dezembro 10, 2012

*************** A CORRIDA AO OSCAR 2013

“frankenweenie”, de tim burton
A corrida ao OSCAR foi lançada. O primeiro indicativo, o NEW YORK FILM CRITICS CIRCLE AWARDS (NYFCC), geralmente é justo, mas nem sempre coincide com a estatueta dourada da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Grande prêmio anual de cinema, iniciado em 1935 por um grupo de críticos com atuação exclusiva na imprensa nova-iorquina, ganhou relevância e credibilidade através dos tempos. Seus membros são reconhecidos críticos de jornais, revistas e publicações online. Contrariando o OSCAR, eles não se esqueceram de Greta Garbo (Melhor Atriz em 1935 por “Anna Karenina / Idem” e  em 1937 por “A Dama das Camélias / Camille”), Alfred Hitchcock (Melhor Diretor em 1938 por “A Dama Oculta / The Lady Vanishes”), Charles Chaplin (Melhor Ator em 1940 por “O Grande Ditador / The Great Dictator”), “Cidadão Kane / Citizen Kane” (Melhor Filme em 1942), Deborah Kerr (Melhor Atriz em 1947 por “Narciso Negro / Black Narcissus”, em 1957 por “O Céu por Testemunha / Heaven Knows, Mr. Allison” e em 1960 por “Peregrino da Esperança / The Sundowners”), Charles Boyer (Melhor Ator Coadjuvante em 1974 por “Stavisky / Idem”) etc.


Este ano, há alguns dias, os críticos do NEW YORK FILM CRITICS CIRCLE AWARDS levaram cinco horas discutindo sobre as obras pré-selecionadas, terminando por atribuir três prêmios ao thriller “A Hora Mais Escura / Zero Dark Thirty”: Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Fotografia. “Lincoln”, de Steven Spielberg, recebeu também três prêmios, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro. A produção europeia “Amour” venceu o troféu de Melhor Filme Estrangeiro. Há aspectos interessantes a ressaltar nessa premiação, embora eu tenha assistido até o momento apenas um dos premiados: o sombrio e extraordinário “Amour”. Surpreendeu-me o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante para o canastrão Matthew McConaughey. Sally Field é uma veterana que sempre antipatizei (sinto algo parecido por Shirley Temple, Kim Novak, Tony Curtis, Kirk Douglas, Richard Burton e Julie Andrews), mesmo ciente do seu talento como intérprete. Já a realizadora Kathryn Bigelow, ex-senhora James Cameron, nunca me convenceu. Não custa lembrar que o OSCAR em 2009 considerou, injustamente, o pretensioso e chatíssimo “Guerra ao Terror / The Hurt Locker” o Melhor Filme do ano, sacrificando “Avatar / Idem”. Fiquei contente com os prêmios atribuídos a Daniel Day-Lewis, Rachel Weisz, “Amour” e “Frankenweenie”. Tomara que sejam repetidos no Oscar. A divulgação dos candidatos oficiais, pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, sai dia 15 de janeiro. A cerimônia do OSCAR acontece dia 24 de fevereiro no teatro do Hollywood & Highlander Center, conhecido como Teatro Kodak.

Confira, abaixo, a listagem dos vencedores:

MELHOR FILME
“A Hora Mais Escura”

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
“Amour” (Áustria)

MELHOR ANIMAÇÃO
“Frankenweenie”

MELHOR DOCUMENTÁRIO
“The Central Park Five”

MELHOR DIRETOR
Kathryn Bigelow por “A Hora Mais Escura”

MELHOR ROTEIRO
Tony Kushner por “Lincoln”

MELHOR FOTOGRAFIA
Greig Fraser por “A Hora Mais Escura”

MELHOR ATOR
Daniel Day-Lewis em “Lincoln”

MELHOR ATRIZ
Rachel Weisz em “The Deep Blue Sea”

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Matthew McConaughey em “Bernie”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Sally Field em “Lincoln”

MELHOR PRIMEIRO FILME
“How to Survive a Plague”, de David France

SAIBA MAIS SOBRE OS FILMES PREMIADOS

A HORA MAIS ESCURA
de Kathryn Bigelow

Um pequeno grupo de soldados de elite das forças especiais do exército norte-americano é enviado numa missão especial e perigosa que tem como alvo Osama Bin Laden, um dos homens mais procurados do mundo. Apesar de distribuído pela Columbia Pictures, é uma legítima produção independente, já que foi produzido por um pequeno estúdio, a Annapurna Pictures. Ele está na corrida ao Oscar, ao lado de “The Master”, de Paul Thomas Anderson; “Moonrise Kingdom”, de Wes Anderson; “Argo”, de Ben Aflleck; “Silver Linings Playbook”, de David O. Russell e “A Viagem / Cloud Atlas”, de Irmãos Wachowski e Tom Tykwer.



LINCOLN
de Steven Spielberg

Baseado no livro “Team of Rivals: The Genius of Abraham Lincoln”, de Doris Kearns Goodwin, aborda a participação do décimo sexto presidente norte-americano na Guerra Civil, que acabou com a vitória do Norte. Spielberg sabe como contar uma história, pena que tenha um pé no patriótico e no melodramático. E quanto a Daniel Day-Lewis, que faz o papel do lendário presidente,  talvez seja o maior ator do cinema atual. Seus grandes concorrentes ao Oscar do próximo ano são Joaquin Phoenix, Philip Seymour Hoffman e Anthony Hopkins. Ainda no elenco dessa cinebiografia, Tommy Lee Jones e James Spader.



AMOUR
de Michael Haneke

Georges (o ícone Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva, de "Hiroshima, Mon Amour", 1959) são um casal de aposentados que costumava dar aulas de música. Eles têm uma filha musicista que vive em um país estrangeiro. Quando Anne sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado, o amor do idoso casal é colocado em teste. Palma de Ouro de Melhor Filme no Festival de Cannes. Ainda no elenco, a fabulosa Isabelle Huppert. O Oscar de Melhor Filme Estrangeiro é quase certo para “Amour”. Tem apenas um único concorrente de peso, o francês “Intocáveis / Intouchables”. Ou seja, mais uma vez, bye bye Brasil.



THE DEEP BLUE SEA
de Terence Davies

Estou ansioso para assisti-lo. Adaptação de uma peça de Terence Rattigan, já filmada em 1955 por Anatole Litvak com fenomenal atuação de Vivien Leigh (título no Brasil, “O Profundo Mar Azul”), fala sobre a esposa de um juiz que se envolve em um caso com um ex-piloto da Força Aérea Inglesa. Suicídio, paixão e amor são misturados em exaustão. Segundo os críticos, a performance elogiada de Rachel Weisz não garante colocá-la como uma das nomeadas ao próximo Oscar. Eles preferem apostar em Jessica Chastain e Jennifer  Lawrence - as favoritas -, Marion Cotillard, Helen Mirren, Keira Knightley ou Naomi Watts.



37 comentários:

João Roque disse...

Ainda é muito cedo para eu opinar sobre Óscares, mas um é certo e mais que justo: "Amour"...

Marcos Pedini disse...

jean louis trintignant, e classicos cmo E Deus criou a Mulher. aquele que sabe viver e Um Homem e uma Mulher

Tiago Britto disse...

Isso ai cara
A hora mais escura
Saiu na frente

M. disse...

Daniel Day-Lewis caiu como uma luva para o papel. Além de ótimo ator, tem semelhança forte com o personagem título.

Unknown disse...

Grande Nahud,o oscar pra mim sempre é uma incógnita. Ultimamente a academia vem nos pregando algumas peças, algumas até positivas, outras nem tanto. Prefiro não opinar agora, mas considero Michael Haneke um gênio. Ainda não assisti a Amour, mas sei que é um grande filme,e tem como antecedente o estatueta em Cannes! isso pode ser um fator influente. Um abraço

Gilberto Carlos disse...

Torço por Amor. Todas as críticas que li sobre ele foram ótimas.

Chico Lopes disse...

Legal, Nahud, esse teu post (aliás, como sempre). Desses filmes do Oscar, na verdade, estou interessado em ver DEEP BLUE SEA, que já foi feito como PROFUNDO MAR AZUL nos anos 50 com ninguém menos que Vivien Leigh. Acho que deve ter sido um considerável desafio pra Rachel Weisz (boa atriz e mulher bonita) encarar um papel que foi da grande Vivien. Quanto a Kathryn Bigelow, concordo com você: ela é superestimada e GUERRA AO TERROR foi só mais um filminho sem importância a não ser pra americanos, não entendi toda a badalação em cima dele. Agora, ela segue pela mesma trilha e é premiada. Previsível demais. Daniel Day Lewis é um ator maravilhoso e ninguém vai tirar dele o Oscar por LINCOLN, pelo jeito.

Eli Sandra disse...

Fiquei curiosíssima para ver "Lincoln". De fato, Daniel Day Lewis é um exímio ator e também o considero como sendo o melhor da atualidade: um artista profundo que se entrega de corpo e alma aos seus trabalhos e que interpreta sem querer dar um show de interpretação.
Ah, complementando, Antonio: finalmente encontrei alguém que antipatize com a Sally Field. Acho-a a cara de um boneco de ventríloquo.

Chico Lopes disse...

Todo mundo elogiou bastante a performance de Helen Mirren como Alma Reville, esposa de Alfred Hitchcock no filme sobre este. Será que ela estará indicada pro Oscar? A crítica não gostou muito do filme, mas sempre destacou a bela atuação de Mirren...

renatocinema disse...

“Frankenweenie” esse ganha minha torcida.......Tim Burton forever.

Marcelo C,M disse...

As ultimas premiações do Oscar não me empolgaram muito e serviram para mostrar que os membros da academia somente premiam filmes que não serão lembrados daqui a dez anos.

disse...

Muitos velhos conhecidos estão na disputa! Fico feliz com Daniel Day-Lewis e Rachel Weisz, ambos excelentes. Agora é esperar para ver.
Abraços!

Rodrigo Mendes disse...

Na maioria das vezes a Academia mais me decepcionou do que qualquer outra coisa. São inúmeras as injustiças, mas já sei lidar com isso, afinal é sempre uma opinião pessoal sobre um filme. De qualquer forma, estou no aguardo da cerimônia. O NYFCC pode realmente ter "ajustado" as injustiças com atores e filmes subestimados, ainda assim, é sempre um grupo de pessoas que decidem e cada qual com sua opinião.

Curioso pelo filme da Kathryn Bigelow e acredito que o novo do Spielberg irá levar a melhor, mas também tem "O Mestre" de PTA que poderá emplacar e derrotar os concorrentes. Veremos...

Abs.

Darci Fonseca disse...

Não vi nenhum desses filmes e sei que só verei um ou outro, como o de Tim Burton. Mas tenho a certeza que no próximo ano ninguém mais se lembrará deles. Esse parece ser o destino do cinema de 30 anos para cá. Saudade de 1970, por exemplo, quando John Wayne concorreu com Dustin Hoffman, Jon Voight, Richard Burton e Peter O'Toole como Melhor Ator. gente viva na memória de todos até hoje. Bela matéria, Sam - Darci Fonseca - Westerncinemania

Rubi disse...

Confesso que estou ansiosa também e Linconln já chama atenção pela direção, não? Ainda não conhecia o filme austríaco citado, vou dar uma olhada!

Cefas Carvalho disse...

Por puro feeling, a maioria dos prêmios vai ficar entre "Lincoln", "Argo" e "Os miseráveis", com "Beasts of southern wild" como o independente do ano.

Lorde Canhoto disse...

Daniel Day-Lewis , pra mim , é o melhor ator do mundo . por isso Lincoln é imperdível .

Abraço , Irmão !
estarei atento ao seu blog.

Fábio Henrique Carmo disse...

Nahud, já saíram os indicados ao Sindicato de Atores, que deverão ser os mesmos do Oscar. Veja a lista:

Melhor elenco:

Argo
O Exótico Hotel Marigold
Os Miseráveis
Lincoln
O Lado Bom da Vida

Melhor Ator:

Denzel Washington - O Voo
Daniel Day-Lewis - Lincoln
Hugh Jackman - Os Miseráveis
Bradley Cooper - O Lado Bom da Vida
John Hawkes - As Sessões

Melhor Atriz:

Helen Mirren - Hitchcock
Naomi Watts - O Impossível
Marion Cotillard - Rust & Bone
Jennifer Lawrence - O Lado Bom da Vida
Jessica Chastain - A Hora mais Escura

Melhor Ator Coadjuvante:

Alan Arkin - Argo
Tommy Lee Jones - Lincoln
Philip Seymour Hoffman - The Master
Robert DeNiro - O Lado Bom da Vida
Javier Bardem - 007 - Operação Skyfall

Melhor Atriz Coadjuvante:

Maggie Smith - O Exótico Hotel Marigold
Anne Hathaway - Os Miseráveis
Sally Field - Lincoln
Nicole Kidman - The Paperboy
Helen Hunt - As Sessões


Abraço!

Fernando Sobrinho disse...

Daniel Day-Lewis já reservou espaço na estante e os colegas vão querer que ele se torne "hors concours" e " Intocáveis" deve ser barbada no Oscar de filme estrangeiro...

Tiago Britto disse...

Muito bem pontuado. Concordo com quase tudo.

Suzane Weck disse...

Ola Falcão,ainda não vi nenhum deles,vou esperar mais um pouquinho para dar minha opinião.Adorei a visitinha.Beijus...SU

Márcio Sallem disse...

Boa amigo. Estou acompanhando intensamente os screeners sobretudo daqueles que não devem vir para o Brasil. Deixo a dica para conferirem, como puderem, os docs: First Position, Central Park Five, How to Survive a Plague, Ai Weiwei: Never Sorry, The Imposter.

Renato Hemesath disse...

Nossa... a Rachel Weisz e a Sally Field; duas atrizes memoráveis. Não sabia que o nome delas estava na lista. Torcerei por ambas, principalmente depois de ver The Deep Blue Sea.

annastesia disse...

Aguardando as indicações. Gostei muito de Amour e The deep blue sea. Curiosa para assistir Lincoln e Zero dark thirty. Abraços cinéfilos Antonio!

O Narrador Subjectivo disse...

Sinto-me um pouco dividido quanto a Zero Dark Thirty ser eleito como o melhor filme do ano; gosto da realizadora, mas achei The Hurt Locker o seu trabalho mais fraco! Acho que este novo filme pode ser muito, muito melhor mas talvez não garanta novo Óscar para Bigelow. Mas vamos ver...

http://onarradorsubjectivo.blogspot.pt/

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

AMOUR é um grande filme, João Roque. Sem dúvida um dos melhores deste ano.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Trintignant é fabuloso, Pedini. Sempre.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Realmente, M., Day-Lewis está a cara do verdadeiro Abraham Lincoln.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tambem tô ansioso para ver DEEP BLUE SEA, Chico. Gostei muito de O PROFUNDO MAR AZUL.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Pois é, Eli, a Sally Field é muito chata.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Creio que Helen Mirren ficará entre as cinco nomeadas ao Oscar de Melhor Atriz 2013, Chico.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também estou com "Frankenweenie", Reato. E viva Burton!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gosto de todos os filmes de Paul Thomas Anderson. Ele é brilhante. Tô morrendo de vontade de ver O MESTRE, Rodrigo.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Um elenco de peso, Fábio.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

INTOCÁVEIS é um belo filme, Fernando, mas fico com AMOUR.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Não suportei "The Hurt Locker", O Narrador Subjectivo.

Jamil disse...

Seria lindo se o Jean-Louis Trintignant concorresse ao Oscar por Amour.