dezembro 09, 2010

**** ANDRUCHA E A ESPANHA DO SÉC. DE OURO


A cinebiografia de Lope de Vega estreará nos cinemas brasileiros em março de 2011. LOPE, uma co-produção hispano-brasileira com direção de ANDRUCHA WADDINGTON (“Casa de Areia”), relata os primeiros passos como escritor de Félix Lope de Vega (1562-1635), um dos expoentes do Século de Ouro e do barroco espanhóis, contemporâneo de Miguel de Cervantes, que se tornaria um autor prolífico e, sobretudo, dramaturgo. Na trama, é apenas um jovem que chega a Madri e está prestes a descobrir o teatro e o amor. Para interpretar o papel-título, o escolhido foi o ator argentino Alberto Ammann, vencedor do prêmio Goya por seu desempenho excepcional em “Cela 211”, de Daniel Monzón. No elenco, as atrizes espanholas Pilar López de Ayala e Leonor Watling; e os brasileiros Selton Mello e Sonia Braga. Sonia, que construiu carreira sólida no cinema internacional, vive a espanhola Paquita, mãe de Lope, e para tal se apresenta bastante envelhecida, mas na vida real a atriz continua em plena forma, como deixou evidente recentemente na minissérie “As Cariocas”, de Daniel Filho.

Um dos mais importantes nomes da literatura e da dramaturgia mundiais, Lope de Vega foi um grande inovador, tendo publicado, em 1609, “Nuevo Arte de Hacer Comedias en Este Tiempo”, um dos primeiros ensaios sobre dramaturgia. Escreveu comédias, romances, poemas épicos, líricos e burlescos, livros religiosos e históricos. O roteiro do filme é de Ignácio del Moral e Jordi Gasull. O brasileiro Ricardo Della Rosa assina a direção de fotografia. As filmagens aconteceram na Espanha e no Marrocos. Recentemente, LOPE foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Toronto. Também foi selecionado e exibido no tradicional Festival de Veneza. Aqui no Brasil, marcou presença no Festival do Rio 2010 e na Mostra Internacional de São Paulo.

pilar lópez de ayala

Fragmento da entrevista de Carol Almeida com Andrucha Waddington para o site Terra:

Como foi sua interferência na escolha do elenco?

Durou um ano. Passei um ano vendo o cenário espanhol. As primeiras a entrarem no elenco foram a Pilar López de Ayala e a Leonor Watling. E eu não tinha o "Lope", que é o Alberto Ammann. Na verdade eu tinha algumas opções, só que eu queria um ator desconhecido. Aí as produtoras de elenco me apresentaram um teste do Alberto cinco semanas antes de começarem as filmagens. E aí eu falei: para tudo que esse cara é genial. Passei um dia fazendo audição com ele e ele foi maravilhoso. Os produtores, que queriam um ator mais conhecido no papel, terminaram me dando razão quando viram o teste com o Alberto.

O fato de Lope ser interpretado por um ator argentino teve alguma repercussão na Espanha?

Houve, mas na verdade a coisa é a seguinte. O Alberto nasceu na Argentina, mas foi criado na Espanha. Então ele tem um sotaque absolutamente espanhol e se considera um cidadão espanhol. Houve também um certo ruído pelo fato de eu ser um diretor brasileiro. Mas acho que o cinema é uma linguagem universal. O cinema americano inteligentemente percebeu isso há muito tempo e importa diretores de vários pontos do mundo. Quando li o roteiro desse filme pela primeira vez, conhecia pouco do Lope, mas me apaixonei pela possibilidade de contar a história da fundação de um artista, através de um ícone da cultura espanhola. E aí tive quatro anos pra estudar e ficar familiar à obra de poema e teatral de Lope, à sua biografia, ao Século de Ouro, aos costumes da época.

E a escolha de Selton Mello e Sonia Braga, como foi?

A de Selton Mello aconteceu porque o personagem de Marquês de Las Navas era um português e eu, que tinha vontade de trabalhar com Selton há um tempão, achei que ele ia arrebentar naquele personagem que é tão-somente um playboy da época. E a Sonia eu também tinha vontade de trabalhar há muito tempo e achei legal propor pra ela fazer uma velhinha. E ela topou na hora e foi ótimo.


17 comentários:

Katharine disse...

Oie, tudo bom? Adorei o blog. E também adoro o filme "O falcão maltes", principalmente o Humphrey Bogart. beijos :D

Octavio Caruso disse...

Esse filme é uma maravilha!
Na época do Festival do Rio, entrevistei o Andrucha no escritório da Conspiração Filmes e fiz questão de parabenizá-lo por conseguir finalmente equilibrar entretenimento com uma bela história. Sem apelações desnecessárias e tão comuns ao nosso cinema.
A vida de Lope já é bela por si só!

ANNA KARLLA disse...

Parabéns querido,
o blog tá maravilhoso:
é como um bom filme: vc não quer desgrudar rs.
bjss

Caio Rihan disse...

Tenho visto sempre seu blog, mas como sou um leigo em cinema queria muito que me indicasse algo para um bom começo. Conheço apenas poucas coisas de Almodóvar dos citados em teu site. Se pudesse me recomendar começando por clássicos, ficarei agradecido. Fellini e etc. E de preferência algum que você tenha para que eu possa comprar. Abraço

Selton Mello disse...

Sempre tive vontade de trabalhar com Andrucha. Quando rolou, topei o desafio de fazer o Marquês de Navas, um camarada que acha que pode comprar tudo. Foi saboroso.

Danielle disse...

Oi, Antonio!

Ouvi coisas muito boas sobre esse filme. Ele é cotado para concorrer ao Oscar de filme estrangeiro, não? Estou ansiosa para vê-lo, especialmente por causa do Selton Mello, que manda bem em qualquer papel.

Bjs e até mais
Dani
www.ofilmequeviontem.blogspot.com

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Vou preparar uma lista básica - e pessoal - pra você, Caio. Obrigado e apareça sempre.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Eu ainda não vi o filme, Danielle. Estou à espera da estréia nacional. Gosto muito de Selton, Andrucha, Sonia Braga, Pilar López de Ayala (lembra do show que deu em "Juana la Louca"?) e de Lope de Vega. Soube que vai concorrer ao Oscar representado a Espanha.
Abraços.

Neuzza Pinhero disse...

salve, Antonio!

acompanho seu blog com um prazer imenso. Sou apenas uma cidadã comum, apaixonada por cinema.
Fiquei muito impressionada com o ator Alberto Almmann em "Cela 211", um grande filme onde ele rouba a cena em muitos momentos. E agora, em "Lope", ainda mais com artistas nossos tb. Viva! Abraços

Jenifer Torres disse...

Uau, agora fiquei com vontade de ver esse filme. 2011 promete!
Abraços e parabéns pelo blog.

Paulo Néry disse...

Saudações Antonio, tudo bem? Não conhecia seu espaço e achei de extremo bom gosto, com muitas informações e com teor didático bem elevado. Seu blog já esta linkado no meu também. Pode estar certo que contará com muitas visitas minhas daqui para frente. Abraços e sucessos em seus empreendimentos.

Filmes Antigos Club Artigos (Paulo Néry)

Meg Rodrigues disse...

Olá, Antonio

Parabéns pelo blog.
Sou fã da Dani e agora, com certeza passarei a visitá-lo também. Informação cinematográfica é um enriquecimento do olhar, muito bom.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Realmente, Neuzza, Almmann está extraordinário em CELA 211.

Danielle disse...

Oie, Antonio!

Vi o filme do Mel Brooks ontem. Achei muito legal! Deixei lá no comentário ao meu post uma apreciação dele. Dá lá uma olhada quando puder!

Meg,você é uma graça! Obrigada pela referência que faz ao meu blog.

Beijocas
Dani

Anônimo disse...

Lindo, lindo, lindo, o seu blog. Estou tentando ser seguidora, mas não sei se consegui. O sistema não está permitindo chegar ao final do processo.
Obrigada pela visita ao Geléia Geral. Vou falar do Falcão na próxima edição.
Um abraço

Neila Tavares

RITA MAYNART disse...

Mto Sucesso c/ seu blog.
Li mtos artigos intessantes!
Entre os filmes antigos (que ADOOOOROOO!!!...),
sugiro "All About Eve" ou como título brasileiro, "A Malvada", com a saudosa divina Bette Davis e a também saudosa e hiper talentosa Anne Baxter.
Parabéns, pelo Blog. É um "lugar" imprescindível e prazeroso para cinéfilos, como eu.
Forte Abço.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

A MALVADA é genial, Rita. Aguarde um post sobre ele em sua homenagem.