junho 07, 2018

******* Uma MULHER em FOGO: AVA em ESPANHA



Apelido: Snowdrop, Angel e The Christmas Eve Girl
Altura: 1,68 m
Olhos: verdes


A mais bela de todas as atrizes, AVA GARDNER (1922 - 1990. Grabton, Carolina do Norte / EUA) nasceu numa fazenda de tabaco, filha de agricultores pobres. Aos 18 anos, uma foto sua colocada na vitrine do estúdio fotográfico do seu cunhado, em Nova York, chamou a atenção da Metro-Goldwyn-Mayer, que a contratou por sua estonteante beleza. Participou de mais de 60 filmes e casou-se três vezes (com o célebre ator baixinho Mickey Rooney, o clarinetista e regente Artie Shaw e o mito Frank Sinatra). Chamada pelo dramaturgo e cineasta francês Jean Cocteau de o mais belo animal do mundo. E é possível que estivesse certo.

Ela viveu tórridos romances, alimentando o mito de mulher fatal. Em 1955, no auge do sucesso, mudou-se para a Espanha, tornando-se musa de festas intermináveis e de toureiros. O interesse surgiu um pouco antes, em 1950. Filmando “Pandora / Pandora and the Flying Dutchman” (1951), em Tossa de Mar, na Catalunha, a atriz se encantou com a vida noturna espanhola, cultura romântica e ardentes toureiros, estabelecendo uma sincera e duradoura identificação com o país. No bonito filme de Albert Lewin, a Pandora Reynolds de Ava é uma mulher que destrói tudo e todos a seu redor, até que surge em sua vida o Holandês Voador, personagem enigmático que James Mason dota de aura mística.

ava e sinatra
Na mira da imprensa internacional, tanto por sua agitada vida social como pelo trabalho cinematográfico de sucesso, a temperamental e libertária AVA GARDNER foi responsabilizada pela ruptura do matrimônio Frank-Nancy Sinatra. Seu romance como ciumento “La Voz”, marcado por brigas, bebedeiras, tentativas de suicídio (dele) e três abortos. O relacionamento não impediu que, uma vez na Espanha, aproveitasse para dar vazão a desejos sem o controle dos estúdios cinematográficos norte-americanos.

Apaixonada e sensual, envolveu-se com o toureiro Mario Cabré, que lhe dedicou poemas e arriscou a vida por ela nas arenas. Em 1953, enquanto rodava na África “Mogambo” – responsável por sua única indicação ao Oscar – e em plena crise com Sinatra, descobriu que estava grávida. Ao abortar em Londres, uma escala em Madri a levou aos braços de Luis Miguel Dominguín, o toureiro mais famoso da época. Filmando na Itália “A Condessa Descalça” (1954), aprofundou sua relação com Dominguín através de maratonas de sexo.

Ao comprar um casarão em La Moraleja, estabeleceu um quartel general para festas que duravam todo um final de semana e incluíam corridas de touros e apresentações de flamenco, convertendo AVA GARDNER em presença habitual na vida social espanhola. Representado o que os então provincianos espanhóis censuravam – mulher sozinha, divorciada, sem religião e, além disso, atriz -, passou a ser tratada como uma ameaça para as famílias “respeitáveis”, sendo vetada em lugares como o Hotel Ritz, de Madri.

Parceira de Ernest Hemingway na longa farra espanhola (ela protagonizou brilhantemente duas adaptações de seus romances: “As Neves de Kilimanjaro” e “E Agora Brilha o Sol”) e em Cuba, em cuja casa dele se hospedou e na qual tomava banhos de piscina, nua, enlouquecendo o escritor. Em 1961, aos 39 anos, depois do suicídio do amigo Nobel de literatura, além do fracasso do filme “La Maja Desnuda / The Naked Maja” (1958) e de um acidente que deixou incômodas sequelas, a formosa estrela findou a escandalosa, apaixonada e tormentosa relação com a Espanha, mudando-se para o denso Reino Unido, e por lá ficou até morrer em 1990, aos 68 anos, um ano após ter tido um derrame.

FONTE
“Ava Gardner: Una Diosa con Pies de Barro”, de Lee Server, e “Beber-se a Vida, Ava Gardner em Espanha”, de Marcos Ordóñez


10 FILMES de AVA
(por ordem de preferência)

01
A CONDESSA DESCALÇA
(The Barefoot Contessa, 1954)

direção de Joseph L. Mankiewicz
elenco: Humphrey Bogart, Edmond O'Brien, Valentina Cortese, Rossano Brazzi e Franco Interlenghi

02
ASSASSINOS
(The Killers, 1946)

direção de Robert Siodmak
elenco: Burt Lancaster, Edmond O'Brien, Albert Dekker
e Sam Levene

03
A NOITE de IGUANA
(The Night of the Iguana, 1964)

direção de John Huston
elenco: Richard Burton, Deborah Kerr e Sue Lyon

04
MOGAMBO
(Idem, 1953)

direção de John Ford
elenco: Clark Gable e Grace Kelly

05
SETE DIAS de MAIO
(Seven Days in May, 1964)

direção de John Frankenheimer
elenco: Burt Lancaster, Kirk Douglas, Fredric March,
Edmond O'Brien, Martin Balsam e George Macready

06
E AGORA BRILHA o SOL
(The Sun Also Rises, 1957)

direção de Henry King
elenco: Tyrone Power, Mel Ferrer, Errol Flynn,
Eddie Albert, Gregory Ratoff, Juliette Gréco
e Marcel Dalio

07
AS NEVES de KILIMANJARO
(The Snows of Kilimanjaro, 1952)

direção de Henry King
elenco: Gregory Peck, Susan Hayward, Hildegard Knef
e Marcel Dalio

08
55 DIAS em PEQUIM
(55 Days at Peking, 1963)

direção de Nicholas Ray
elenco: Charlton Heston, David Niven, Flora Robson,
John Ireland, Leo Genn, Robert Helpmann,
Paul Lukas, Massimo Serato e Jacques Sernas

09
A ENCRUZILHADA dos DESTINOS
(Bhowani Junction, 1956)

direção de George Cukor
elenco: Stewart Granger e Bill Travers

10
O GRANDE PECADOR
(The Great Sinner, 1949)

direção de Robert Siodmak
elenco: Gregory Peck, Melvyn Douglas, Walter Huston,
Ethel Barrymore, Frank Morgan e Agnes Moorehead

GALERIA de FOTOS

 
 

40 comentários:

Octavio Caruso disse...

Como ela era linda.... sem dúvida uma das mais bonitas atrizes de todos os tempos!
E o Sinatra que não era bobo nem nada...rs

Marcelo C,M disse...

Com um olhar peculiar e sedutor, não falava nada mas dizia tudo

annastesia disse...

Ava, além de lindíssima, exalava uma sensualidade e sexualidade indiscutíveis e invejáveis. Sem artifícios, vulgaridades e apelações. Não tentava ser, simplesmente era.

Kley disse...

Ela dizia: "tive três maridos asquerosos". Não sabia escolher os maridos, mas era linda demais.

RUBENS EWALD FILHO disse...

Noites de flamenco, tardes de touradas, festas, amantes, bebedeiras e cinema. A lenda das telonas Ava Gardner deixou tudo isso em sua passagem pela Espanha franquista dos anos 1950 e 60, onde viveu por longas temporadas, fugindo da vida cheia de restrições que lhe era exigida em Hollywood. Viver na Espanha permitia a Ava escapar do sistema de Hollywood e da vida nos Estados Unidos, da qual não gostava, sobretudo porque sofria muita pressão da imprensa. O que ela encontrou na Espanha e que a fascinou foi não ter que levar uma vida dupla. Na Espanha ela não distinguia vida pública de vida privada, e praticamente tudo era muito extrovertido e espontâneo. Naquela época, em Hollywood, os atores eram obrigados a comportar-se, até mesmo em sua vida privada, segundo os códigos determinados pela produtora. Na Espanha, de repente, a vida podia ser vivida à vontade.

Jamil J. Landim disse...

Ava Gardner era um negócio muito sério. Um mulherão. Era também uma atriz tão natural, e tão sensual. O movimento das narinas, dos lábios, o andar felino. Transmitia intensidade. É eterna. Uma das maiores estrelas de Hollywood. Não conhecia esse seu momento espanhol. Parabéns pelo texto.

Danilo Ator disse...

Obrigado pelos elogios ao meu blog. Achei o seu ótimo e muito rico em informações, virei seguidor.

Ava (o animal mais belo do mundo) tinha uma beleza fascinante (e uns traços da Loren), como todos acima já concordaram; mas o que sempre me vem à cabeça quando vejo filmes com essas divas do passado, falo das que se destacaram mais pela beleza, é quanto seria interessante se elas tivessem tido mias oportunidades de explorar o talento dramático. Quando tiveram, mostraram emocionantes fagulhas de uma fogueira nunca acesa.

Abraços.

Pedro Vicente Costa Sobrinho disse...

Júnior, nossa Ava foi e continua eternamente divina.Eu revi recentemente Pandora do Lewin,e a impressão que me ficou dela há mais de 50 anos atrás quando ví pela primeira vez esse filme, simplesmente voltou com uma força extraordinária. Que elegância, que primor de desempenho. Ave Ava.

Lucia Stoll disse...

Linda

Mary Ferreira da Silva disse...

Lindíssima!!!

Ivone Massine Tostes disse...

Linda demais

Lilu Sá Leitão disse...

nao sei o que eu faria comigo se fosse agraciada com tamanha beleza! Eu ia pirar

Silvia Maria Gomes Armede disse...

Belíssima!!!

Lucy Botelho de Mello disse...

Como era linda..

Dalva Rausch disse...

Lindíssima!!

Su Sukky disse...

Lindíssima

Laura Stipp disse...

Muito linda!

Sumeia Helal disse...

Bela

Elzine Borges Beregeno disse...

Era linda !

Icleia Machado Souza disse...

Muito linda!

Gracinha Argollo disse...

Linda de doer!!

Celso Aparecido da Costa disse...

Atriz top! De uma beleza singela.

Nelson Eddy Martinez Evans disse...

Na sua epoca foi apellidada como " o animal mais Belo do mundo"😍😍😍

Valeria Gome Rodrigues disse...

Lindíssima!!

Não existem belezas assim hoje em dia...

Ana Maria Borocco disse...

Grande paixão do Sinatra

Maria Amélia Gandini disse...

A MAIS BELA DE TODAS.

Sulema Mendes de BudinSulema disse...

Esse blog é fantástico. Parabens.

Erica Patrícia disse...

Ava era uma boa atriz, não era PhD infinito ão quadrado em atuação como a Barbara stanwyck, Joan bennett e a branquela da Anne baxter, mas dava conta também sem falar que dona Ava transpirava sexo pelos poros

Jose Antonio Petinatti disse...

Linda linda linda!!!

Simon Rosental disse...

Linda demais.

Ilzinha Mattos disse...

Belíssima!

Adilson Di Lucca disse...

podem falar o q quiserem ,más as mulheres antigamente tinha um charme especial

Bartira Vasconcelos disse...

Lindissima.
Em Mogambo com Grece Kelly foi um duelo de beleza.
Não esqueço desse filme porisso e de quebra Clark Gable.

Hélvio Oliveira disse...

Um dos maridos foi Frank Sinatra. Há uma biografia dela lançada anos atrás

Rocky Lofego disse...

Era também excelente cantora. Em "Show Boat" teria usado a própria voz?

Adriana Cinturinha disse...

Exuberante!

Maria Regina Lima disse...

Espetáculo de mulher

Lourdes Dias disse...

Lindas fotos!

Lucia Stoll disse...

Era linda

Anônimo disse...

Esse blog é uma delícia...