setembro 14, 2011

***************** O PIRATA COMO HERÓI



PIRATAS são indivíduos que navegam pelo mar assaltando outras embarcações. Essa “profissão” ilegal e sanguinária se imortalizou nas telas desde o início da arte cinematográfica,  iniciando-se com “A Ilha do Tesouro / The Treasure Island” (1912) de J. Searle Dawley. Os símbolos básicos estão, quase sempre, presentes: duelos de espadachins, raptos, saques, naufrágios, tesouros enterrados, perna de pau, tapa-olho etc. Sempre com inovações visuais e cenas de ação invejáveis retratando as aventuras dos “terrores” dos oceanos. Fanático por esse gênero desde a idade da inocência, ficava de olho pregado na tevê, acompanhando as peripécias acrobáticas dos sarracenos imaginados por escritores como Rafael Sabatini, Emilio Salgari ou Robert Louis Stevenson. Sonhava em ser belo e corajoso como Errol Flynn, navegando os sete mares, raptando princesas e saqueando ricos vilões. A minha tensão era imensa quando um deles era amarrado em estaca fincada nos recifes, à espera da maré para afogá-lo ou dos caranguejos para devorá-lo até os ossos. Na maturidade, descobri que raros filmes de PIRATAS tem qualidade artística. Talvez apenas três possam ser considerados excelentes: “Capitão Blood/Captain Blood” (1935), “O Gavião do Mar/The Sea Hawk” (1940) e “O Cisne Negro/The Black Swan” (1942). Todos os outros são descartáveis, manobrados por diretores impessoais ou em fim de carreira, astros em decadência ou atores que nunca alcançaram o estrelato. Ainda assim, considero-os especiais, um mimo que desperta a criança que mora no meu íntimo. O curioso é que o PIRATA é um bandido, um fora da lei, um ladrão, um saqueador e muitas vezes também estuprador, mas torcemos alucinadamente por ele.


Os PIRATAS imaginados pelo cinema, longe de qualquer realismo, saltam de um lado para outro como gafanhotos, são espadachins invencíveis, excelentes navegadores e nadadores, roubam o coração de ladys e escapam dos lugares mais improváveis. Só faltam voar. Nos últimos anos, surgiu uma nova leva de expressivos bandoleiros marítimos: Walter Matthau em “Piratas/Pirates” (1986), Dustin Hoffman em “Hook – A Volta do Capitão Gancho/Hook” (1991), Matthew Modine em “A Ilha da Garganta Cortada/Cutthroat Island” (1995), Johnny Depp e Geoffrey Rush na série “Piratas do Caribe/Pirates of the Caribbean” (2003-2011), mas são personagens cômicos, satíricos, caricatos, e eu prefiro o PIRATA como herói, eternizado por sua energia e audácia. Fiz uma seleção dos meus sete PIRATAS do coração, por ordem de encantamento, e deixando de lado aqueles perversos e malignos como Wallace Beery em “A Ilha do Tesouro/The Treasure Island” (1934), Basil Rathbone em “Capitão Blood”, Raymond Massey em “Vendaval de Paixões/Reap the Wild Wind” (1940), Laird Cregar em "O Cisne Negro", Charles Laughton em “Capitão Kidd/Captain Kidd” (1945) ou Robert Newton em “Barba Negra, o Pirata/Blackbeard, the Pirate” (1952). Confira:

(1º)
ERROL FLYNN
Peter Blood
em Capitão Blood
e Geoffrey Thorpe 
em O Gavião do Mar
ambos de Michael Curtiz
Um médico sentenciado à escravidão por ter ajudado um rebelde, consegue escapar, tornando-se um temido pirata e procurando vingança. No segundo filme, um pirata arrojado luta contra os espanhóis, apoiando a Inglaterra. Em suas aventuras, que envolvem roubar jóias e tesouros, apaixona-se por uma nobre espanhola.

(2º)
TYRONE POWER
Jamie Waring
em O Cisne Negro
de Henry King
Famoso pirata se torna governador da Jamaica e, para exercer esta função, acaba recebendo a ajuda de seus antigos colegas de embarcação. Porém, um deles acaba se enamorando da bela filha do ex-governador.

(3º)
DOUGLAS FAIRBANKS
O Pirata Negro
em O Pirata Negro
(The Black Pirate, 1926)
de Albert Parker.
Nobre, cujo pai é assassinado por piratas, jura vingança, tornando-se um bucaneiro. Termina por resgatar uma donzela em perigo e se envolve em duelos sangrentos.

(4º)
BURT LANCASTER
Capitão Vallo 
em O Pirata Sangrento
(The Crimson Pirate, 1952)
de Robert Siodmak.
Capitão pirata faz acordo para entregar líder rebelde para um cruel barão. Estimulado pela filha do prisioneiro, acaba aderindo à causa.

(5º)
judy garland e gene kelly
GENE KELLY
Serafin 
em O Pirata
(The Pirate, 1948)
de Vincente Minnelli
Numa ilha das Caraíbas, artista saltimbanco se faz passar por um famoso pirata para conquista uma jovem prestes a se casar com rico fidalgo.

(6º)
akim tamiroff, franciska gaal e fredric march
FREDRIC MARCH
Jean Lafitte
em Lafitte, o Corsário
 (The Buccaneer1938)
de Cecil B. DeMille.
Durante a Guerra de 1812, os britânicos derrotam os norte-americanos no norte e planejam invadir Nova Orleans. Eles buscam a ajuda de pirata que conhece a região e domina o contrabando no lugar. Mas o pirata quer se casar com a aristocrata e decide apoiar as tropas norte-americanas sob a condição de ser perdoado pelos seus crimes.

(7º)
maureen o'hara e paul henreid
PAUL HENREID
Cap. Laurent Von Horn 
em Pirata dos Sete Mares
(The Spanish Main, 1945)
de Frank Borzage
Vilanesco governador espanhol ordena destruir um navio e escravizar os marinheiros holandeses e seu capitão. Os holandeses escapam e formam uma gangue de piratas. Em busca de vingança, o líder deles captura a prometida do governador.

*******
CONFIDENCIAL

AVA GARDNER


A deusa Ava Gardner (1922-1990) foi uma espécie de Warren Beatty (o galã mais conquistador de Hollywood, até se casar com Annette Bening) de saias. Da contabilidade sexual e amorosa da atriz – indicada para o Oscar por sua atuação em “Mogambo/idem”, de John Ford, em 1953 – constam nomes do porte de Howard Hughes, George Raft, John Huston e o toureiro Luiz Miguel Dominguin. Sem contar os maridos oficiais – Mickey Rooney, Artie Shaw e Frank Sinatra. Em sua passagem pelo Brasil, em 1954, a atriz – chamada pelo escritor francês Jean Cocteau de “o mais belo animal da terra” – não perdeu o hábito e tentou conquistar o cantor cearense, muito famoso naquela época, Carlos Augusto. O objeto do desejo da estrela, no entanto, ficou tão pasmo com o interesse que despertou em uma das mulheres mais bonitas do mundo que, na hora H, fracassou sexualmente. Disposta a tudo para seduzir os homens que desejava, Ava Gardner eventualmente teve de enfrentar rivais no braço. Foi o que aconteceu quando se envolveu com Anthony Franciosa. A esposa do ator, Shelley Winters, não gostou nem um pouco da história. Resultado: em 1958, as páginas policiais dos jornais norte-americanos e europeus noticiavam que as duas se esbofetearam em público num hotel de Nápoles, na Itália. O ator George C. Scott foi outro a freqüentar os lençóis de Ava Gardner. Protagonizava, no entanto, uma relação não exatamente pacífica. O casal costumava temperar suas noitadas amorosas com muitos tapas. As marcas dessa conturbada união apareciam no dia seguinte nos braços, pernas e rosto da estrela. E ela não escondia: “A gente se ama. Ele me bate porque me ama. Mas, de vez em quando, ele apanha também”.

28 comentários:

Celo Silva disse...

Excelente texto! O Falcão Maltes é referencial e uma Ode ao bom cinema. Parabens mesmo pelo espaço.

Abração!

pinguim disse...

Tenho que confessar que nunca foi um género que me seduzisse, os filmes de piratas.

Enaldo disse...

Eu sou uma exceção,rs... Não gosto de filmes de piratas e não torço nunca para criminosos em filme, rs... (o que não quer dizer que torça sempre para a polícia, idem)

Um abraço.

Edivaldo Martins disse...

OS FILMES DE PIRATA FIZERAM A FESTA, MORMENTE, NOS ANOS 40 E 50, MAS O FILME DE PIRATA QUE MAIS ME MARCOU FOI, SEM DÚVIDA NENHUMA, O PIRATA SANGRENTO, ONDE BURT LANCASTER DÁ UM SHOW DE MALABARISMO.

Edivaldo Martins disse...

NAHUD,ATÉ HOJE EU NÃO ENTENDO PORQUE ESSES FILMES DE PIRATAS, E ATÉ MESMO DO ZORRO, SÃO TIDOS E HAVIDOS COMO FILMES DO GÊNERO DE CAPA E ESPADA; CAPA, TUDO BEM, MAS ESPADA, É MUITO PRÁ CABEÇA. OS PIRATAS E O ZORRO TINHAM COMO INSTRUMENTO DE ATAQUE E DEFESA , O FLORETE - ARMA BRANCA USADA NA ESGRIMA.

Celo Silva disse...

Belissimas fotos no post!

renatocinema disse...

Texto show. Espetacular.

Sou fã dos seus comentários.

Abraços

Marcelo C,M disse...

Todos eles são otimos, mas no meu caso, colocaria na lista também O Grande Motim (1935) com Clark Gable. Um super produção da época (Oscar de Melhor filme) que mostra Gable a serviço da Inglaterra, mas devido s circunstancias, se torna um pirata em grande estilo.

disse...

Hollywood e sua idealização tornam qualquer fora-da-lei charmoso. Ainda mais se for Errol Flynn atuando. Gosto bastante de "Capitão Blood", afinal, ele só se tornou pirata por força das circunstâncias.

Faroeste disse...

Nahud;

OS filmes de piratas faziam nossas matinees serem deliciosas naqueles cinemas empoeirados de bairro.
Acrescente às ref. de píratas; brincos, rum e camisas listradas.
O amigo esqueceu de listrar O Pirata Sangrento, onde Lancaster da um show e O Grande Motim.
jurandir_lima@bol.com.br

Faroeste disse...

Ava Gardner era de fato "o animal mais belo do mundo". Uma mulher com M maiusculo, que fazia o que queria e não negava nada a ninguém de seus atos. Bela em todos os aspectos! E uma beleza rarissima!
Eta fêmea femea!
jurandir_lima@bol.com.br

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tem toda razão, Edivaldo. E também gosto muito de Burt Lancaster como pirata. Ele usa toda a sua técnica circense para dar um verdadeiro show.
Abração

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Marcelo, também admiro O GRANDE MOTIM de 1935, bem superior ao remake com Marlon Brando. É um filme de aventura com muita ação, mas não creio que possa ser considerado um filme de piratas.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Bem lembrando, Jurandir: brincos, rum e camisas listradas. Ah, O PIRATA SANGRENTO tá listado em quarto lugar.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Em relação a Ava, Jurandir, concordo plenamente com você. Ela tinha uma personalidade forte e uma beleza única.

Maxx disse...

Filmes de piratas são ótimos. Excelente post.

Abç.

linezinha disse...

adoro filmes de pirata e ótima lista Antonio.
Abraços

Jamil disse...

gosto imensamente de "o cisne negro" e também de "o príncipe dos piratas", com o john derek. senti falta de alguns filmes europeus, principalmente italianos.

Jamil disse...

Ai se eu tivesse no lugar do Carlos Augusto... Ava era de babar

Leandra disse...

E as mulheres piratas? Jean Peters, Yvonne De Carlo...
Leandra Leal

tozzi disse...

Nahud, qual a sua opinião sobre Douglas Fairbanks? Nunca assisti nenhum filme dele, mas as votos dele que conheço retratam um tipo meio ridículo, afetado. O seu filho, Fairbanks Jr., não tinha nenhum talento e tampouco beleza. Fez até um filme de piratas, pegando carona na fama paterna.

tozzi disse...

Nunca houve mulher como Gilda? Mentira. Nunca houve mulher como Ava.

José Simões Filho disse...

Douglas Fairbanks era um dos maiores astros do cine mudo

José Simões Filho disse...

Burt Lancaster um dos meus atores prediletos,também bom em qualquer gênero de filme

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Por um triz não coloquei um filme francês com o Jean-Pierre Aumont e a Maria Montez, Jamil. Mas os filmes italianos sobre piratas são péssimos.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Pois é, Leandra, as mulheres piratas... E tanto Jean Peters como Yvonne De Carlo - duas belezas - estão ótimas como bandidas dos mares.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tozzi, só assisti a dois filmes com o Douglas Fairbanks Pai, O PIRATA NEGRO e A MARCA DE ZORRO. Não posso negar que ele tinha carisma e uma grande agilidade física, mas não saberia dizer se realmente é um bom ator... O filho conheço um pouco melhor e até que gosto dele.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Eu também gosto do Burt Lancaster fazendo qualquer coisa, José. Pena que dizem que ele nos bastidores era terrível, arrogante...