1930 – 1955)
25 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“A Paixão de uma Vida / The Long Gray Line” (1955)
de John Ford

Apareceu em apenas quatro filmes, todos com temas militares, antes de morrer tragicamente na queda de um pequeno avião que pilotava. Fez sua estreia no cinema no significativo “A Nave da Revolta / The Caine Mutiny” (1954), ao lado de Humphrey Bogart. Ele perdeu o controle do avião e foi obrigado a tentar pousar em um estacionamento urbano, mas antes disso a nave explodiu em chamas, matando o ator e dois outros passageiros. A investigação determinou que a tragédia aconteceu pela inexperiência do piloto.

ROBERT HARRON
(1893 – 1920)
27 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“True Heart Susie” (1919)
de D. W. Griffith

Estreou no cinema aos quatorze anos e logo se tornaria o ator favorito do mestre D. W. Griffith. Simpático, suave, fez muito sucesso e inúmeros filmes na mítica produtora Biograph. A sua trágica morte permanece um mistério. Classificado oficialmente como um acidente, fala-se em suicídio. Havia perdido o papel protagonista de “Horizonte Sombrio / Way Down East” (1920) para o novo pupilo de Griffith, Richard Barthelmess, e indignado se matou com um tiro no peito.

ROBERT WALKER
(1918 - 1951)
32 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“O Ponteiro da Saudade / The Clock” (1945)
de Vincente Minnelli

Depois que a esposa Jennifer Jones o abandonou por David O. Selznick, ele passou a beber desesperadamente, morrendo de problemas respiratórios, oito meses após o fim das filmagens de “Pacto Sinistro / Strangers on a Train” (1951), de Alfred Hitchcock, o seu maior papel no cinema.

RODOLFO VALENTINO
(1895 - 1926)
31 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“O Águia / The Eagle” (1925)
de Clarence Brown

Uma das estrelas mais populares do cinema mudo e primeiro símbolo sexual masculino do cinema, protótipo do “amante latino” fabricado por Hollywood, faleceu em consequência de uma úlcera. O seu enterro parou os Estados Unidos e diz a lenda que várias mulheres se suicidaram em protesto por sua morte prematura.

SHARON TATE
(1943 - 1969)
26 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Eram 13... mas Faltava Uma / 13+1” (1969)
de Nicolas Gessner

Poucos crimes em Hollywood chocaram tanto quanto o dela. Casada com o cineasta Roman Polanski, grávida de oito meses, foi brutalmente assassinada por integrantes da seita satânica de Charles Manson.

SUSAN PETERS
(1921 – 1952)
31 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Éramos Três Mulheres / Keep Your Powder Dry” (1945)
de Edward Buzzell

Contratada da Metro, recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por “Na Noite do Passado / Random Harvest” (1942). Fez outros filmes, antes do acidente em um campo de caça em San Diego, em 1945, quando uma espingarda supostamente descarregada disparou contra sua coluna. Permanentemente paralisada da cintura para baixo, o estúdio pagou seu tratamento, mas cancelou o contrato. Passou a trabalhar nos palcos, rádio e TV, sofrendo dores. Mergulhada na depressão e atormentada por problemas renais e pneumonia, ela perdeu a vontade de viver, morrendo de anorexia nervosa.

SUZAN BALL
(1934 – 1955)
21 anos
Um Filme para lembrá-la:
“Cidade Submersa / City Beneath the Sea” (1953)
de Budd Boetticher

Dedicada à carreira, tinha tudo para se tornar uma estrela. Tornou-se amante de Anthony Quinn, então casado, e foi filmar com ele “Ao Sul de Sumatra / East of Sumatra” (1953). Numa cena de dança, uma lesão no pé foi o estopim para uma série de infortúnios. Tumores se desenvolveram e ela precisou amputar a perna. Só que as dores não pararam. O câncer tinha alcançado seus pulmões e ela logo morreria.

WALLACE REID
(1891 – 1923)
31 anos
Um Filme para lembrá-lo:
“Carmen / Idem” (1915)
de Cecil B. DeMille

Um dos grandes astros do cinema mudo, estreando em 1910. Bonito e cheio de impressionantes habilidades atléticas, logo conquistou o público, filmando com Cecil B. DeMille e D. W. Griffith. Durante as filmagens de “The Valley of the Giants”, no Oregon, em 1919, foi gravemente ferido em um acidente de trem. Deram-lhe morfina para ajudá-lo a lidar com a dor. Depois de ser liberado do hospital, a dor continuou, e o estúdio incentivou o consumo de morfina para que ele pudesse trabalhar. Viciado e deprimido, mergulhou no álcool. A combinação fatal de álcool e morfina o levou a morte.

74 comentários:

Kley disse...

Astros e estrelas que brilharam em tão pouco tempo, mas ficaram para a posteridade com seus belos filmes. Lembro-me que fiquei impressionado quando vi John Garfield pela primeira vez nas telas em A Luz é para Todos; não se parecia com um astro, tinha um jeito comum, mas conseguia transmitir uma grande força na interpretação. A cena em que ele vê a belíssima Lana Turner pela primeira vez em O Destino Bate à sua Porta, é antológica. Heath Ledger em Batman - Cavaleiro das Trevas, simplesmente domina todo o filme, em uma das interpretações mais impresionantes dos últimos tempos. Outro que morreu da mesma forma de River Phoenix foi Brad Renfro, com apenas 25 anos de idade, tendo atuado de forma brilhante em filmes como O Cliente e O Aprendiz.

Carla Marinho disse...

Antonio, post maravilhoso este. Gosto dessas curiosidades e sei o trabalho de pesquisa grande que é para fazer isso. Grandes pessoas. no caso de alguns, como James Dean, fica dificil de saber se vingaria mesmo ou era só fogo de palha. Amo-o e sei que boa parte de sua magia vem do fato de ter morrido muito jovem. ele criou toda uma geração que se inspirava em sua figura.

Raildon Lucena disse...

Antônio, o Falcão Maltês está sempre nos surpreendendo. Posts interessantes e curiosos. Parabéns pela qualidade do blog.

Abraços!

M. disse...

Ah muitos deles deixam imensas saudades. Partiram muito cedo por motivos diversos... Ah, já escrevi sobre a morte de Sharon Tate. Me debrucei em muitos textos, alguns deles tinha vários detalhes e para o que eu escrevia, não ficar com aquele ar que parece pesado, optei por enxugar um pouco as informações. Olha o link aqui:

http://msudamericacanway.blogspot.com/2009/08/40-anos-sem-sharon-tate.html

Eu chorei bastante quando Heath Ledger faleceu. Parece um triste sonho até hoje. Ele ganhou Oscar Póstumo por Batman O cavalheiro das trevas e estava rodando The Imaginarium...

Você caprichou no post! E acho que não esqueceu de ninguém.

André disse...

O Blog está ótimo.

Não sabia do ocorrido com o Robert Mitchum na prisão, ótima matéria. Parabéns!

Malu Barros disse...

Sempre visito o seu blog e é um deleite. Vc é um phd no assunto e eu uma pobre mortal. Que bom q vc existe. Abraços.

Luiz Carlos Freitas disse...

O blog está lindão e adorei o artigo sobre a Sandra Milo.

Você já escreveu algo sobre a Joan Bennett, musa do Fritz Lang?

Abraços.

Marcelo Bonavides disse...

Carole Lombard
Barbara Lamarr
Carole Landis
Jean Harlow
Maria Montez
Rodolpho Valentino
Estrelas que eu tanto gosto e que se foram tão cedo.
Bela homenagem!

Morvan disse...

Kurt Kobain disse "morra jovem e permaneça belo" e partiu de overdose aos 27, mesma idade estigma em que perdemos Janis Joplin, Jimi Hendrix, Jim Morrison, Brian Jones e vários outros.
Parafraseando CAZUZA, que sucumbiu de AIDS aos 32, diria que "Meus heróis morreram de overdose" e de acidente de carro(que pode ser facilmente um suissídio teatralizado e derradeiro) e câncer. Seria cômico se não fosse trágico.
Abraços

Adecio Moreira Jr. disse...

Quase não consigo chegar ao fim do post. Fiquei hipnotizado com o olhar de Carole Lombard!!!

pinguim disse...

Como diria Camões: "aqueles que da lei da morte se foram libertando"...

Enaldo disse...

Bom saber que poderemos assistir um Tintin digno das obras de Hergé. O que fizeram com Astérix é imperdoável.

pudimdecinema disse...

Confio no Spilba, e já faz um tempinho que ele n assume a direção. Esperando esse com ansiedade, e gosto de Tin Tin....


Abrç!

Subtendida disse...

O cinema sentiu essas grandes perdas!!

Abs!!

disse...

Que post elaborado e caprichadíssimo! Triste, mas me encanta como a obra dessas estrelas ainda permanece com força. Fico só com a curiosidade sobre o que aconteceria se tivessem vivido mais...
Abraços, Lê.

debora disse...

Fiquei abalada com a morte inesperada de Heather Ledger. Sofri em silêncio. Eu havia assistido "Candy" e "O Segredo de Brokeback Mountain" duas ou três vezes e sentia a sua sensibilidade cinematográfica muito especial. Foi triste, muito triste.
Mas ele continua conosco, né? E que imagem linda do Lindo, Antonio... Uma postagem cult. Navegar nesta página me encanta cada vez mais.
Obrigada.

debora disse...

Mas, e Tintin? O inspirado Hergé criou o herói valente, generoso, resignado, sem receios, jornalista e viajante incansável. Agora é a hora e a vez de Spielberg associar-se ao mito belga. Vai sair coisa boa, pode ter certeza.

bette disse...

No cinema como na literatura sempre haverá o instante dos romanticos fatais. Aqueles que morrem antes (?) do tempo!

Darci Fonseca disse...

Antonio, O John Garfield foi uma vítima do Macarthismo. Vem aí um filme do Clint sobre J. Edgar Hoover. Vamos ver se fala algo desse ator. Gerard Philip era o ator favorito de Umberto Losso, que não perdia um filme dele.
Um abraço - Darci

Kley disse...

Antonio, seu blog mais uma vez surpreende. Simplesmente fantástico.
Vou atualizar minha lista de filmes aqui e te envio em breve.
Um grande abraço!

Cristina Queiróz disse...

Ficou muito bonito o site. Bem como cara de filme clássico...
Você tem baixado filme no Making Off? Eles estão com muita coisa boa...

Abçs...

Ruby disse...

Sem dúvidas, a mais triste é a de Carole Lombard, por tudo o que já li e sei sobre ela e sua morte prematura e a mais chocante é a de sharon Tate. Excelente tema, Antônio.

Rubi disse...

Grandes astros ... uma pena que tenham nos mostrado tão pouco, mas o suficiente, para que fossem eternos!

Excelente post.

renatocinema disse...

Adorei, sinceramente, sua homenagem a essas estrelas que se foram.

Tintin.......ansiedade.

Sobre Jackie Brown concordo. Injustiçado mesmo.

Assim como O Quarto do Pânico.

renatocinema disse...

O novo eterno coringa conseguiu o impossível......superar Jack Nicholson em um personagem.

Lara Paiva disse...

Jovens, bonitos e talentosos. Mas pertubados por dentro. É uma pena, obrigada por passar no meu blog, volte sempre.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Kley, também fiquei impressionado com John Garfield na primeira vez que o vi (como vc, em A LUZ É PARA TODOS). Totalmente diferente do mocinho tradicional. Simplório, nada belo, sem maneirismos de star. Um grande ator. Não sei como está tão esquecido.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Pois é, Carla, morrer jovem tem essa vantagem: não há perigo da decepção, da decadência. Mas acho que o Dean se sairia bem, ele tinha uma ligação bonita com o teatro. A Marilyn é que não sei o que seria dela... Estaria fazendo séries hoje? Não sei porque, mas quando vejo imagens da Anita Ekberg gorda e esquecida lembro da minha musa.

O Falcão Maltês

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Vou dar uma lida no post sobre Sharon Tate, M. Também fiquei comovido com a morte de Heather Ledger. Eu o conheci no Festival de Veneza.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Ainda não, Luiz, mas está na lista. A Joan Bennett é uma das atrizes que mais admiro.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tem toda razão, Enaldo. Sou louco pelos quadrinhos de Astérix, mas a versão cinematográfica das suas aventuras beira a estupidez. O pior é que é um êxito de bilheteria.

O Falcão Maltês

Maxx disse...

Imagina se essa turma tivesse uma vida longa, quanta coisa boa teriam feito. Excelente post. Valeu pela visita e grande abraço.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Darci, quem é o Umberto Losso? Vi poucos filmes do Gérard Philiphe. Uns cinco, creio, mas em todos ele está fabuloso. FANFAN LA TULIPE é uma maravilha!

O Falcão Maltês

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também acho O QUARTO DO PÂNICO muito bom, Renato, e realmente é impressionante como o Coringa de Leger supera o de Nicholson, algo praticamente impossível!

O Falcão Maltês

Gustavo disse...

As fotos do cadáver de Tate são facilmente encontráveis e horríveis. Arrependo-me de ter procurado essas coisas antes de ver seus filmes, que é o que importa.

Ledger, Dean, Walker... Cedo demais.

Maria Haydée Nogueira disse...

Muito interessante o seu blog!
Além da originalidade dos conteúdos, excelente trabalho de pesquisa, apresenta um visual muito bonito.
Parabéns.

Jamil disse...

Sharon Tate foi alvo de um louco, um satanista. Foi pelo desejo de cumprir com suas obrigações que esse maluco, Manson, e seu bando, que se auto-intitulava A Família, invadiram a mansão da Cielo Drive, em Hollywood, e promoveram este massacre em forma de ritual que terminou liquidando a vida e a carreira de uma das principais estrelas em ascensão na década de 1960.
A atriz foi baleada e esfaqueada, assim como os demais que estavam na casa. Seu corpo foi perfurado 16 vezes e, em seguida, foi enforcada. Os assassinos confessaram, inclusive, que estiveram prestes a arrancar o bebê da barriga da atriz, por diversão. Com seu sangue e o dos demais, Manson e sua turma escreveram mensagens nas paredes. Em uma delas, a inscrição “Piggies” (Porcos, em inglês) indicava a denominação utilizada por Manson ao se referir aos negros, principal alvo de sua seita.

Pena disse...

Estimado e Sublime Amigo:
Mais uma demonstração da sua cultura ímpar de conhecimentos ligados à tela dos sonhos na magia dos seus interlocutores que morreram cedo.
Parabéns. A pesquisa foi intensa e fabulosa.
Bem-Haja, pela sua amizade que é recíproca.
MUITO OBRIGADO pela simpatia no meu blogue.
Abraço de respeito e de parabéns sinceros.
Sempre a admirá-lo, mas SEMPRE!

pena

É genial e talentoso.
Perfeito no que concebe.
Adorei.

Faroeste disse...

Não se pode nascer, crescer e triunfar na vida, como estes artistas, e nos deixarem tão cedo.
Na verdade, afora os acidentes inevitáveis, como o de Lombard, e o da irmã de Deneuve, dentre outros, assim como por doenças fatais, os que se jogaram na sarjeta por problemas pesssoais nada mais fizeram que se assassinarem, atitude imperdoável, já que os problemas vêm e temos de despacha-los, ao invés de mergulharmos neles e destruir assim a propria vida.
jurandir_lima@bol.com.br

I'm... Dii Rainbow disse...

Parece que vai ser bom!!
Bom fim de semana, querido.

http://babadogeralpop.blogspot.com/

http://projetomorbidos.blogspot.com/

Audrey Hepburn Fan Club disse...

Olá Amigo , parabéns pelo blog de grande sucesso ! Muito Obrigado por linkar o meu Site sobre Vivien Leigh ! Adoraria também que você linká-se o meu site sobre AUDREY HEPBURN :
Link do Site :
http://audreyhepburn-official.blogspot.com/

Muito Obrigado!

Danielle Crepaldi Carvalho disse...

Caramba, Antonio, que lista triste. Quanto não perdemos com a morte deles.
Arrepiante a história da Sharon Tate, hein. Não a conhecia.

Bjs
Dani

Andressa Vieira disse...

Também ainda nao acredito que a Brittany Murphy morreu... Embora ela nao tenha muitos papeis de respeito... mas simpatizava com ela. Foi na mesma época do Heath Ledger. Abraços, Nahud.

As Tertulías disse...

Muito interessante... vim descobrir várias coisas que nao sabia... barbara lamarr, robert walker... nao me diga, oas 33 anos? Ave...

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Blog linkado,Audrey. Abraços.

linezinha disse...

Morte cruel a da Sharon Tate

Júlia Xavier disse...

Meu lindo, o que aconteceu com o nosso orkut maravilhoso do Falcão??
Tanta beleza nas imagens, fotografias, cartazes dos filmes... eu não postava as minhas admirações em palavras, mas a minha presença ali era uma constante. Fiquei triste, por você ter acabado com este meio tão maravilhoso de divulgar seu site, sua arte, o que você sabe muito bem fazer.. com maestria!
Beijos, Antonio querido!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Julinha, não sei o que houve... Ele simplesmente desapareceu... Algum hacker, talvez... Já escrevi para o Google e nada...

bette disse...

Bom dia, realmente estranhei teu orkut sumido, mas vim no email e estou de volta lendo teu blog!
Beijos!

GIANCARLO TOZZI disse...

Imagine se sua lista chegasse aos 50 anos? Tantos que se foram, e também ainda jovens. Natalie Wood, Montgomery Clift, Judy Garland, Linda Darnell...

Gilberto Carlos disse...

Parabéns pela postagem JOvem demais para morrer. Também fiz uma parecida há um tempo atrás, quando falei sobre o livro TO YOUNG TO DIE, Jovens demais para morrer... Abraços!

Luiz Santiago disse...

Caramba! Eu relembro dos filmes desses atores e atrizes... não há como não se emocionar.

Nelson L. Rodrigues disse...

É, contamos para que não estraguem o personagem.

Felipe Brida disse...

Sempre entro no teu site e leio seus bons especiais de cinema; parabéns

UM ABRAÇO FRATERNO

FELIPE BRIDA

pensativoeopinante disse...

Infelizmente é a nossa única certeza. E é muito triste ver grandes talentos perderem suas vidas com tão pouco tempo. Tadinha da Sharon Tate, uma mulher muito linda, casaria com ela se ela não fosse casada com o grande Polanski. James Dean, um grandíssimo ator, muito conhecido e foi embora MUITO cedo. É complicado lidar com essas situações e temos que mostrar o trabalho desses/as grandes atores/atrizes. Parabéns!

André Setaro disse...

Dez filmes neorrealistas?
1. Ladrões de bicicleta, de De Sica
2. O ferroviário, de Pietro Germi
3. Paisà, de Rossellini
4. Vítimas da tormenta, de De Sica
5. Umberto D, de De Sica
6. Stromboli, de Rossellini
7. O posto, de Ermano Olmi
8. La terra trema, de Visconti
9. Arroz amargo, de Giseppe DeSantis
10,Alemanha, ano zero, de Rossellini

Revi 'Roma città aperta' e o achei envelhecido e sem o impacto de outrora.

Selmo Vasconcellos disse...

Sou seu ferrenho admirador de todas as suas artes. Parabéns ! Abraços amazônicos.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Não conheço O POSTO, de Ermano Olmi, André. Também acho que ROMA CIDADE ABERTA envelheceu, mas em compensação os filmes que Rossellini fez com a Ingrid Bergman continuam cheios de garra e criatividade.

Marcelo C,M disse...

Quando foi anunciada a morte de Ledger custei acreditar. Antes mesmo da estréia do Cavaleiro Das Trevas ele já estava sendo muito elogiado pelos trailers que estava passando. E olha que muitas pessoas estavam descrentes na época, porque ninguém imaginava ele como Coringa. Talvez pelo fato de acharem que a interpretação máxima dele já havia sido apresentada em O Segredo de Brokeback Mountain. Mas foi só ele surgir com a sua voz completamente diferente, com uns trejeitos estranhos e momentos imprevisíveis que qualquer duvida veio por terra. Difícil dizer qual foi a melhor cena com ele, pois foram várias, mas acho que a cena do interrogatório que ele domina o herói e o deixa enfrangalhos psicologicamente está entre as melhores dele.
Não posso deixar de mencionar as idéias que ele tinha na hora das filmagens e que davam certo, como na cena em que Gordon (Gary Oldman) é anunciado como novo comissário. Todos começam a dar palmas e Ledger, com a maior cara de pau, também começa a dar palmas. Imediatamente Nolan pediu para que focassem nele e a cena foi para o filme. Gênio.

Ligéia disse...

Tudo muito trágico. A história da Sharon Tate é horripilante. Adoro a Marilyn Monroe. Fiquei muito triste com a morte de Heather Ledger. O filme "Dez coisas que odeio em você", que é baseado na peça de Shakespeare "A Megera Domada", me fez ficar ainda mais fã dele; Sem contar a atuação dele em O Segredo de Brokeback Montain; E, na minha opinião, ele fez um Coringa que não deixou nada a desejar em relação ao do estupendo Jack Nicholson, um dos meus ídolos do cinema.

Bruno Cunha disse...

Não sei porquê mas este filme não me parece certo. A ver vamos...

Abraço
Frank and Hall's Stuff

Elton Telles disse...

Adorei o 'remember', Antonio. Excelente lista de atores que nos deixaram precocemente. Além dos óbvios, gostei particularmente da inclusão de Robert Walker, um ator que poucos prestaram atenção, mas não apenas em "Strangers on a Train" ele arrasa, sua curta filmografia de filmes não muito alardeados carregam performances impressionantes desse ator. E a menção a Françoise Dorléac também foi muito especial.

Abraço!

Marta Scarpa disse...

Faltou a Natasha Richardson, filha da Vanessa Redgrave e esposa do Liam Neeson. Ela morreu jovem e de forma trágica. O John Cazale também, fabuloso coadjuvante de "O Franco Atirador" e "Um Dia de Cão"

Jamil disse...

Antonio, lembrei de duas estrelas que morreram antes dos 40 e não estão nesta lista: Diana Barrymore (que morreu aos 39 anos) e a inglesa Belinda Lee, que morreu num acidente de carro aos 29 anos.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Concordo com você, Ligéia, o Coringa de Heather Ledger é tão magistral quanto o de Jack Nicholson, se não for melhor, afinal o de Jack tem muito dele mesmo.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Marta, a atriz Natasha Richardson tinha 45 anos ao morrer devido a uma lesão na cabeça, sofrida durante um grave acidente de esqui no Canadá. Limitei esta lista aos 40.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tem toda razão, Jamil. Falha técnica. Diana e Belinda merecem ser lembradas.

Luzineide Araújo disse...

Boa noite, Nahud,

Entrei no seu blog para ver quem você relacionou em "jovem demais para morrer" e não vi o relato da morte do ator Sal Mineo. Está em edições anteriores?
Sds.

Luzineide

mundo azul disse...

__________________________________

É uma grande pena que talentos como esses, nos tenham deixado tão cedo... E a maioria em mortes tão violentas e tristes...


Obrigada, vir aqui é aprender!


Beijos de luz e o meu carinho...

______________________________

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Luzineide, reservei Sal Mineo para uma segunda parte da postagem.
Tudo de bom,

Faroeste disse...

Assisti apenas a um filme com Gerard Philiph, que foi As Aventuras de Till. Nunca mais vi passar nada com ele e soube então que perecera, jovem como era.
Lamentável, mas é a vida!
jurandir_lima@bol.com.br

Moyses Ferreira disse...

artista bom é artista morto!

Leandro Souza disse...

Ótimo post. Sensacional!

claudia brando freitas disse...

Embora fosse bom ator li certa vez que Dean vive se atrasando para as filmagens( enquanto rock Hudson e liz Taylor eram pontuais Dean ia assistir corridas de carro ao invés de chegar no momento combinado no batente)durante as filmagens de vidas amargas ele ficava falando palavrões para provocar e desconcentrar Raymond Massey! não vejo tais atitudes como de alguem com um grande futuro pela frente! já Marylin penso nela virando produtora ou como uma coadjuvante de luxo mas nunca gorda ou feia ! mesmo com todos os excessos a quase quarentona norma Jean ainda era bela e imagino.que terminaria se reconciliando com o ex dimaggio