janeiro 28, 2012

****** JEAN-LOUIS TRINTIGNANT, O ENIGMÁTICO



Com uma habilidade especial para personagens elegantes, contidos e sombrios, o carismático JEAN-LOUIS TRINTIGNANT (nasceu em 1930) é reconhecido como um dos mais importantes atores europeus. Sutil, cheio de nuances, sensível e inteligente, inicialmente foi considerado sem talento. Depois de estudar teatro com o lendário Gérard Philliphe, fez sua estréia nos palcos parisienses em 1951. No cinema, conseguiu sua grande chance em “E Deus Criou a Mulher / Et Dieu... Créa la Femme” (1956), o erótico e famoso filme de Roger Vadim, estrelando Brigitte Bardot, com quem o ator teve um affair bastante explorado pela mídia. Incomodado com o escândalo - Bardot era casada com Vadim - ele se alistou no exército, servindo na Argélia.

com romy schneider 
em  "paixões e duelo" (1961)
Nascido numa família rica, filho de um industrial, nos anos 60/70 atuou em uma série de longas politizados, mas conheceu a glória internacional em um clássico romântico, “Um Homem e Uma Mulher” (1966), ao lado da sofisticada Anouk Aimée (indicada por ele para o filme). Pouco depois, recusou o papel dado a Marlon Brando em “Último Tango em Paris / Ultimo Tango a Parigi” (1972) por causa das cenas de nudez que o roteiro determinava. Também não aceitou produções comerciais de Francis Ford Coppola, William Friedkin e Steven Spielberg, preferindo o cinema de autor. Segundo o diretor Eric Rohmer, JEAN-LOUIS TRINTIGNANT “é um ator no espírito dostoievskiano. Suas atuações se equilibram entre a luz e a sombra. Ele não suporta personagens superficiais, sem problemas”.


Casou-se duas vezes, a primeira com a atriz Stéphane Audran, e a segunda com a diretora e roteirista Nadine Trintignant, mãe de sua filha Marie. Nascida em 1962, a talentosa Marie Trintignant terminou brutalmente assassinada pelo namorado, o cantor Bertrand Cantat – da banda “Noir Désir” -, em 2003. Enciumado, ele agrediu-a até a morte num quarto de hotel, na Lituânia, onde ela filmava. Com fraturas no crânio e na face, a atriz teve o rosto desfigurado pela violência do criminoso. Conhecido como intelectual, o enigmático, tímido e melancólico JEAN-LOUIS TRINTIGNANT trabalhou em mais de 130 filmes, atuando entre a França e a Itália (sendo dublado) com diretores de prestígio como François Truffaut, Costa-Gavras, Ettore Scola, René Clement, Abel Gance, Valério Zurlini, Alain Cavelier, Dino Risi, Claude Chabrol, Bernardo Bertolucci e Michel Deville.

com jeanne moreau em "mata-hari" (1964)
“Tive o meu melhor trabalho como ator em ‘O Conformista’. É também o meu melhor filme”, confessou o ator. Como cineasta, dirigiu duas pérolas do humor negro, feitos com talento e perfeito domínio da técnica: “Um Dia dos Diabos / Une Journée Bien Remplie ou Neuf Meurtres Insolites dans une Même Journée par un Seul Homme dont ce N'est pas le Métier” (1973) e “Le Maître-Nageur” (1979). Urso de Prata de Melhor Ator no Festival de Berlim (“L’Homme Qui Ment”, 1968) e Melhor Ator no Festival de Cannes (“Z”, 1969), nos últimos anos JEAN-LOUIS TRINTIGNANT direcionou o seu trabalho exclusivamente para os palcos, mas está de volta – e em grande estilo - em “Amour” (2012), de Michael Hanake, ao lado de Isabelle Huppert.

com anouk aimée em "um homem, uma mulher"

10 VEZES TRINTIGNANT

Carlo Caremoli em
VERÃO VIOLENTO
(“Estate Violenta”, 1959)
de Valerio Zurlini
Com Eleonora Rossi-Drago e Jacqueline Sassard

Jean-Louis Duroc em
UM HOMEM, UMA MULHER
(“Un Homme et Une Femme”, 1966)
de Claude Lelouch
Com Anouk Aimée

Paul Thomas em
AS CORÇAS
(“Les Biches”, 1968)
de Claude Chabrol
Com Jacqueline Sassard e Stéphane Audran

O Juiz em
Z
(“Z”, 1969)
de Costa-Gavras
Com Yves Montand e Irene Papas

Jean Louis em
MINHA NOITE COM ELA
(“Ma Nuit Chez Maud”, 1969)
de Eric Rohmer
Com Françoise Fabian e Marie-Christine Barrault


Marcello Clereci em
O CONFORMISTA
(“Il Conformista”, 1970)
de Bernardo Bertolucci
Com Stefania Sandrelli e Dominique Sanda

Julien Vercel em
DE REPENTE, NUM DOMINGO
(“Vivement Dimanche!”, 1983)
de François Truffaut
Com Fanny Ardant

Scrutzler em
RENDEZ-VOUS
(“Idem”, 1985)
de André Téchiné
Com Juliette Binoche e Lambert Wilson

O Juiz em
A FRATERNIDADE É VERMELHA
(“Trois Couleurs: Rouge”, 1994)
de Krzysztof Kieslowski
Com Irène Jacob

Lucien Emmerich e Jean-Baptiste Emmerich em
TODOS QUE ME AMAM TOMARÃO O TREM
(“Ceux Qui M’Aiment Prendront Le Train”, 1998)
de Patrice Chéreau
Com Pascal Greggory e Dominique Blanc


39 comentários:

pinguim disse...

Um grande actor de quem sempre gostei muito.

Fabi disse...

mui talentoso!
gosto muito

Rubi disse...

Conheci este ator graças a minha admiração por Romy Schneider; digo isso pois quando assisti 'Paixões e Duelo' ainda não o conhecia. Ele tinha seu charme!

Karla Hack dos Santos disse...

Charmoso que só, convenhamos!
Também conheci ele através do trabalho da Romy!


;D

Tunin disse...

Muito talentoso!
Abraços.

Filmes Antigos Club disse...

Conheço pouquíssimos trabalhos deste ator, Nahud, mas doravante conhecerei um pouco mais ao ler seu brilhante post, aliás, nenhuma novidade em seu blog, já que tudo que vc escreve vale ouro. Parabéns e boa semana.

Paulo Néry

M. disse...

Vou me tornar fã desse cara só por ter lido o que você escreveu aqui em seu blog. Antonio, quando venho aqui tenho sempre uma competente e brilhante aula de cinema. Bom fim de semana!

Astroterapia Junguiana disse...

Dizem que os sagitarianos já nascem afortunados por serem possuidores do planeta Júpiter. O francÊs JEAN-LOUIS TRINTIGNANT era um sagitariano, nossa ele está com 81 anos. No caso dele já nasceu em uma família rica. Abraço Cynthia

O Narrador Subjectivo disse...

Um dos melhores de sempre, uma carreira cheia de grande filmes e interpretações subtis. Cumprimentos

Leonardo Alexander disse...

Muito bom poder saber mais sobre esse grande ator! Parabéns pela matéria!

clubedofilmeleleo.blogspot.com

disse...

Conheci-o através do trabalho de Truffaut, "De repente, num domingo". Uma pena que tenha sido o último filme deste cineasta!
Abraços!

Jamil disse...

Falcão Nahud, só você mesmo para lembrar o denso Trintignant. Fiquei feliz em saber que ele está de volta num grande papel.

Andrezza Vieira disse...

Antônil, eu não conhecia o ator, nunca assisti a esses filmes. Mas preciso admitir: faz-se muito interessante assistir a qualquer um deles tendo lido somente esta biografia do Trintignant! O estilo dos filmes dele parecem ser dignos de serem assistidos numa tarde inteira.
Obrigada pela visita no meu blog. Vou seguir aqui, abraço!

O Contador de Odisseias
www.ocontadordeodisseias.blogspot.com

Ana disse...

Desculpe não me ater ao assunto do post, mas PRECISO saber: em que loja/lugar do Brasil você encontrou DVD do filme "Ball of fire" para comprar???
Você disse em um outro blog que tinha um original...

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Rubi e Karla, ainda não vi PAIXÕES E DUELOS. Mas fiquei encantando com esse pequeno fragmento postado aqui... Conheço Trintignant com Romy em O TREM... Excelentes!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Paulo Néry, comece com O CONFORMISTA. Magistral (filme e ator).

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Obrigado, M. Também estou sempre aprendendo com o seu blog.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Como aprecio os sagitarianos, Cynthia. Tão especiais, tão longe do medíocre...

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Realmente uma pena, Rê. Truffaut faz falta.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Já pensou, Jamil, uma obra de Hanake com Trintignant e Huppert? Só a França para valorizar seus atores veteranos.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Obrigado, Andrezza. Apareça sempre.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Ana, primeiro tive BALL OF FIRE em VHS, numa coleção lançada por uma revista (ou um jornal). Ano passado, comprei o original em DVD num saldão em uma locadora de vídeo em Salvador.
Abraços

Adecio Moreira Jr. disse...

Está pra existir um muso tão indispensável quanto Trintignant...

João Palhares disse...

Ena, falta aí referência ao papel dele no "il grande silenzio"..

Pena disse...

Notável e Admirável Amigo Cinéfilo:
Um Post rico de conteúdo nas telas de sonho.
Um nome conhecido a reter: "...JEAN-LOUIS TRINTIGNANT (nasceu em 1930) é reconhecido como um dos mais importantes atores europeus..."
Mais uma escolha sua sublime.
MUITO OBRIGADO pela sua amizade.
É sempre uma honra recebê-lo no meu blog. O seu é fascinante.
Abraço amigo de respeito pela sua grandiosidade de carácter.
Sempre a admirá-lo no que concebe de maravilhar.

pena

MUITO OBRIGADO!
Bem-Haja, talentoso amigo.

Darci Fonseca disse...

Nahud, entre tantas excelentes lembranças você não citou "Aquele que sabe viver" (Il Sorpasso) em que Gassman domina o filme todo mas Trintignant consegue mostrar talento num papel bastante difícil do jovem que descobre a vida com o inesquecível tipo criado por Vittorio e Dino Risi.
Darci Fonseca - Cinewesternmania

linezinha disse...

Excelente ator! só conheço o filme Um homem,Uma mulher com a Anouk que é uma grande atriz que admiro muito,quero conhecer os filmes que ele fez com a Romy e que tragédia com a sua filha,era filha única Antonio? Abç

Luiz Santiago disse...

Um ator incrível!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

João, bem lembrado: o western O VINGADOR SILENCIO, de Corbucci, ao lado de Klau Kinski,

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Darci, considero AQUELE QUE SABE VIVER uma excelente comédia. Mas preferi não colocá-lo entre os 10 filmes selecionados de Trintignant, afinal o Gassman é a estrela absoluta da trama.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Linezinha, Jean-Louis teve três filhos, todos com a Nadine: Marie, Pauline e Vincent. Pauline morreu ainda criança.

J. BRUNO disse...

Hoje quando um ator se recusa a interpretar personagens vazios ou a trabalhar em produções puramente comerciais, ele é tico com radical, sisudo, retrógrado... Eu, contudo, tenho admiração por tal postura, isso prova que o artista, tem respeito não só pelo público mas também por si próprio. Obviamente não são todos que podem escolher com ele o fez, os que podem e escolhem, eu os admiro... Seu papel mais marcante para mim foi em "O Conformista", obra prima do mestre Bertolucci!

tozzi disse...

Sabia que Trintignant esteve no Brasil para divulgar Z e abandonou um programa de tevê, ao vivo, quando a apresentadora perguntou sobre o caso dele com a Brigitte Bardot?

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Não sabia, Tozzi... Também que pergunta despropositada... O caso já havia acabado desde os anos 50...

Leandra disse...

Um ator de verdade, sem concessões, sem tolas vaidades.

E. SANCHES disse...

Também não poderia de deixar minha homenagem a este grande ator que foi protagonista de um Clássico do Espaghetti Western conhecido "O Vingador Silencioso". Sucesso até hoje entre os fãs deste gênero

O VINGADOR SILENCIOSO
“IL GRANDE SILENZIO”
“THE GREAT SILENCE - USA”

Co-Produção: 1968
Itália – Espanha - França
Direção: Sergio Corbucci
Música: Ennio Morricone
Dirigida Por Bruno Nicolai
Duração: 110 Minutos
Fotografia: Silvano Ippoliti
História E Roteiro: Vittoriano Petrilii – Sergio & Bruno Corbucci
Produção: Adelphia Cop. Cinematografica
Distribuição original em VHS: J F Lucas.

Elenco: Klaus Kinski, Jean-louis Trintignant, Frank Wolff, Luigi Pistilli, Vonetta Mc Gee, Mario Brega, Carlo D’angelo, Marisa Merlini, Maria Mizar, Marisa Sally, Raf Baldassarre, Spartaco Conversi, Remo De Angelis e Mirella Pamphili.

Bando de assassinos sanguinários liderados pelo perverso “Loco-tigrero)” (Klaus Kinski) enconde-se sob a neve nas montanhas de Utah fronteira com México durante o inverno, local que servia abundantemente a esconderijos de bandidos.
Depois que o marido de Pauline se torna a última vítima de Loco, ela contrata um matador de aluguel, “Silence” (Jean-Louis Trintignant), para se vingar do facínora.
Com uma exuberante fotografia, trilha sonora e direção de especialistas, “O Vingador Silencioso” mostra com maestria a violência de um oeste imoral e sem honra. sem dúvida um dos mais influentes Euro-Westerns já feitos.
A hisória foi baseada em fatos reais ocorrida no ano de 1898 nas montanhas de Snow Hill, fronteira com o México.
As cenas exteriores foram filmadas na cidade de Ampezzo.
Tringnant bravo e convincente como o pistoleiro “Silence” e Klaus Kinski no papel de “Tigrero” é absolutamente cruel, aparecendo em sua melhor interpretação no gênero.
Com a provocante e charmosa música de Ennio Morricone, Corbucci produziu uma verdadeira obra de arte cinematográfica.
Fatos mencionam que a idéia de um pistoleiro mudo foi de seu amigo e ator Marcello Mastroianni.
Para quem sabe apreciar um bom Western-Espaguete com uma história inteligente.
Gostaria através deste post indicá-lo para os fãs assistirem e ver como o pistoleiro Silence saiu-se frente a "Tigrero" (Kinski).
Quem não assistiu vai se surpreender.

www.bangbangitaliana.blogspot.com

Emanuel Neto disse...

Até agora o único filme que vi de Trintignant foi IL GRANDE SILENZIO, de Sergio Corbucci, em que o ator francês interpreta o papel de um pistoleiro mudo.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Sanchez, grato pela informação detalhada. Vi O VINGADOR SILENCIOSO faz muito tempo e guardei ótimas impressões, principalmente porque adoro faroestes em terras nevadas. Considero-o um dos melhores spaghetti-westerns.
Abraços,

Faroeste disse...

Nós, cinéfilos brasileiros, nos sentimos alijados de ver fitas de outras praças. Conforme já citei, parece não haver interesses em nossos distribuidores, ou exibidores, na exibição de fitas européias, o que nos priva de ver belas e diferentes obras, mas não os condicionan a boas arrecadações com a possível pouca presença de publico.
jurandir_lima@bol.com.br