maio 01, 2016

***************** O MESTRE DO SUSPENSE


O britânico Sir ALFRED HITCHCOCK (1899 - 1980) dirigiu seu primeiro filme em 1925, um drama criminal intitulado “O Jardim dos Prazeres / The Pleasure Garden”, nos estúdios UFA, na Alemanha. Consagrado como narrador de histórias de suspense, era fascinado por temas como troca de identidade, transferência de culpa, repressão sexual, obsessão e voyeurismo. Sua carreira se prolongou por cerca de 50 anos e fruto dela são clássicos como “Os 39 Degraus / Thirty Nine Steps” (1935) e “A Dama Oculta / The Lady Vanishes” (1938), rodados na Inglaterra, e “Janela Indiscreta” (1954) e “Psicose / Psycho” (1960), realizados em Hollywood.

Ele é, possivelmente, o mais conhecido dos cineastas, cujo nome, por si só, resume um gênero cinematográfico. Possuidor de um estilo próprio, combinando criatividade e apurado domínio da narrativa, conduzia suas histórias com zelo, sem dar sinais de falta de imaginação. Casou-se com Alma Reville em 1926, permanecendo juntos o resto de sua vida. Alcançou fama internacional ainda na Inglaterra, com thrillers do porte de “O Homem Que Sabia Demais / The Man Who Knew Too Much” (1934). Em 1939 aceitou a proposta do produtor David O. Selznick (“...E o Vento Levou / Gone with the Wind”) para rodar cinco filmes em Hollywood por 800 mil dólares. O primeiro seria “Titanic, descartado e trocado por “Rebecca, a Mulher Inesquecível” (1940), resultando num estrondoso sucesso e levando o Oscar de Melhor Filme.

hitchcock e a esposa alma reville
Trabalhou com Selznick até 1947, entre empréstimos para alguns estúdios e muitos conflitos. Nestes primeiros anos hollywoodianos realizou o seu filme predileto, “A Sombra de Uma Dúvida / Shadow of a Doubt” (1943), com Joseph Cotten e Teresa Wright no elenco. Narra a história de um assassino sedutor que visita seus parentes numa pacata cidade, despertando a suspeita de uma sobrinha esperta. Como produtor independente nos anos 1950, ALFRED HITCHCOCK lançou uma sucessão de obras-primas, sintetizando talvez suas mais bem-sucedidas experiências cinematográficas.

Na época, sua popularidade atingiu o máximo, favorecida pelos elogios da crítica francesa (especialmente os redatores da revista “Cahiers du Cinema”) e as constantes aparições nas tevês de todo o mundo. Em 1955, iniciou com êxito a série televisiva de episódios de meia-hora “Alfred Hitchcock Apresenta”, enriquecendo com ela. No seu maior sucesso no cinema, “Psicose”, a cena do assassinato no chuveiro ainda hoje é imitada. Os últimos anos de sua carreira assinalam raros filmes e vários projetos não concluídos. HITCHCOCK nunca ganhou o Oscar, mesmo concorrendo cinco vezes: “Rebecca, A Mulher Inesquecível” (1940), “Um Barco e Nove Destinos / Lifeboat” (1944), “Quando Fala o Coração / Spellbound” (1945), “Janela Indiscreta” (1954) e “Psicose” (1960). Em 1968 levou o Oscar especial pela trajetória nas telas.

Ao morrer, em 1980, estava prestes a iniciar “The Short Night”, inicialmente previsto para Catherine Deneuve e Walter Matthau, e por fim acordado com Liv Ullmann e Sean Connery. Celebrado como um dos maiores artesãos do cinema, incensado pela crítica e reconhecido como influência por vários diretores, ele marcou profundamente a cultura cinematográfica. Seus filmes não apenas sobrevivem intactos ao tempo, mas mantêm o interesse de espectadores das mais diversas idades e formações. A oportunidade de conhecer ou rever suas obras não deve ser perdida por cinéfilo de verdade. Fã confesso, este blogueiro homenageia o espetacular mestre que realizava filmes com um cuidado único, uma paixão exclusiva e uma emotividade extrema mascarada por domínio técnico.


10 FILMES DE HITCH
(por ordem de preferência)

(01)
PACTO SINISTRO
(Strangers on a Train, 1951)

Elenco: Farley Granger, Robert Walker e Ruth Roman. Num trem, um psicopata aborda um campeão de tênis, propondo uma troca de assassinatos.

(02)
OS PÁSSAROS
(The Birds, 1963)

Elenco: Rod Taylor, Tippi Hedren, Suzanne Pleshette e Jessica Tandy. Numa pequena cidade costeira, sem motivo aparente mulher é ameaçada por pássaros agressivos.

(03)
INTERLÚDIO
(Notorious, 1945)

Elenco: Cary Grant, Ingrid Bergman, Claude Rains e Louis Calhern. A filha de um espião nazista tem como missão fazer contato com um antigo amigo de seu pai, cuja casa no Brasil serve de esconderijo a nazistas. Termina casando com ele, correndo perigo de vida.

(04)
INTRIGA INTERNACIONAL
(North by Northwest, 1959)

Elenco: Cary Grant, Eva Marie Saint e James Mason. Um publicitário confundido com agente secreto passa a ser perseguido.

(05)
LADRÃO DE CASACA
(To Catch a Thief, 1955)

Elenco: Cary Grant, Grace Kelly e Jessie Royce Landis. Na Riviera Francesa, um ladrão de joias aposentado, acusado injustamente de uma nova onde de roubos, resolve descobrir o verdadeiro ladrão.

(06)
SABOTADOR
(Saboteur, 1942)

Elenco: Priscilla Lane, Robert Cummings e Otto Kruger. Um mecânico de avião injustamente acusado de sabotagem se envolve numa rede de espionagem.

(07)
UM CORPO QUE CAI
(Vertigo, 1958)

Elenco: James Stewart, Kim Novak e Barbara Bel Geddes. Inspetor exonerado da polícia é encarregado por um de seus velhos amigos de vigiar sua bela mulher cujo estranho comportamento faz temer que se suicide.

(08)
DISQUE M PARA MATAR
(Dial M For Muder, 1954)

Elenco: Ray Milland, Grace Kelly, Robert Cummings. Um jogador de tênis sem dinheiro, temendo que sua esposa rica o abandone, planeja matá-la pela herança.

(09)
REBECCA, A MULHER INESQUECÍVEL
(Rebecca, 1940)

Elenco: Laurence Olivier, Joan Fontaine, George Sanders e Judith Anderson. Viúvo casa-se novamente, mas a recordação da falecida está presente em cada canto da casa, infernizando a vida da nova esposa.

(10)
JANELA INDISCRETA
(Rear Window, 1954)

Elenco: James Stewart, Grace Kelly, Wendell Corey e Thelma Ritter. Repórter em repouso, ao quebrar a perna, bisbilhota a vida dos vizinhos, testemunhando um assassinato.


GALERIA de FOTOS


34 comentários:

Marcelo C,M disse...

Sem sombra de duvida foi e ainda é, um dos maiores diretores (autores) de todos os tempos. É dificil dizer se tem um filme ruim em sua filmograria mas se podemos apontar um (e olhe lá) é O Terceiro Tiro.

M. disse...

Sinistro esse cara, mas sem sombra de dúvidas ele era bom no que fazia.

Luiz Santiago disse...

Caramba, Marcelo! Eu gostei tanto de "O Terceiro Tiro"! Exceto pela sequência da morta da amante do protagonista eu diria que o filme mais fraco do diretor é "Topázio"... Não sei... Sou fã do diretor, e para mim ele não tem uma bola fora do gol. Todos os filmes são grandes acertos. Mas acho Topázio o mais fraco dentre eles.

Kahlil Affonso disse...

Como é bom ver um blog relembrando o cinema de Hitchcock. Muitos estão muito mais interessados no que está passando agora nas salas de cinema e se esquecem de obras maravilhosas como as de Hitchcock. Meu favoritos, por ordem de preferência. 1.Janela Indiscreta, 2. Trama Macabra, 3. O Terceiro Tiro, 4. O Homem Que Sabia Demais, 5. Psicose, 6. Um Corpo Que Cai, 7. Pacto Sinistro, 8. Intriga Internacional, 9. Festim Diabólico, 10. Disque M Para Matar

http://filme-do-dia.blogspot.com/

alexandre disse...

Ola
Parabéns pelo blog!
Abcs

Alexandre Taleb
Consultor de Imagem/Personal Stylist
AICI - USA member - association of image consultants international
Blog: http://ataleb.wordpress.com
Site: www.alexandretaleb.com.br

Rato disse...

É sempre um pouco difícil fazer uma seleção dos filmes favoritos do mestre Hitch, mas pessoalmente retirava 5 títulos desta lista ("Strangers on a Train", "Saboteur", "Rebecca", "To Catch a Thief" e "Rear Window") e substituía-os pelos seguintes: "Spellbound", "I Confess!", "The Man Who Knew Too Much" (1956), "The Wrong Man" e "Marnie".
Além de que gosto também muito dos dois últimos filmes, "Frenzy" e "Family Plot", raras vezes citados na apreciação da obra do mestre do suspense.
O Rato Cinéfilo

Danielle disse...

Oi, Antonio.

Sou super fã do Hitchcock. Meu amor por ele se mistura com meu amor pelo cinema - é, aliás, em grande medida responsável por meu amor pelo cinema. Vários dos meus Hitchs preferidos são seus também: Janela Indiscreta, Um corpo que cai e Interlúdio, especialmente. Dos da fase londrina eu adoro Os 39 degraus e A dama oculta - o primeiro, especialmente, que virou uma peça de teatro hilária que está em cartaz em S. Paulo.

Quando você tiver tempo, leia o que escrevi sobre Um corpo que cai. Adoraria saber sua opinião: http://ofilmequeviontem.blogspot.com/2010/03/um-corpo-que-cai-1958-o-amor-e-loucura_14.html

Bjos e boa Páscoa!
Dani

PS: Preciso dizer que achei maravilhosa a trilha do seu blog. A primeira canção quase me faz chorar sempre que acesso o site.

Júnia disse...

Gosto muito do HITCHCOCK, aliás, que figura curiosa ele era tanto na vida particular quanto na profissional. As curiosidades relacionadas à sua predileção por alguns atores e atrizes sempre me fascinou e sua obcecão pelas “Loira Geladas” então... Tenho uma paixão por Rebecca muito grande, para mim considero um dos melhores filmes de Hitch, apesar de muitos não concordarem...

Fernand's disse...

janela indiscreta,
disque m para matar,
intriga internacional e
um corpo que cai são os meu favoritos.



adorei o falcão!
bjsmeus

Fernand's disse...

sorry:

meu = meus

annastesia disse...

Antônio, estou emocionadíssima com essa mega homenagem ao meu mestre amado e querido Hitch. Gênio incontestável, foi quem selou, de uma vez por todas, o meu amor pelo cinema, quando assisti Janela indiscreta aos 12 anos. Ele, mais do que ninguém, merece.
Gostei de ver Sabotador e Disque M... entre os seus favoritos. O primeiro normalmente é esquecido e o segundo geralmente é subestimado.
Obrigado pelo presente cinéfilo e um grande abraço.

disse...

Olá, Antonio! Hitchcock fez filmes tão perturbados (e perturbadores) quanto sua mente. Mesmo assim, gosto especialmente de Janela Indiscreta, Pacto Sinistro e Quando Fala o Coração.
Abraços, Lê

Nelson L. Rodrigues disse...

Ainda não assiti todas as obras do mestre. Mas até agora sou fã de psicose e janela indiscreta.

Abraço.

Daniele Moura disse...

Olá, Antonio!
Tenho uma paixão especial por Spellbound - Quando Fala o Coração.
Mas se fosse pra escolher o que mais me empolga, seria Intriga Internacional.
Belo post!
Um abraço e feliz Páscoa,
Dani

Kleber Godoy disse...

Oi,

Gostei muito da postagem!!

Abraços...

Kleber

Dilberto L. Rosa disse...

Taí uma homenagem digna de nota, coisa mesmo de fã - categoria na qual me incluo, devotadamente! Afinal, como perfeitamente o disseste, Hitchcock é um "gênero em si mesmo" e carrega, por trás de sua aparentemente adorável figura bonachona um rastro de ódio, de obras-primas e de estórias que marcaram a mente coletiva de quem ama o Cinema como arte...

Li alguns livros com estórias selecionadas por este Mestre e que compuseram algumas das que ele apresentava em sua famosa série: recomendo!

Meu favorito do Mestre (e, na minha opinião, um dos melhores filmes de todos os tempos): "Um corpo que cai"!

Como era linda a Ingrid Bergman... Não me canso de admirá-la... Linda...

Um único "senão" em tua linda postagem de homenagem tripla: falaste do fotógrafo, do compositor (o maior de todos, diga-se de passagem, Hermann), mas, de Soul Bass só citaste um videozinho com seus famosos títulos?! Ah, ficou devendo, rs!

Meu abraço, meu pedido de desculpas de não poder estar aqui como gostaria (tanto que tiro férias virtuais no próximo dia 30 por tempo indeterminado) e um selo-prêmio, "Blog Pop", que me deram e que agora retribuo ao seu sempre excelente blogue (encontra-se na lateral, quinto quadro, pegue lá depois!)! Abração e uma feliz Páscoa!

Rafael Carvalho disse...

Em uma palavra só: gênio. O tipo de cineasta que desenvolveu tanto sua veia de diretor, alcançou uma maturidade tal, que parecia dirigir seus filmes com uma naturalildade incrível, como se estivesse brincando, sempre com uma competência incrível de mise-en-scene.

Malu Barros disse...

Você é um jornalista e escritor de muito talento e bom gosto. Amo olhar e ler as matérias do seu lindíssimo blog. Que Deus o ilumine cada vez mais para o deleite dos cinéfilos e seus leitores.

Jamil disse...

Hitch é um dos maiores diretores do cinema. Já vi Intriga Internacional dezenas de vezes.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também gosto de Os 39 Degraus e A Dama Oculta, Dani. Vou dar uma lida no seu texto.
Tudo de bom,

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gosto muito de Rebecca, Júnia. Só o elenco (Olivier, Fontaine e a fenomenal Judith Anderson) já vale o filme. Mas realmente o filme tá mais pra Selznick (o produtor). Não tem o inimitável espírito hitchcockiano.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Dilberto, obrigado pelo Selo. Deixei o Saul Bass de lado de propósito, pois pretendo futuramente escrever um longo artigo sobre o seu trabalho irreverente. Sou fã dele.
Abração e boas férias.

Guilherme Antunes disse...

Gênio, seu maior desafio foi sem dúvida Festim Diabolico onde com maestris driblo todos os problemas d eprodução.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Guilherme, FESTIM DIABÓLICO é realmente um show de direção. Hitch com pouquíssimos cortes e cenário mínimo fez uma obra genial.
Abração,

GIANCARLO TOZZI disse...

Os últimos filmes de Hithcock geralmente são esquecidos, mas também são muito bons.

Marta Scarpa disse...

Os meus favoritos de Hitchcock: Quando Fala o Coração e Interlúdio.

Guilherme Antunes disse...

ANTONIO, exatamente iso, e se ver as fotos dos bastidores,vai ver o tamanho do caixa que era a camera, surpreendente, sem duvida

Carla Marinho disse...

Oi antonio, tudo bem?
Participe da enquete pra sugerir os homenageados (atores, atrizes e diretores) de maio no nosso blog.
http://blogsdecinemaclassico.blogspot.com/

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Acabo e votar, Carla: Hawks, Robert Montgomery e Anne Baxter.
Parabéns pela iniciativa.

ATTICUS disse...

Que puedo decir de mi director favorito,solo que el hacia que nos
revolvieramos en la butaca de la tension que trasmitia con sus films,las hacia para entretenernos y lo conseguia,siempre acertando con los componentes y los artistas.Sencillamente genial.
Mis peliculas favoritas ,bueno realmente es complicado,quizas "Vertigo" "Recuerda" "North by northest" "La sombra de una duda" "Atrapa a un ladron"
la que nunca pondre es : "Atormentada"

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Atormentada? Aqui se chama Sob o Signo de Capricórnio, Atticus. Assisti só por causa de Ingrid Bergman e Margaret Leighton. Mas é muito ruim, talvez a pior obra de Hitch em Hollywood.
Grato pela visita.

Rodrigo Mendes disse...

Meu diretor predileto! O que mais posso dizer?
Abs.
RODRIGO

Faroeste disse...

Este bom diretor nunca atinou o meu fraco por ele, apesar de reconhecer sua obra e adorar alguns filmes seus como; Disque M, Janela Indiscreta e Intriga Intern.
Agora, depois de ler esta reportagem sobre o mesmo o meu interior acaba de me informar o porque de minha pessoa não nutrir muita simpatia pelo famoso e, reconheço, bom artesão.
Porém, sou totalmente anverso às suas falas a respeito dos atores e atrizes, o que não derruba minha aversão por ele, porque ela já era presente, mas confirma em definitivo a justificativa de minha alma não se ligar muito à dele.
jurandir_lima@bol.com.br

Claudio disse...

Adoro Hitchcock, com certeza ele foi um dos três maiores diretores da história do cinema. Mesmo os seus filmes mais fracos tem momentos de brilhantismo: acena do assassinato silencioso na cozinha e Cortina Rasgada (Torn Curtain), a cena do vestido em Topazio, (Topaz), o close em Alida Vale em Paradine Case. O único que realmente acho ruim é Sob o signo de Capricórino (Under Capricorn), que é uma tentativa frustrada de remake de Rebecca, nem Ingrid Bergman se salva.
Gostei da sua lista de filmes e fico feliz que você tenha incluído Sabotador,(Saboteur), que muita gente despreza como uma cópia de os 39 Degraus. Meus filmes preferidos são A sombra de uma dúvida, (Shadow of a doubt), Janela Indiscreta,(Rear Window), Um Corpo que cai,(Vertigo),Pacto Sinstro,(Strangers on a Train), Rebecca e Terror nos bastidores,(Stage Fright).