julho 13, 2011

********* AS 10 BOFETADAS DE GLENN FORD



Ele saltou para a fama após dar uma sonora bofetada em Rita Hayworth no clássico policial "Gilda/Idem" (1946), de Charles Vidor. Ator apto para todos os gêneros cinematográficos, sóbrio e carismático, de longa carreira nas telas (iniciada em 1937, em um curta-metragem), GLENN FORD injustamente nunca recebeu qualquer indicação ao Oscar de Melhor Ator, embora tenha conquistado crítica e público em produções dirigidas por Fritz Lang, Frank Capra, Vincente Minnelli, Anthony Mann, Jacques Tourneur, William A. Wellman, John Cromwell e Richard Brooks. Ao longo de mais de 50 anos, participou de policiais, dramas, faroestes, aventuras, épicos de guerra e comédias,  chegando ao auge na década de 50, ao ser celebrado em 1958 como o astro número um das bilheterias norte-americanas, e ficando entre os Top Ten nos anos de 1956 (5.º) e 1959 (6.º). Resumi sua trajetória espetacular em 10 comentários informativos:


(01)
Nasceu no Quebec, Canadá, em 1916, e aos 7 anos mudou-se com a família para a Califórnia. Faleceu em 2006, aos 90 anos de idade, passando os últimos anos de vida entre sua mansão em Beverly Hills e seu rancho – o Ford Ranch, na Califórnia -, onde se dedicava à criação de cavalos;

(02)
Em 1935, com a peça "Infâmia", de Lillian Hellman, percorreu a ribalta de algumas cidades norte-americanas. Logo a seguir fez teste para o cinema, na 20th Century-Fox, mas foi rejeitado. Apesar disso, o estúdio seria o responsável por sua estréia, no filme "Heaven With a Barbed Wire Fence" (1939), dirigido pelo ator Ricardo Cortez;

com randolph scott, no início da carreira

(03)
Contratado pela Columbia ainda em 1939, GLENN FORD atuou em 13 filmes no período de 1939 a 1943, mas seu caminho para o estrelato interrompeu-se com a convocação do serviço militar, durante a 2ª Guerra Mundial, servindo como radialista, no setor de relações públicas, entre os fuzileiros navais na Europa;

(04)
Em “Gilda”, a ligação suspeita e cúmplice de Johnny Farrell com um sinistro dono de um cassino ((interpretado inesquecivelmente por George MacReady) na América do Sul, tem sido interpretada por muitos historiadores como de evidente conotação homossexual;

com rita hayworth
(05)
O popular “Gilda” não foi o único filme que protagonizou com a deusa Rita Hayworth. Também estiveram juntos em “Protegida do Papai/The Lady in Question” (1940), “Os Amores de Carmen/The Loves of Carmen” (1948), “Uma Viúva em Trinidad/Affair in Trinidad” (1952) e “Dinheiro é a Armadilha/The Money Trap” (1965). Todos oportunistas, de olho no sucesso da dupla. GLENN FORD considera "Os Amores de Carmen" como um dos piores filmes que fez (o que é um exagero!). Ele esteve apaixonado por Rita, com quem manteve um breve romance, durante toda sua vida. Quando ela faleceu, emocionado, ele pediu à imprensa: “Qualquer coisa que venham a escrever sobre Rita, sejam gentis e carinhosos – porque assim é que ela era”;

com gloria grahame em "desejo humano"
(06)
Rodou dois clássicos do Cinema Noir sob a direção do mestre germânio Fritz Lang: “Os Corruptos/The Big Heat” (1953) - como um detetive atormentado com a morte da esposa - e “Desejo Humano/Human Desire” (1954), ambos com Gloria Grahame. Advertido sobre o caráter difícil do diretor, terminou por reconhecê-lo como um perfeccionista e amigo leal;


(07)
Embora John Wayne seja considerado por excelência o mito primordial do western, GLENN FORD também merece consideração por suas simpáticas aventuras no gênero, como “Ao Despertar da Paixão/Jubal” (1956), “Galante e Sanguinário/3:10 to Yuma” (1957) e “Como Nasce um Bravo/Cowboy” (1958), todos dirigidos por Delmer Daves. Outros faroestes seus, decididamente acima da média, foram “Mulheres Marcadas/The Secret of Convict Lake” (1951) e “Um Pecado em cada Alma/The Violent Men” (1955). Ele era mencionado como o gatilho mais rápido entre os atores, sacando uma arma em 0,4 segundos. "O western é um mundo de homens e eu adoro-o", declarou certa vez;

(08)
Começou a decair após o fracasso comercial de "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse/The 4 Horsemen of the Apocalypse" (1961), de  Vincente Minelli, embora tenha continuando a trabalhar por muitos anos. Na década de 1970, atuando na TV, ganhou US$ 1 milhão para estrelar a série “Cade’s County”, conhecida no Brasil como “Glenn Ford é a Lei”. Ainda faria outra série de sucesso,  “The Family Holvak”, de 1975. Nesta época, internou-se várias vezes em clínicas para desintoxicação de alcoólatras. Seu problema com a bebida arruinou seus casamentos;

em "sementes da violência"
(09)
Conhecido como mulherengo, GLENN FORD casou-se em quatro ocasiões. A primeira vez em 1943, com a sapateadora e atriz Eleanor Powell. Desta união nasceu seu único filho, o também ator Peter Ford. Manteve péssimas relações com suas esposas e teve casos com diversas atrizes, entre elas Rita Hayworth, Zsa Zsa Gabor, Maria Schell, Hope Lange e Debbie Reynolds;

(10)
Em seu último trabalho de destaque, “Superman – O Filme/Superman – The Movie” (1978), GLENN FORD faz o pai terráqueo de Clark Kent. O diretor Richard Donner ainda lhe prestou uma homenagem, colocando a famosa “Rock Around the Clock” no rádio na cena onde Jonathan Kent morre. A canção faz parte da trilha de “Sementes da Violência / Blackboard Jungle” (1955), um dos maiores êxitos do saudoso astro – um dos meus mais queridos.



-----------------------------------------------------------------------

O QUE ESTÁ FAZENDO

ISABELLE HUPPERT

A atriz francesa Isabelle Huppert (“A Professora de Piano/Le Pianiste”, 2001) irá colaborar com o realizador sul-coreano Sang-soo Hong numa projeto ultra-secreto, ainda sem título definido. A pré-produção do filme já começou, embora não se saiba ainda pormenores do mesmo. Em entrevista recente, ela declarou que a única coisa que se sabe acerca do mesmo é que irá ser filmado numa pequena cidade no litoral da Coréia do Sul, a três horas de Seul, e terá cinco personagens. Sabe-se ainda que o ator Jun-Sang Yu (que colaborou com o cineasta em “Hahaha”) será um dos protagonistas. Entretanto, aguardamos ainda a estréia da parceria de Isabelle Huppert com outro cineasta asiático, o filipino Brillante Mendoza, em “Captured. Nascida em 1953, a atriz estreou no cinema em “Faustine et le Bel Été “ (1972), de Nina Companéez. Musa de Claude Chabrol e Michael Haneke, atuou até o momento em 101 filmes, ganhando os maiores prêmios do cinema europeu.

30 comentários:

Júnior Ahzura disse...

Gilds, um filme que sempre me toca!

Ahzura's Blog

Darci Fonseca disse...

Antonio, Glenn Ford esteve no Brasil filmando o western "O Americano", lá em Mato Grosso. Você lembrou bem que ele era um verdadeiro cowboy, mais ainda que John Wayne pois viveu sempre em seu Ford Ranch, na Califórnia. Em "Casa de Chá sob o Luar de Agosto" quem foi ao cinema ver Marlon Brando acabou vendo mesmo Glenn Ford...

Marcelo C,M disse...

GLENN FORD era o tipo de ator boa prassa e que transmitia isso a todo momento. Por isso mesmo, muitos consideram como o melhor interprete do pai adotivo de Superman na adaptação de 1978, pois mesmo em poucos momentos em cena, ele passava conforto e segurança para o seu filho especial.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Vc assistiu ao O AMERICANO, Darci? O diretor William Castle é inexpressivo e o elenco também não ajuda, com exceção, óbvio, do grande Glenn Ford. Vale a pena vê-lo?

Nina Rizzi disse...

O seu blogue é fabuloso, Nahud. O novo layout ficou incrível.
Um beijo.

Jamil disse...

Só vc, Antonio, para lembrar do Ford. Que bom! O cara era o máximo. A atuação dele em "Os Corruptos" é arrebatadora e rola a maior química entre ele e a Gloria Grahame. Será que tiveram um affair?

Jamil disse...

É inquestionável: Isabelle Huppert é a maior atriz do cinema europeu contemporâneo. O seu currículo é seleto e invejável.

debora disse...

Conheço o Glenn Ford de apenas dois filmes e ambos com a Bette Davis: "Uma vida roubada" e "Dama por um dia". Ele tem talento e uma figura forte. Preciso ver "Gilda".

Kley disse...

Um dos meus filmes preferidos do Glenn Ford é o faroeste Galante e Sanguinário, refilmado recentemente como Os Indomáveis.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Nunca li nada sobre qualquer romance entre Gloria e Glenn, Jamil. Também considero Isabelle a maior de todas nos tempos de hoje.
Tudo de bom

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

O Galante Sanguinário é incrível, pura tensão. Pena que o título brasileiro seja tão estúpido. O remake também é muito bom. Concorda, Kley?

L. C. Bragança de Pina disse...

Antônio,

muito obrigado e agradeço por sua atenção.

Seja bem vindo ao Novo Cinema!

Pena que não tenho um tempo longo para me dedicar exclusivamente ao blogue.

Com respeito cinematográfico e os mais efusivos cumprimentos cinéfilos,

L. C. Bragança de Pina

Sihan Felix disse...

Belíssimo Blog é O Falcão Maltês! Acabo de me tornar seguidor. Serei leitor frequente agora.
Forte abraço!

Edivaldo Martins disse...

Seu blog é muito bom!

Faroeste disse...

Nunca fiz um comentário sobre este muito equilibrado diretor Delmer Daves. Jamais assisti a um filme seu que me fizesse sair do cinema contrariado ou insatisfeito por ter perdido meu tempo. Nunca.
Jubal, A Ultima Carroça, Só Ficou a Saudade, Candelebro Italiano, dentre muitos demais, são suas marcas, sua cara como sábio administrador de historias.
Meu louvor a este diretor que não deixou jamais seus fãs se desgastarem ao ver nada que fez.
jurandir_lima@bol.com.br

Faroeste disse...

Glen Ford foi um ator que torna quase que desnecessário se fazer comentários sobre si ou sua obra.
Este magnifico artista nos fez herdar um rosário de peliculas sem genero definido. Ford fazia de um tudo que lhe caisse nas mãos. E o que é melhor; sempre fazia tudo muito bem. Recordem-se dele em Casa de Chá ao Luar de Agosto. Acho que jamais sorri tanto em uma cena quando, neste filme, uma japonesa (gueixa) quase o deixa despido, enquanto ele lutava agoniado para tal fato não acontecer. Hilária demais! Perfeito também em Um Pecado em Cada Alma e O Irresistível Forasteiro. Magnifico em Sementes da Violencia e Os Corruptos.
Um ator sem sequelas.Viverá para sempre dentro de nós, seus fãs.
jurandir_lima@bol.com.br

Faroeste disse...

Randolph Scott, nosso mocinho das matinees dos domingos. Cawboy na maioria de seu trabalho no cinema, acredito que muito pouca coisa fez sem estar de chapeu, botas de salto, esporas, com um cavalo ao lado ou sobre sua sela e revolver à cintura, determinando a lei e a ordem onde estivesse.
Um ator que nos fez gostar dele, apesar de seus dominios cênicos precisarem ser contidos para que não precisasse expor sua pouca aurea profissional.
Disse certa vez para o Darci Fonseca e amigos do CAW que Obrigado a Matar era meu filme preferido de Randy. Mas parece que não concordaram muito comigo, alegando preferirem Sete Homens Sem Destino. E eu o vi recentemente, conseguindo entender finalmente o porque da preferencia destes amigos adoradores de faroeste como eu. Realmente Sete Homens Sem Destino é muito bom.
Porém, Randy passou a vida fazendo o que adoramos, que são fitas de faroeste.
jurandir_lima@bol.com.br

Faroeste disse...

Sou daqueles que acham que Antonny Mann não deveria incutir muito em outros gêneros, senão em faroestes. O que não quer dizer que ao dirigir em outros generos não se saiu bem. Isso não direi. E temos provas disso quando assistimos El Cid, Musica e Lágrimas e A Queda do Imperio Romano. Todos filmes de qualidade.
Mas o homem era bamba mesmo era em faroestes. Parece que o sujeito nasceu para administrar fitas deste gênero, tal como se saia bem em tudo o que fez. Incrivel como tinha uma mão adequada para maestrar fitas a campo aberto onde Cooper, Stewart, Fonda, Taylor, entre muitos e muitos outros eram os mocinhos tendo de dar de frente com os vilões. Ele era perfeito.
O Homem do Oeste, um de seus derradeiros trabalhos, é um exemplo perfeito de alguém trabalhando naquilo para que nasceu.
jurandir_lima@bol.com.br

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Delmer Daves realmente é um ótimo diretor injustamente esquecido, Jurandir. Já Randolph Scott, nunca gostei. Ele e o Audie Murphy. Mas não entendi o que disse: "apesar de seus dominios cênicos precisarem ser contidos para que não precisasse expor sua pouca aurea profissional". Como assim? Quanto a Anthony Mann é o MAIOR de todos, supera inclusive John Ford e Howard Hawks.

Edivaldo Martins disse...

Glenn Ford o homem que deu a maior bofetada do cinema!

Edivaldo Martins disse...

A ÚLTIMA FOTO DO GLENN FORD É A FOTO DA CAPA DO LIVRO RECENTE LANÇADO DE AUTORIA DO FILHO DO GLENN, PETER FORD!

Edivaldo Martins disse...

Glenn Ford foi um dos injustiçados de Hollywood, concernente a nunca ter ganho um Oscar. Seu filho Peter fez uma campanha, qdo ainda Glenn estava vivo,mas os velhinhos da academia não tomaram conhecimento.Sou amigo do Peter Ford.

Felipe Derevko disse...

Isabelle Huppert... um ícone do drama francês... Diva!!!

Jeanne Franco disse...

Bela Huppert!!!

Inha Bastos disse...

parabéns pelo excelente Blog!bjs

Roberto Santana disse...

Excelente!!!

Luiz Santiago disse...

Mais uma ótima colocação. Isso dá uma nostalgia dana, rapaz! Hahahaha

Rubi disse...

Não sei se é pela Rita Hayworth, ou pelo filme em si, mas em Gilda ele estava ótimo! Ah, e claro, Cimarron também é um clássico; até eu que não gosto muito dos filmes do gênero, tenho que admitir que ele desempenhou seu papel super bem.

linezinha disse...

Rubens Edwald Filho fez uma resenha sobre o livro Glenn Ford, A Life escrita pelo seu filho Peter Ford aqui o link:
http://noticias.r7.com/blogs/rubens-ewald-filho/2011/06/21/livro-eua-glenn-ford-a-life/

Faroeste disse...

Nahud,

Peço desculpas pelo trecho pouco entendido pelo companheiro. Eu quis apenas dizer que Randy nunca era demasiadamente puxado em cenas onde precisasse expor seu talento, já que ele, seu talento, era bastante limitado.
Em suma; era um ator de poucos recursos dramáticos.
jurandir_lima@bol.com.br