abril 07, 2021

******************** O GALANTE WILLIAM HOLDEN

 



“Eu sou uma prostituta. Todos os atores são prostitutas. Vendemos nossos corpos ao melhor lance.” WILLIAM HOLDEN
 
Apelidos: Bill, The Golden Boy, Golden Holden
Altura: 1,79 m
Cor dos Olhos: azuis
Cor do cabelo: castanho escuro
 
 
De família rica, elegante, charmoso, um dos campeões de bilheteria dos anos 1950. WILLIAM HOLDEN (1918 – 1981. O'Fallon, Illinois / EUA) estreou nos palcos, enveredando pelo cinema com o empurrão da estrela Barbara Stanwyck. Descoberto por um caçador de talentos no Pasadena Workshop Theatre, ele assinou um contrato de seis meses com a Paramount, em 1938, mas estava mofando no estúdio até a atriz simpatizar com ele e o escalar para “Conflito de Duas Almas / Golden Boy” (1939), no papel do violinista dividido entre a música e o pugilismo. Ficou tão grato que durante anos enviou flores para ela no aniversário do primeiro dia das filmagens.
 
Republicano, conservador, amigo do futuro presidente dos EUA Ronald Reagan. Tinha também amizades comunistas, como o roteirista Dalton Trumbo e o ator Larry Parks. Fredric March e Spencer Tracy eram seus atores favoritos. Escolhido em 25° lugar entre as 50 maiores lendas da tela pelo American Film Institute (AFI). Em 1995, a revista “Empire” o listou como uma das 100 estrelas mais sexy da história do cinema. Apareceu seis vezes na relação das dez maiores bilheterias, de acordo com a pesquisa anual da “Quigley Publications”. Liderou em 1956, dois anos depois da sétima posição em 1954. Em 1955, classificou-se em quarto lugar, e então caiu para o sétimo em 1957, antes do sexto lugar em 1958. Após cinco anos no Top 10, caiu fora em 1959 e 1960, mas reapareceu em 1961 no oitavo lugar.
barbara stanwyck e holden em 1939
O estilo viril e masculino de WILLIAM HOLDEN logo chamou a atenção do público feminino, mas em 1942 ele alistou-se na Escola de Oficiais, na Flórida, graduando-se como segundo-tenente da Força Aérea. Passou os três anos seguintes trabalhando em relações públicas e fazendo filmes de treinamento. Um de seus irmãos, um piloto naval, foi abatido e morto no Pacífico em 1943. 

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, voltou a Hollywood. Praticamente esquecido, estrelou longas dos mais diversos estilos, que iam de dramas, comédias, romances, guerra, até faroestes, mas só seria consagrado com o êxito de “Crepúsculo dos Deuses”. Brilhou como Joe Gillis, um roteirista fracassado e gigolô de Norma Desmond (Gloria Swanson), uma diva do cinema mudo que vivia de glórias passadas. O personagem recusado por Montgomery Clift deu a WILLIAM HOLDEN indicação ao Oscar de Melhor Ator. 

Destacando-se pela bela voz e excelente presença de cena, seu nome tornou-se chamariz de público e nessa ótima fase não estrelou nenhum filme que não fosse um sucesso de bilheteria. Dirigido mais uma vez pelo mestre Billy Wilder, levou o Oscar como um prisioneiro cínico e pilantra na sátira de guerra “Inferno Nº 17”. Em 1955, em “Férias de Amor”, interpretou um vagabundo desempregado que perturba as mulheres de uma pequena cidade do Kansas. Nessa época, era um dos atores mais bem pagos, embolsando 750 mil dólares, mais 20% dos lucros, por “Marcha de Heróis / The Horse Soldiers” (1959), uma soma inédita até então. O western, no entanto, fracassou.
 
No contrato de “A Ponte do Rio Kwai” levou 250 mil dólares e 10% dos lucros, tornando-se um multimilionário. Ele investiu parte de seus ganhos em várias empresas, até mesmo uma estação de rádio em Hong Kong. Em 1959, mudou-se para a Suíça por motivos fiscais e não voltou a morar em Hollywood até 1967. Passava cada vez mais tempo viajando pelo mundo. Na década de 1960, WILLIAM HOLDEN fundou o exclusivo “Mount Kenya Safari Club” com o bilionário do petróleo Ray Ryan e o financista suíço Carl Hirschmann. Sua defesa fervorosa da conservação da vida selvagem consumia boa parte de seu tempo. Seus filmes, consequentemente, perdiam qualidade.
billy wilder e holden

O ator afirmou que, em algum momento, perdeu sua paixão por atuar e que acabou se tornando um trabalho para que pudesse se sustentar. Para manter o alto padrão de vida aceitou filmes medíocres apenas pelo cachê milionário. Isso acabou abalando seu prestígio. No começo dos anos 1960 começou a declinar, ao mesmo tempo que seu problema com o alcoolismo se tornou notório. Em vários filmes nota-se o rosto inchado e os olhos nebulosos. No entanto, amado pela comunidade cinematográfica e pelo público, jamais deixou de filmar.
 
No final da carreira, destacou-se em “Inferno na Torre / The Towering Inferno” (1974), “Rede de Intrigas” e “Fedora / idem” (1978) – sua quarta parceria com Billy Wilder. Nomeado ao Oscar de Melhor Ator pelo Max Schumacher de “Rede de Intrigas”, um executivo de uma cadeia televisiva que se envolve numa relação adúltera com Faye Dunaway, era o favorito das apostas. Entretanto, a estatueta foi para o inglês Peter Finch, que concorria pelo mesmo drama e morreu meses antes da cerimônia. Após a premiação, WILLIAM HOLDEN exibiu sua revolta em uma coletiva de imprensa, alegando que a Academia se rendeu ao sentimentalismo, fazendo uma homenagem póstuma a um ator medíocre. Não era verdade. Finch mereceu o prêmio.
 
Enquadrava-se no tipo de galã romântico. Era o sonho de muitas mulheres mundo afora. Considerado um bom profissional, amigo e correto com diretores, colegas atores e produtores. Com fobia de higiene, tomava quatro banhos diariamente. Casou-se com a atriz Brenda Marshall em 1941, que abandonou o cinema por ele e continuaram juntos até 1971, embora vivessem longe um do outro. Apaixonou-se por Capucine, que preferia mulheres. Namorou Audrey Hepburn, Grace Kelly e Stefanie Powers, mas suas desilusões amorosas agravaram ainda mais seu alcoolismo.
grace kelly, holden e o oscar

Não foi sempre um alcoólatra. Inicialmente bebia socialmente. Começou a beber de forma descontrolada nos anos 1960. Passava semanas embriagado, muitas vezes caído no chão em sua elegante mansão em Beverly Hills. Amanhecia bebendo um whisky duplo sem gelo e não parava mais durante todo o dia. Suas bebedeiras se tornaram homéricas e por causa delas envelheceu rápido, aparentando ter mais idade do que realmente tinha. Abatido, cansado, sem energia, farto de Hollywood, passava meses na sua propriedade na África, caçando e se embriagando.
 
Hostilizado sempre que ficava bêbado, começou a beber às escondidas. Havia se cansado das lições de moral e dos conselhos para parar de beber. Queria encher a cara até não aguentar mais, em paz, sem ninguém por perto perturbando ou chamando a atenção pelo seu estado lamentável. Costumava dizer que era um bebum convicto. No final dos anos 1970, comprou um apartamento em Santa Mônica, onde solitário tomava seus porres. Nesse apartamento, WILLIAM HOLDEN bebia sem parar durante dias. Certa vez, em 1981, ao caminhar da sala para a cozinha, desequilibrou-se e bateu com a cabeça de forma violenta numa mesa de mármore. Sangrou até morrer. Quatro dias antes da estreia da comédia “S.O.B. / idem” (1981), em que atuou ao lado de Julie Andrews e Shelley Winters.

Tinha apenas 63 anos, uma idade abaixo da média de vida do homem norte-americano. Foi um fim tão melancólico quanto o de seu personagem em “Crepúsculo dos Deuses”. Em 1982, Stefanie Powers, com quem mantinha um relacionamento desde 1972, fundou a William Holden Wildlife Foundation e o William Holden Wildlife Education Center no Quênia.
 
Os 10 MELHORES FILMES de WILLIAM HOLDEN
(por ordem de preferência)
 
01
CREPÚSCULO dos DEUSES
(Sunset Boulevard, 1950)

Direção de Billy Wilder
Elenco: Gloria Swanson, Erich von Stroheim e Nancy Olson
 
02
FÉRIAS de AMOR
(Picnic, 1955)

Direção de Joshua Logan
Elenco: Kim Novak, Rosalind Russell, Betty Field, Susan Strasberg e Cliff Robertson
 
03
A PONTE do RIO KWAI
(The Bridge on the River Kwai, 1957)

Direção de David Lean
Elenco: Alec Guinness, Jack Hawkins e Sessue Hayakawa
 
04
SABRINA
(Idem, 1954)

Direção de Billy Wilder
Elenco: Humphrey Bogart, Audrey Hepburn, Martha Hyer e Marcel Dalio
 
05
NASCIDA ONTEM
(Born Yesterday, 1950)

Direção de George Cukor
Elenco: Judy Holliday, Broderick Crawford e Howard St. John
 
06
REDE de INTRIGAS
(Network, 1976)

Direção de Sidney Lumet
Elenco: Faye Dunaway, Peter Finch, Robert Duvall e Beatrice Straight
 
07
INFERNO Nº 17
(Stalag 17, 1953)

Direção de Billy Wilder
Elenco:  Don Taylor, Otto Preminger e Robert Strauss
 
OSCAR de Melhor Ator
 
08
Um HOMEM e DEZ DESTINOS
(Executive Suite, 1954)

Direção de Robert Wise
Elenco: Barbara Stanwyck, June Allyson, Fredric March, Walter Pidgeon, Shelley Winters, Paul Douglas, Louis Calhern e Nina Foch
 
Melhor Ator no Festival de Veneza
 
09
SUPLÍCIO de uma SAUDADE
(Love is a Many-Splendored Thing, 1955)

Direção de Henry King
Elenco: Jennifer Jones
 
10
MEU ÓDIO SERÁ sua HERANÇA
(The Wild Bunch, 1969)

Direção de Sam Peckinpah
Elenco: Ernest Borgnine, Robert Ryan e Edmond O’Brien

GALERIA de FOTOS


21 comentários:

Edson Onodera disse...

Excelente compilação! Foi um ótimo ator, mas infelizmente com uma vida pessoal infeliz. O alcoolismo exagerado era apenas uma fuga, com um final previsível. Parabéns!

Maria Alice Vicencio disse...


Belissimo e ótimo ator

Marina Cristina Paravato disse...


Maravilhoso.

Selma Masi Tescari disse...


Lindo, talentoso, maravilhoso!

Sumeia Helal disse...


Muito lindo

Maria Madalena Santos disse...


Bonito, charmoso, bom ator. Pena que foi levado pelo vício. Triste...

Ana Maria Moreira disse...

Lindo

Lisia Boschi disse...


Lindo.Mas a maioria tinham o abito de beber e fumar muito, né?

Carlos Conti disse...


Sunset Boulevard é o máximo!

Ilka Couto disse...


Lindão

Eliane Maria Rebello Sa disse...


Ninguém é perfeito, né?

Marina Martinelli disse...


Ator maravilhoso. Era o favorito da primeira dama Jaqueline Kennedy.

Evy Klein Messas disse...


Minha mãe diria: Que pão!!!

Jean Guilherme Paixão disse...


Gosto muito da Ponte do Rio Kwai. Ele também fez policiais ótimos no início da carreira.

Tadeu Graciotti disse...


Excelente ator. Gosto muito dos seus filmes

Maria Amélia Gandini disse...


LINDO!!!!!

Hilda Dal Cortivo Frasson disse...


Um Gato

Marília Menezes disse...


Charmoso e ótimo ator. Que voz!

Su Sukky disse...


Maravilhoso!!!!

Jane Giordani Seifert disse...


Era demais pra ser verdade . Sempre tem um clic. Mas fez história .

Alice Dias disse...


Belo e super carismático. Com o tempo ficou com a cara de bebum. Uma pena.