junho 05, 2011

****** CREPÚSCULO DOS DEUSES: NA MISÉRIA

bella darvi em "o egípcio"
Vida de estrela nem sempre é mar de rosas. Casos de atores e atrizes ricos e famosos revelam como terminaram na sarjeta, seja por vícios, golpes de parceiros ou péssima administração dos bens. O cinema retratou este final trágico em “Lágrimas Amargas / A Star” (1952). Bette Davis faz Margaret Elliot, atriz sem trabalho e sem dinheiro que um dia foi cortejada. O mundo desaba ao vender suas coisas e ir morar em um apartamento simplório. Começa a beber, e em uma das bebedeiras, é presa, voltando aos jornais, desta vez negativamente. Exatamente como na vida real. Glamour e tragédia caminham juntos.

Listo alguns exemplos. Confira.


VERONICA LAKE
(1919-1973)

Quando morreu, em julho de 1973, ela trabalhava em um drive-in, local onde se senta dentro do seu próprio carro para assistir filme ou namorar. No curso da curta e badalada carreira em filmes na Paramount Pictures, gastou milhões de dólares e passou por maridos gananciosos. Muito famosa no início da década de 1940, fez dupla romântica célebre com Alan Ladd. Uma das mulheres mais belas de sua época, cabelos dourados cobrindo parte do rosto imitados por garotas em todo o mundo. A comédia “Casei-me com uma Feiticeira / I Married a Witch” (1942), de René Clair, foi um dos seus maiores sucessos. Sua última aparição no cinema aconteceu em “Flesh Feast” (1970), medonho filme de horror. Faleceu três anos depois, vítima de hepatite, aos 53 anos.


GEORGE MÉLIÈS 
(1861-1938)

Percursor do cinema, utilizando inventivos efeitos fotográficos para criar mundos fantásticos. Produtor e diretor de obras-primas, entre elas a conhecida “Viagem à Lua / Le Voyage dans La Lune” (1902), terminou sobrevivendo de uma banca de bombons na estação de Montparnasse, em Paris. Considerado o pai do cinema fantástico, fez mais de 500 filmes e construiu o primeiro estúdio cinematográfico da Europa. Durante uma década divertiu crianças e adultos, sendo considerado o melhor cineasta do mundo. Chaplin o chamou de o alquimista da luz.


BUD ABBOTT 
(1895-1974) 
e LOU COSTELLO 
(1906-1959)

Dupla famosa da Universal, herdeiros do humor popular de “O Gordo e o Magro”, fizeram também rádio e televisão. Entre 1940 e 1956, atuaram em torno de 30 filmes. Nos anos 1950, tiveram êxito com o programa de TV “The Abbott and Costello Show”. No entanto, brigaram e se meteram em processo rumoroso. Costello morreu de ataque cardíaco, na mais completa miséria. Bud Abbott, atingido pelo imposto de renda, que exigiu pagamentos de antigas e enormes dívidas, se viu obrigado a vender sua casa e os direitos sobre os seus filmes. Pagava as contas dublando desenhos animados. Morreu de câncer, pobre e esquecido.


BELLA DARVI
(1928-1971)

Polaca, atuou em 15 filmes, destacando-se em “Tormenta sob os Mares / Hell and High Water” (1954), “O Egípcio / The Egyptian” (1954) e “Caminhos sem Volta / The Racers” (1955). O sotaque carregado, a falta de talento e escândalos abortaram rapidamente sua carreira. Amante do poderoso produtor Darryl F. Zanuck, que a levou a Hollywood com a finalidade de transformá-la em estrela, bebia como uma louca, gastava muito e se viciou em bacará e roleta. Vida cheia de infortúnios: sobreviveu de um campo de concentração nazista na Segunda Guerra Mundial e dissipou o que tinha nos cassinos de Mônaco. Endividada, tentou o suicídio várias vezes, até que o conseguiu em 1971, ao abrir o gás de seu apartamento. Tinha 43 anos e nada restava da beleza.


JULES BERRY
(1883-1951)

Ator e diretor austríaco, popular no teatro e cinema franceses dos anos 1930 e 1940. Começou no cinema mudo e atuou em mais de 80 filmes, entre eles “O Crime de Monsieur Lange / Le Crime de Monsieur Lange” (1936), de Jean Renoir, e “Os Visitantes da Noite / Les Visiteurs Du Soir” (1942), de Marcel Carné. Viciado em cassinos e corridas de cavalo, perdeu o que ganhou em anos de trabalho, morrendo vítima de ataque cardíaco.


HEDY LAMARR 
(1914-2000)

Uma das primeiras atrizes a se despir diante das câmaras. Considerada uma das mulheres mais bonitas de todos os tempos, era conhecida por sua inteligência. Durante muitos anos fez parte do cast all-star da Metro-Goldwyn-Mayer. Com o épico “Sansão e Dalila / Sanson and Delilah” (1949), da Paramount, teve seu maior sucesso. De talento limitado, encerrou a carreira em 1958, depois de atuar em mais de 30 filmes. Na maturidade, amargurada e solitária, terminou na cadeia após roubar pequenos objetos em lojas. Alegou cleptomania. Estava falida.


STAN LAUREL 
(1890-1965) 
e OLIVER HARDY 
(1892-1957)

Eles iniciaram a famosa parceria no final dos anos 1920, sempre com sucesso. Depois de estrelarem 106 filmes, brigaram e resolveram não mais trabalharem juntos. Em meados dos anos 1940 tentaram seguir em frente separadamente. Sem dinheiro, em 1951 voltaram a atuar juntos pela última vez em “A Ilha da Bagunça / Atoll K”. Em 1956, derrame cerebral deixou Oliver Hardy imobilizado. Acabou morrendo em 1957. Em 1963, Stan Laurel recebeu Oscar honorífico por sua contribuição ao cinema. Morreu de ataque de coração em 1965. Pobre, enquanto seus velhos filmes continuavam a fazer fortunas a produtores e distribuidores.


RAMON NOVARRO
(1899-1969)

Mexicano de nascimento, no cinema mudo sucedeu Rodolfo Valentino, brilhando em “Scaramouche” (1923) e “Ben-Hur / Ben-Hur: A Tale of Christ” (1925), entre mais de 50 outros filmes, inclusive ao lado de Greta Garbo. “Latin lovers” das telas, no cinema sonoro deixou de fazer sucesso, acumulando dívidas e terminando por ser obrigado a aceitar pequenos papéis para sobreviver. Nos final dos anos 1960 foi vítima de crime sórdido envolvendo dois irmãos, garotos de programa. Depois de torturado, ele foi asfixiado e degolado com uma pequena faca. Saquearam também sua antiga casa. Apenas encontraram 20 dólares.


HENRI GARAT 
(1902-1959)

Galã e cantor francês da década de 1930, Auou em dezenas de musicais de 1939 a 1942, dirigido por cineastas de renome como E. A. Dupont, Max Ophuls, Alexander Korda e William Dieterle. Durante muitos anos como estrela do Casino de Paris, sucedendo a Maurice Chevalier, lotou o local. Esgotado por uma existência de gastos inúteis, sem nada poupar, terminou gravemente doente e paupérrimo. Nos últimos anos de vida alguns amigos o sustentaram. 

46 comentários:

Rodrigo Mendes disse...

Gosto muito dessas curiosidades e algumas delas são trágicas. Não sabia do destino da Veronica Lake.

Crepúsculo dos Deuses é o filme que melhor retrata este tema, na minha opinião.

Abs.
Rodrigo

alan raspante disse...

Deve ser horrível ser um astro e de uma hora para a outra estar, literalmente, no fracasso como é o caso aqui...

abs.

Hugo disse...

Não sabia do triste fim da duplas "O Gordo e o Magro" e "Abott e Costello".

Infelizmente este tipo de situação continua acontecer, muitos ex-jogadores de futebol são exemplos de pessoas que enriqueceram rapidamente e perderam tudo em poucos anos.

Abraço

Marcelo Bonavides disse...

Às vezes, nem só o talento garante um futuro tranquilo, vide George Méliès, O Gordo e o Magro...
Quem comanda e administra os valores da sétima arte, muitas vezes consideram descartáveis os astros e estrelas.

Maxx disse...

Melies teve boa parte de sua obra pirateada por (não só, mas principalmente) Thomas Edson, que nunca pagou os direitos autorais exibindo seus filmes além de outros de produziam filmes homonimos usando as idéias inovadoras do Mestre Melies. Outro ótimo post. Valeu e bons filmes.

Daniele Moura disse...

Nossa, que tristeza...
que coisa horrível o que aconteceu a Ramon Novarro, Deus.
Sobre a Hedy Lammarr ainda tem a história do software Photoshop, que usou a imagem de seu rosto para ilustrar a capa, lembra? Diz ela, que indevidamente e ela processou a Microsoft, se não me engano. Nem sei se ganhou o processo. História parecida aconteceu com a ótima atriz Winona Rider, que foi pega roubando na 5ª Avenida, foi à julgamento e nunca mais teve sua carreira de volta e o sucesso de antes. Achei aquilo uma terrível maldade contra ela. Adoro Winona e todos cometem erros. Agora ela fez uma ponta em Cisne Negro, mas não é o suficiente para quem brilhou tanto nos anos 90.
Muito bom o post!
Abç,
Dani

Kley disse...

Como disse a matéria, alguns astros são vítimas de péssima administração de seus bens. É o que está acontecendo com o ator Nicolas Cage, que só foi descobrir que seu agente era desonesto quando já havia perdido muita coisa. Veronica Lake pode-se dizer também que foi vítima de uma tremenda falta de sorte, porque ao contrário de outras estrelas, não viu seu nome entrar para a posteridade, mesmo que tenha feito um dos filmes-chaves dos anos 40: Contrastes Humanos; sendo mais lembrada hoje por ter sido interpretada por Kim Bassinger no policial Los Angeles - Cidade Proibida, filme que a coloca como uma prostituta de luxo.

Hugo de Oliveira disse...

O seu blog é nota 10.

railer disse...

de tudo que você listou, só vi mesmo o 'crepúsculo dos deuses', um filme realmente forte.

Valéria Mossi Di Pace disse...

Por mais triste que seja gostei muito de saber sobre eles...

A Arte de Inha Bastos disse...

É um aprendizado sempre para que ama cinema.
Creio que hoje nossos astros,tem uma velhice mais confortável,com menos tragédias!
Um abraço,parabéns pelo sucesso do Blog

Luiz Santiago disse...

Mais um excelente post sobre curiosidades que me deixou deveras curioso pra ir atrás de um montão de coisas! Ótimo, amigo!

Rubi disse...

Abbott e Costello e O Gordo e o Magro, são ótimos! Sou super fã do trabalho deles, embora o Gordo e O Magro sejam mais engraçados (na minha opinião) Inclusive, falando de Abbot e Costello, já viu a apresentação das Andrews Sisters no filme Buck Privates (1941) ? Recomendo!

M. disse...

A fama ofuscava o foco para a vida real. Acreditavam que seriam eternos artistas famososos, mas infelizmente esse mundo do cinema só sobrevivem os bons, não falo apenas de talento. O mundo é dureza mesmo, imagino o quão deprimidos se sentiram. Que decadência da Veronica Lake terminar como empregada de drive-in, Ramon Novarro teve um final muito trágico...

Ah, esse filme "A árvore" passou na sessão de arte de um cinema aqui em minha cidade.

Júlio Machado disse...

"Que vida triste e cruel de um homem que catava papel"...
Lamentável a condição de alguns personagens que deram tanto pela arte,e, no final:Fins trágicos...

Felipe Rocha disse...

E ai amigo!! Show de bola o blog, ja add ele nos meus favoritos de blog, confere lá depois, me add tb no seu pra estarmos sempre em contato e por dentro das atualizações!

http://cinefilosdeplantaobr.blogspot.com

ber disse...

acho que faltou o Bela Lugosi. no meu imaginário, ele que é o maior símbolo disso tudo (deve ser por causa de Ed Wood, haha)

As Tertulías disse...

Maravilhosa (porém muito triste) matéria... para mim faltou "Betty Grable", que acabou, pelo que me consta, como garconete... ah! E Lousie brooks também!!!!!
Pobre Veronica Lake, pobre Lamarr, Novarro, Stan & Laurel etc. E pobre Bela Darvi (seu destino no "O egípicio" também foi meio parecido, nao?).
Só discordo numa coisinha: "Norma Desmond" esava esquecida porém era riquíssima... ela até fala de petróleo... pumping, pumping, pumping... lembra? Estava esquecida porém riquíssima... compra roupas, cigarreiras de ouro para Holden... Faz festas de Ano-Novo, reativa a casa e a piscina... chama massagiszas e esteticistas para hle ajudarem a recompor o visual para "Salomé"... Nada, nada pobre...

Amei esta postagem - dá bastante para pensar, nao é? O que é fama e dinheiro? Lembra do título do filme? What price Hollywood?

Darci Fonseca disse...

Olá, Antonio
Vale lembrar também a bela Gail Russell (que foi abordada no blog Cinewesternmania) e mais recentemente Troy Donahue, ex-galã que chegou a ser morador de rua.
Um abraço - Darci

Alma em Flor disse...

Só o Fino!

Chique demais!

Como você classificaria o filme: L'arbre?

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Dani, também achei uma injustiça com a Winona. Tanta gente faz coisa pior (veja os casos de Mel Gibson e Charles Sheen). Ela é um excelente atriz e merece continuar fazendo bons filmes.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Rubi, nunca assisti a BUCK PRIVATES. E olha que gosto das Andrews Sisters. Como você, também prefiro O Gordo e o Magro.
Abraços.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Ber, realmente faltou Bela Lugosi. Bem lembrado.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Ricardo (As Tertúlias), realmente tem razão. A decadência estava presente, mas Norma Desmond tinha grana. Vou revisar o texto. Obrigado pela lembrança de Louise Brooks, mas nada sei sobre o final de vida de Grable como garçonete. Tem mais detalhes?
Tudo de bom, querido.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Exato, Darci, a Gail Russell... Sabe algo mais sobre o final trágico de Troy Donahue? Creio que farei uma continuação: CREPÚSCULO DOS DEUSES 2.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Alma, A ÁRVORE é um filme delicado. Não sei poderia classificá-lo como um drama realista, afinal tem elementos fantásticos.
Vale a pena assisti-lo.

Jú L. disse...

Nossa, adorei a postagem e o tipo de curiosidade que gosto muito de ler (apesar de serem historias demasiadamente tristes) Se pararmos para pensar o mundo das estrelas não mudou muito me!?
Foto maravilhosa de Veronica Lake...

disse...

Olá, Antonio! Que curiosidades mórbidas! Sabia de algumas, como de Ramon Novarro. Outras me surpreenderam, como a de Mèlies. Quem diria que ele iria acabar assim?
Abraços, Lê.

Jamil disse...

Fiquei penalizado com a história terrível de Hedy Lamarr. Ela não merecia passar por tal decadência. Não era uma boa atriz - passava uma certa indiferença -, mas era tão bela que valia a pena vê-la em qualquer filme. Estava magnífica em Argélia, com Charles Boyer, e Inimigo X, com Clark Gable.
Post poderoso, Antonio. Faz o leitor pensar.

Jonathan Pereira disse...

Olá Anotonio,

Agradeçemos a visita, participação e apreciação da nossa casa virtual. Já o seguimos através do nosso blog roll há um bom tempo.

Parabéns pelo blog!

Abraços,

Kleber e Jonathan

LC disse...

Adorei o post. Algumas histórias da lista eu já conhecia, mas outra me pegaram completamente de surpresa, como a Veronica Lake e do Melies (aliás, queria saber como ele chegou nesse nível de perder tudo - tem alguma informação a respeito?).

Parabéns pelo post!

GIANCARLO TOZZI disse...

Li a biografia de Ramon Novarro. O cara era realmente meio estranho e sua morte foi barra pesada. Revendo Mata-Hari percebi que a Garbo era mais máscula que ele. Não rolava nenhuma química entre os dois.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

LC, li que Méliès estava super endividado e certo dia desapareceu. Foi até dado como morto. Já no finalzinho de vida foi encontrado no seu humilde comércio.

Emmanuela disse...

Eu realmente amo seu blog, é um autêntico refúgio para os fãs de clássicos atemporais. Muito informativo ! Precioso !

Marta Scarpa disse...

Lembro do Novarro numa pontinha em um filme com a Sofia Loren e o Anthony Quinn. Conhece?

Alexandre Saporetti disse...

Olá, Antonio, recebo seu informativo e de vez em quando vou ao seu blog, estou montando um vieoclube em Canavieiras, Bahia e gostaria de trocar idéias se possivel...

Adecio Moreira Jr. disse...

Veronica Lake é tão bela quanto imortal. Fato.

Marcelo C,M disse...

Destino triste foi do Gordo e o Magro. E como foi no caso dos três Patetas?

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Conheço, Marta. O western JOGADORA INFERNAL, de George Cukor.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Com certeza, Alexandre. Um vídeo club é uma ótima idéia. Escreva para o meu e-mail.

ofalcaomaltes41@gmail.com

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tudo correu bem com Os Três Patetas, Marcelo. Eles não brigaram e só pararam de filmar por motivo de doença/falecimentos de seus membros.

Ligéia disse...

Nossa... Bella dDarvi e Veronica Lake, lindas demais! Me impressionou a morte de Ramon Novarro. Eu não conhecia nenhum dos três. Muita judiação tudo isso.

Abraços, Falcão.

Danielle disse...

Oi, Antonio!

Estou meio atrasada na visita...
Gostei muito da postagem! Não tinha ideia do fim que tinha levado vários desses artistas. Ramon Novarro é hors concurs hein! Caramba... Georges Meliés morreu dono de uma banca de revista mas ainda bem-humorado. Conta-se que ele ganhou a banca de uns estudantes de cinema e, para mostrar sua gratidão, desenhou-se a si mesmo algemado nela, como um cachorro... A propósito, você viu que finalmente remasterizaram a versão colorizada de "Viagem à lua"?

Bjinhos
Dani

Irene Serra disse...

Antonio, querido

Que bom conhecer mais sobre esses famosos. É mesmo impressionante como tanto tiveram e tudo se liquefez.
Não sei se posso dizer que é uma covardia da vida, mas é muito injusto depois do trabalho imenso que tiveram, do arrebatamento da multidão, enfim, da alegria que deram.
Uma pesquisa e tanto!

Beijos,
Irene

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Dani, fico feliz com vc por aqui. Não conheço a versão colorizada de VIAGEM À LUA. Só a preto e branco.
Beijos.

Luis Alfredo disse...

Caro Antonio,
Só você para ressucitar Bella Darvi e Veronica Lake. Essa seção "crepuscular" é história pura.
Nunca pare!