Caros Amigos

janeiro 26, 2012

************* OSCAR 2012: OS FAVORITOS





"Uma Vida de Gato" concorre a Melhor Animação





O OSCAR deste ano está um prato cheio – e da melhor qualidade – para qualquer cinéfilo. Não houve realmente nenhuma excepcional surpresa, mas fiquei particularmente contente com as indicações do poético (e complexo) “A Árvore da Vida / The Tree of Life” – que concorre aos prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Fotografia – e do extraordinário veterano Max von Sydow, um dos atores fetiches do mestre Bergman. Como era de se esperar, a musa Meryl Streep disputa mais uma vez a estatueta. “A Invenção de Hugo Cabret / Hugo” (Martin Scorcese), “O Artista / The Artist” (Michel Hazanovicius) e “Os Descendentes / The Descendants” (Alexander Payne) lideram as indicações, com 11, 10 e 6, respectivamente. Sergio Mendes e Carlinhos Brown concorrem ao prêmio de Melhor Canção Original, pelo tema da animação "Rio / Idem". 





O longa brasileiro inscrito para concorrer ao prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira, "Tropa de Elite 2", está fora da disputa, provando que a nossa comissão de seleção nada entende de Oscar ("O Palhaço" teria mais possibilidades). Senti falta de Leonardo DiCaprio e Clint Eastwood (“J. Edgar / Idem”); Roman Polanski, Jodie Foster e Kate Winslet ("Deus da Carnificina / Carnage"); Tilda Swinton (“Precisamos Falar Sobre o Kevin / We Need to Talk About Kevin”) e do incompreendido “Melancolia / Melancholia”. Os vencedores serão revelados no dia 26 de fevereiro no Kodak Theatre, em Los Angeles, com apresentação de Billy Crystal, que volta ao comando da cerimônia após oito anos. Dos indicados, selecionei 10 que prezo especialmente, lembrando suas trajetórias. Apenas  3 deles tem o OSCAR no currículo, e possivelmente para um ou outro é a última chance de levar a cobiçada estatueta, já que a idade avançada não permite muitos anos mais de vida profissional. Por fim, minhas apostas e preferências. Pensa parecido, caro leitor?




DIRETORES



MARTIN SCORSESE
(69 anos)



DIRETOR: 7 indicações (“O Touro Indomável / Raging Bull”, 1980; “A Última Tentação de Cristo / The Last Temptation of Christ”, 1988; “Os Bons Companheiros / Goodfellas”, 1990; “Gangues de Nova York / Gangs of New York”, 2002; “O Aviador / The Aviator”, 2004; “Os Infiltrados / The Departed”, 2006; “A Invenção de Hugo Cabret”, 2011).

1 estatueta (“Os Infiltrados”, 2006)

ROTEIRISTA: 2 Indicações (“Os Bons Companheiros”, 1990; “A Época da Inocência / The Age of Innocence”, 1993).


Um dos mais brilhantes cineastas contemporâneos. Admirado mundialmente, nunca se limitou a um gênero (embora se destaque ao abordar o submundo da Máfia), combinando técnica e emoção com um forte impacto visual. Admirador de Michael Powell e Luchino Visconti, estreou no cinema em 1966, fazendo parceria famosa com os atores Robert De Niro, Harvey Keitel e Leonardo DiCaprio.




TERRENCE MALICK
(68 anos)



DIRETOR: 2 indicações (“Além da Linha Vermelha / Thin Red Line”, 1998; “A Árvore da Vida”, 2011).

ROTEIRISTA: 1 indicação (“Além da Linha Vermelha”, 1998).


Trabalhou como jornalista na “Newsweek”, “Life” e “New Yorker”; como professor de filosofia e roteirista em “Meu Nome é Jim Kane / Pocket Money” (1972), de Stuart Rosemberg. No ano seguinte, dirigiu “Terra de Ninguém / Badlands”. Conseguiu grande reputação com a crítica, revelou estrelas (Richard Gere, Sissy Spacek etc.) e tem como marca o perfeccionismo. Meticuloso, passa anos preparando seus filmes. Um talento inegável que se tornou cult.




WOODY ALLEN
(76 anos)



DIRETOR: 7 indicações (“Noivo Neurótico, Noiva Nervosa / Annie Hall”, 1977; “Interiores / Interiors”, 1978; “Broadway Danny Rose / Idem”, 1984; “Hannah e suas Irmãs / Hannah and her Sisters”, 1986; “Crimes e Pecados / Crimes and Misdemeanors”, 1989; “Tiros na Broadway / Bullets over Broadway”, 1994; “Meia-Noite em Paris / Midnight in Paris”, 2011).

1 estatueta (“Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”, 1977)

ROTEIRISTA: 15 indicações (“Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”, 1977; “Interiores”, 1978; “Manhattan / Idem”, 1979; “Broadway Danny Rose”, 1984; “A Rosa Púrpura do Cairo / The Purple Rose of Cairo”, 1985; “Hannah e suas Irmãs”, 1986; “A Era do Rádio / Radio Days”, 1986; “Crimes e Pecados”, 1989; “Simplesmente Alice / Alice” (1990); “Maridos e Esposas / Husbands and Wives”, 1992; “Tiros na Broadway”, 1994; “Poderosa Afrodite / Mighty Aphrodite”, 1995; “Desconstruindo Harry / Deconstructing Harry”, 1997; “Ponto Final – Match Point / Macht Point”, 2005; “Meia-Noite em Paris, 2011).

2 estatuetas (“Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”, 1977; “Hannah e suas Irmãs”, 1986)

ATOR: 1 indicação (“Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”, 1977).


O seu estilo mistura introspecção cômica e confusão. Um humor intelectualizado, típico de judeu nova-iorquino, que não é para todos os gostos, não provoca gargalhadas. Começou a aparecer e a ser reconhecido na adolescência, escrevendo piadas para programas de televisão. Estreou no cinema como roteirista e ator em “O Que é Que Há, Gatinha? / What’s New Pussycat” (1965). A partir dos anos 70, as suas desventuras e agonias chegaram ao público internacional, numa carreira que inclui homenagens a Ingmar Bergman, Federico Fellini, aos musicais hollywoodianos e ao expressionismo alemão. Foi casado com as atrizes Louise Lasser, Mia Farrow e Diane Keaton. Os seus filmes fracassam regularmente nos Estados Unidos e tem melhor repercussão na Europa. Autor de obras-primas, nos últimos anos raramente acerta no alvo, principalmente pela escolha equivocada do elenco.




ATRIZES


GLENN CLOSE
(64 anos)



6 indicações (“O Mundo Segundo Garp / The World Accorting to Garp”, 1982; “O Reencontro / The Big Chill”, 1983; “Um Homem Fora de Série / The Natural”, 1984; “Atração Fatal / Fatal Attraction”, 1987; “Ligações Perigosas / Dangerous Liaisons”, 1988; “Albert Nobbs / Idem”, 2011).


Presença constante nos palcos da Broadway, estreou no cinema com sucesso, no papel da mãe de Robin Williams em “O Mundo Segundo Garp” (1982). Elegante e inteligente, sempre demonstrou forte presença nos papéis que desempenhou. Em decadência depois de uma série de atuações caricatas, retornou o ano passado ao topo - de onde nunca deveria ter saído.




MERYL STREEP
(62 anos)



17 indicações (“O Franco Atirador / The Deer Hunter”, 1978; “Kramer Vs. Kramer / idem” 1979; “A Mulher do Tenente Francês / The French Lieutenant’s Woman”, 1981; “A Escolha de Sofia / Sophie’s Choice”, 1982; “Silkwood – O Retrato de uma Coragem / Silkwood”, 1983; “Entre Dois Amores / Out of Africa”, 1985; “Ironweed” / Idem”, 1987; “Um Grito no Escuro / Evil Angels”, 1988; “Lembranças de Hollywood / Postcards from the Edge”, 1990; “As Pontes de Madison / The Bridges of Madison County”, 1995; “Um Amor Verdadeiro / One True Thing”, 1998; “Música do Coração / Music of the Heart”, 1999; “Adaptação / Adaptation”, 2002; “O Diabo Veste Prada / The Devil Wears Prada”, 2006; “Dúvida / Doubt”, 2008; “Julie & Júlia / Idem”, 2009; “A Dama de Ferro / The Iron Lady”, 2011).

2 estatuetas (“Kramer Vs. Kramer / idem”, 1979; “A Escolha de Sofia”, 1982)


Alcançou reputação na Broadway, antes de estrear no cinema num pequeno papel em “Júlia / Idem” (1977), de Fred Zinnemann. Sua versatilidade é notória e apesar de ser capaz de excelentes desempenhos, durante muito tempo foi antipatizada pelo público. Para desfazer a fama de atriz fria, fez uma série de comédias. Hoje é unanimidade internacional com mais de 100 prêmios na bagagem.




VIOLA DAVIS
(46 anos)



2 indicações (“Dúvida”, 2008; “Histórias Cruzadas / The Help”, 2011).


Estreou em “Substance of Fire” (1996), mas só foi realmente percebida na brilhante participação como a Sra. Miller – apenas oito minutos em cena- em “Dúvida”. Antes fez seriados e filmes para a tevê. Aclamada atriz dramática, levou vários prêmios por suas performances nos palcos.




ATORES


CHRISTOPHER PLUMMER
(82 anos)



2 indicações (“A Última Estação / The Last Station”, 2006; “Toda Forma de Amor / Beginners”, 2011).


A carreira deste ator canadense é uma incógnita. Excelente ator e protagonista de grandes êxitos (“A Queda do Império Romano / The Fall of the Roman Empire”, 1964; “A Noviça Rebelde / The Sound of Music”, 1965; “À Procura do Destino / Inside Daisy Clover”, 1965 etc.), nunca se tornou uma estrela. Famoso por seus papéis no teatro e na televisão, nos últimos anos vem sendo reconhecido como um dos maiores veteranos em atividade.




GEORGE CLOONEY
(51 anos)



ATOR: 4 indicações (“Syriana – A Indústria do Petróleo / Syriana”, 2005; “Conduta de Risco / Michael Clayton”, 2007; “Amor sem Escalas / Up in the Air”, 2009; “Os Descendentes”, 2011).

1 estatueta (“Syriana – A Indústria do Petróleo”)

DIRETOR: 1 indicação (“Boa Noite e Boa Sorte / Good Night, and Good Luck”, 2005).

ROTEIRISTA: 2 indicações (“Boa Noite e Boa Sorte”, 2005; “Tudo Pelo Poder / The Ides of March”, 2011).


Depois de grande popularidade com o seriado “E/R” (1984/85), investiu no cinema comercial, tornando-se um astro. Inesperadamente, deu uma reviravolta, participando de projetos ousados e com temáticas sociais. Além de atuar, trabalha como diretor e roteirista. É considerado um dos mais belos atores do cinema atual.




MAX VON SYDOW
(82 anos)



2 indicações (“Pelle, o Conquistador / Pelle Erobreren”, 1987; “Tão forte e Tão Perto / Extremely Loud & Incredibly Close”, 2011).


Uma aclamada carreira nos palcos suecos foi seguida de um feliz encontro com o diretor Ingmar Bergman, o qual resultou em uma série de clássicos. Alto, loiro e lúgubre, é perfeito para filmes sombrios, meditativos e psicologicamente intensos. Tem uma carreira fértil entre as produções européia de renome e os filmes convencionais de Hollywood. Em 1988 dirigiu “Katinka”.




NICK NOLTE
(70 anos)



3 indicações (“O Príncipe das Marés / The Prince of Tides”, 1991; “Temporada de Caça / Affliction”, 1997; “Guerreiro / Warrior”, 2011).


Um ator versátil com fama de difícil. Na juventude foi um atleta campeão e um rebelde sem causa. Durante 20 anos viajou pelos Estados Unidos fazendo teatro. Em 1973 foi chamado para a minissérie “Pobre Menino Rico / Rich Man, Poor Man”, que foi um sucesso mundial. Tornou-se um dos grandes astros de Hollywood, com atuações notáveis. De aspecto rude, teve problemas com as drogas e vários fracassos profissionais.







APOSTAS


MELHOR FILME: “Os Descendentes”; MELHOR FILME ESTRANGEIRO: “A Separação / Jodaeiye Nader az Simin” (Irã); MELHOR DIRETOR: Alexander Payne (“Os Descendentes”); MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Woody Allen (“Meia-Noite em Paris”); MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: George Clooney, Beau Willimon e Grant Heslov (“Tudo pelo Poder”); MELHOR FOTOGRAFIA: Robert Richardson “A Invenção de Hugo Cabret”; MELHOR ATRIZ: Meryl Streep (“A Dama de Ferro”); MELHOR ATOR: George Clooney (“Os Descendentes”); MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Jessica Chastain (“Histórias Cruzadas”); MELHOR ATOR COADJUVANTE: Christopher Plummer (“Toda Forma de Amor”); MELHOR TRILHA SONORA: Howard Shore ("A Invenção de Hugo Cabret"); MELHOR EDIÇÃO: Thelma Scoonmaker em "A Invenção de Hugo Cabret"; MELHOR DOCUMENTÁRIO: “Pina / Idem”; MELHOR ANIMAÇÃO: “Rango / Idem”.



PREFERÊNCIAS


MELHOR FILME: “A Árvore da Vida”; MELHOR FILME ESTRANGEIRO: “In Darkness” (Polônia); MELHOR DIRETOR: Terrence Malick (“A Árvore da Vida”); MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Woody Allen (“Meia-Noite em Paris”); MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: John Logan (“A Invenção de Hugo Cabret”); MELHOR FOTOGRAFIA: Emmanuel Lubezki (“A Árvore da Vida”); MELHOR ATRIZ: Meryl Streep (“A Dama de Ferro”); MELHOR ATOR: George Clooney (“Os Descendentes”); MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Jessica Chastain (“Histórias Cruzadas”); MELHOR ATOR COADJUVANTE: Max von Sydow (“Tão Forte e Tão Perto”); MELHOR TRILHA SONORA: Alberto Iglesias ("O Espião Que Sabia Demais / Tinker Taylor Soldier Spy"); MELHOR EDIÇÃO:  Thelma Schoonmaker em "A Invenção de Hugo Cabret"; MELHOR DOCUMENTÁRIO: “Pina”; MELHOR ANIMAÇÃO: “Um Gato em Paris / Une Vie de Chat”.





"O Artista" 





55 comentários:

Fabi disse...

esses Oscar está perfeito!

Márcio Sallem disse...

Senti falta de Melancolia, Os Homens que não Amavam as Mulheres e Tudo pelo Poder nos 10 melhores. Além de DiCaprio, Fassbender e Tilda Swinton bem destacados na publicação.

Fábio Henrique Carmo disse...

Só faço minhas apostas depois que os prêmios dos Sindicatos saírem. Um deles já saiu, o dos Produtores, que premiou "O Artista" como melhor filme. Mas ele não conseguiu prever animação, que foi para "As Aventuras de Tintim", que sequer foi indicado ao Oscar (fiquei chocado). Portanto, esse vai ser um ano bem difícil. Tudo pode acontecer.

Victor Ramos (Jerome) disse...

Boa lista a sua, Antônio. No meu caso, espero que A Árvore da Vida leve o de melhor filme. Mas acho que O Artista leva esse.

Eia meu texto para A Árvore da Vida: http://injecaocinefila.wordpress.com/2012/01/19/a-arvore-da-vida-the-tree-of-life-2011/

Abs!

pinguim disse...

Os teus prognósticos são bastante válidos, embora eu esteja de acordo mais com as tuas preferências.
Penso que Meryl Streep é um caso certo, mas é preciso contar com uma luta grande entre 3 filmes para os prémios, principalmente do melhor filme e do melhor director: "Hugo", "Os descendentes" e... "O Artista", sendo que o melhor actor poderá cair no intérprete deste último filme.
Nos secundários, Jessica Chastain parece reunir consensos, mas a luta será grande entre Max von Sydow e Christopher Plummer.

Astroterapia Junguiana disse...

Bom Dia Antônio, nossa é muito bom passar por aqui e se atualizar no que está acontecendo no mundo cinematográfico, parabéns pelo post. Vou ficar atenta aos filmes. Abraço Cy.

Marcia Moreira disse...

Olá, Antonio.
Torço pelo "O Artista" levar os melhores prêmios e também pelo sambinha do "Rio" que merece muito. Senti falta de "J. Edgar" e "As aventuras de Tin Tin (injusto).

Gilberto Carlos disse...

Também torço por Meryl Streep, Jessica Chastain, Melhor roteiro original para Meia noite em Paris. Vamos aguardar a premiação, que é sempre uma surpresa.

Cefas Carvalho disse...

Gostei da separação entre "apostas" e "preferências". Também me surpreendi com a Academia ter indicado "A árvore da vida", poético e lento,que passou batido no Globo de Ouro e no Bafta.

Danielle Carvalho disse...

Oi, Antonio.

Você acha mesmo que o Oscar desse ano está um "prato cheio" para os cinéfilos. Colega, sou obrigada a discordar totalmente de ti. Você viu "Os Descendentes", o favorito? Vi-o ontem e, francamente, ele não passa de um draminha mediano; e Clooney demonstra lá cabalmente que não anda dando pra drama - embora não esteja ridículo, está esquemático, duro e ganha um banho feio da menina que faz a filha mais velha dele - ela sim, ótima.
E mais, "A árvore da vida", "Meia-noite em Paris", dois pretensiosos que só fizeram me deixar com sono no cinema. E o "Cavalo de Guerra", só indicado por causa da propaganda viral poderosa lançada pela produtora... Deixarem de lado "Melancolia" foi um absurdo, e ainda mais a Kirsten Dunst, e só o fizeram por causa que o diretor dele meteu os pés pelas mãos em Cannes. Hollywood pasteurizou não só o cinema como o cérebro da Academia e eu estou tão desapontada que esta é a única vez que pretendo falar a esse respeito. A única coisa boa da premiação, a ÚNICA, é o fato de ela obrigar o Brasil a comprar "O Artista".

Bjs

PS: O que foi aquele drama que você fez no meu blog? O fato de eu não comentá-lo sempre não quer dizer que eu não o leia, viu (embora você sabe que eu não consigo ler tudo o que você escreve, uma vez que você é rápido demais para mim!).

M. disse...

Concordo com Danielle Carvalho: as produções deste ano são um "prato cheio para os cinéfilos".

Alan Raspante disse...

Fiquei contente com a indicação de Meryl Streep. E, principalmente, pelas indicações de Midnight in Paris!

Sandra disse...

Pela criatividade, The artist merece.

Rato disse...

Parto do princípio de que todos esses filmes já estrearam no Brasil, ou não se poderiam fazer apostas ou revelar preferências. Assim sendo, só tenho de lamentar o atraso com que a grande maioria chega à Europa, nomeadamente aqui a Portugal. E todos os anos é a mesma coisa: a gente assiste à cerimónia (ou assistia, pessoalmente há muito que esgotei a paciência, aquilo está cada vez mais uma "feira de vaidades" com muito pouco apreço pelo cinema) sem sequer ter visto os filmes e por isso nunca se pode ter grandes perspectivas.

O Rato Cinéfilo

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Pois é, Márcio, o que será que houve com O HOMEM QUE NÃO AMAVA AS MULHERES? A crítica não gostou?

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Acho difícil a vitória de O ARTISTA, Fábio. Não podemos esquecer que é um filme de produção francesa.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Conheço o o seu texto sobre A ÁRVORE DA VIDA, Victor. Muito bom.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Sydow, Plummer, Nolte e Branagh... que disputa difícil... mas torço por Sydow, embora ficaria contente também com a vitória de Plummer ou Nolte. Eles merecem.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Márcia, também acho uma injustiça o "esquecimento" de J. EDGAR e AS AVENTURAS DE TINTIM (muito melhor que CAVALO DE GUERRA, inclusive). E DiCaprio? Que sacanagem! Ele está ótimo.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

A vitória de Allen como roteirista é praticamente certa, Gilçberto. Mas a Meryl vai enfrentar a Viola e a Michele.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Dani, também achei OS DESCENDENTES mediano, assim como MEIA-NOITE EM PARIS e CAVALO DE GUERRA, mas falo de "prato cheio" em relação aos talentos envolvidos: Scorsese, Allen, Streep, Sydow etc.
O "draminha" não foi nada problemático... rs... só um pedido tipo não me abandone, gosto de vc.
Beijos

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Realmente quase todos já estrearam no Brasil, Rato... Além disso, vi alguns na net...

Mário Zaparoli disse...

Ainda não vi praticamente nenhum dos filmes indicados, começarei a maratona antes do Oscar! :)]

Edison Eduardo d:-) disse...

Olá, Antonio... Sumidinho eu mas, qdo passo, já aproveito para pôr tudo em dia... Não tenho acompanhado muito os filmes do Oscar apesar de ter ficado a vontade de ver "O Artista" devido à ótima propaganda que a Danielle do "Filmes, filmes, filmes" faz dele... Prestarei atenção aos seus preferenciais mesmo pq até lá não dará tempo de ver todos... Aquele abraço! Edison Eduardo d:-)

Rejane Bruck disse...

Adoro Woody Allen! Ótima a lista!
Parabéns pelo blog e sucesso!!!

Jamil disse...

Excelente post, Falcão Nahud.
O vídeo com todas as indicações de Meryl é muito bom. Tô com ela, embora goste também da Michele Williams, uma das nossas melhores atrizes jovens.

Tunin disse...

Que ganhe o melhor!
Abraços.

As Tertulías disse...

Arrasou... como sempre!!!!

Vou assistir "The Artist" amanha à noite!!!! iupppiii!!!!!

ianna disse...

Excelente Post!! vi seu blog no
@BlogMonteOlimpo

José Carlos Saenger disse...

Requer tempo para definir e eu nao assisti a todos eles, rs! Qq julgamento agora seria precipitado.

Maria Paulina Arruda disse...

É muito chique isso! Obrigado

André disse...

Não gostei muito dos indicados este ano, muitos foram ignorados(Ryan Gosling, DiCaprio,Tilda, Fassbender, Mulligan, Albert Brooks) e outros nem mereciam está na lista na minha humilde opinião.
Vamos aguardar o resultado do Sag para ver com o panorama das premiações seguirá, ressalto q não podemos arriscar palpites já que ao meu ver não temos francos favoritos e tudo pode acontecer na cerimônia.

linezinha disse...

Os Descendentes tem grandes chances de ganhar melhor filme do ano apesar de eu tb achar mediano e torço que saia para a Meryl Streep e o Max Von Sydow.
Abç

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Edison, tudo bem? Bom tê-lo por aqui. Também ainda não vi O ARTISTA, mas tenho certeza que gostarei.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também gosto da Michele, Jamil. Realmente é uma boa atriz.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também estou com Meryl e Max, Linezinha. Grande abraço.

tozzi disse...

Fiquei contente com a indicação de Nick Nolte. O cara é muito bom e anda meio esquecido, talvez por ter uma personalidade difícil.

tozzi disse...

O que a Academia faz com a Meryl Streep é uma sacanagem. ELa é a atriz com o maior número de indicações, mas por tabela a que mais perdeu o Oscar. Espero que esse ano ela não saia de mãos abanando perdendo a estatueta para Viola Davis, que é boa, mas tem apenas um papel coadjuvante em Histórias Cruzadas.

tozzi disse...

Finalizando, Nahud, o Clooney não me convence mesmo. Sei que tem boas intenções, mas seus filmes como diretor são apenas "politicamente corretos", sem nenhum talento especial (o Redford, por exemplo, é bem melhor), e como ator ele tá sempre com aquela expressão de tédio. Ele jamais merecia essa indicação por Os Descendentes, o DiCaprio (J. Edgar) e o Ryan Gosing (Drive) estão bem melhores.

Mario disse...

Todavía no defino por quien votaría en el Oscar, estoy tratando de ver todas las películas y después sacaré conclusiones, me agradan los que has escogido, me parece una gala muy competitiva, muy interesante. Saludos.

Rafa Amaral disse...

O filme que mais gostei desta safra, até o momento, é A Separação. Impecável. Este ano o Oscar apelou aos filmes otimistas, com mensagens sobre um universo que pode melhorar. Em oposição ao momento que vivem, hoje, nos Estados Unidos. Abraços. http://cinemavelho.com

Elisabete Cardoso disse...

Não vi quase nada, mas gostava que o filme do Woody Allen fosse o melhor :) Ouvi dizer que também é o melhor do ano para Tarantino. Quanto ao actor, deve ser Clooney a ganhar, mas gostava de ver o Gary Oldman ganhar (é um grande actor, pena passar ao lado de uma grande carreira). As actrizes só deve dar Meryl Streep. A Michelle Williams ainda tem que andar mais um bocadinho e a Glenn Close nunca mais se viu.

disse...

Também senti falta de indicações para o filme J. Edgar. Fiquei muito feliz ao ouvir o nome do grande veterano Max von Sydow.
Boas apostas!
Abraços!

Paulo Néry disse...

Grande ator o Sydow!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também acho o Nolte muito bom, muito expressivo, Tozzi. O PRÍNCIPE DAS MARÉS e CABO DO MEDO são dois grandes momentos de sua filmografia.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tozzi, acho o competente como ator e diretor. Está muito além de Gosling. Já Meryl, há muito merece um novo Oscar. Sua trajetória é impecável e única.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Ainda não vi A SEPARAÇÃO, Rafa. Mas confesso que não sou muito fã de filmes iranianos.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gary Oldman começou muito bem, Elisabete. Lembra de O AMOR NÃO TEM SEXO e DRÁCULA DE BRAM STOKER? Depois desandou, optando por filmes descartáveis.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

O Sydow merece esse Oscar, Lê. Ele é incrível. Já J. EDGAR me parece superior a OS DESCENDENTES. Creio que a Academia tem alguma birra com DiCaprio.

Enaldo disse...

Detesto Oscar.

Ligéia disse...

Dificilmente perco uma transmissão do Oscar, mesmo não tendo assistido à maioria dos filmes indicados. Não tenho tanta disponibilidade, infelizmente.Vou vendo na medida do meu possível. Vi, em diversas oportunidades, ausências que não dá pra entender, como essas que você citou. Acabei ficando cética em relação aos critérios de indicação e premiação. Mas, enfim...
Torço muito por Meryl Streep.

Abraço pra você.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Obrigado, Ligéia. Também estou torcendo por Meryl.

Leandra disse...

Do que vi, fico com "O Artista".

Faroeste disse...

Na verdade são todos bons representantes, não apenas filmes como atores e atrizes, quer principais ou coadjuvantes. Idem para o lado masculino.
Não gosto de antecipar opinições porque é terrivel nos decepcionar com o desacerto.
O melhor então é aguardar que o nosso Carlinhos leve a estatueta com sua boa musica para Rio e aceitar os resultados dos demais mesmo contrariando nossos desejos.
jurandir_lima@bol.com.br

Película Criativa disse...

A nossa comissão brasileira realmente não entende de Oscar para inscrever Tropa de Elite 2.

Também estou desenvolvendo as minhas previsões, mas as categorias de melhor ator e atriz não estão fáceis.
Parabéns pela lista!