abril 10, 2016

************* IMITANDO MARILYN


Mesmo em vida, MARILYN MONROE (1926 - 1962) alcançou um grau de popularidade que ultrapassou a de muitas colegas. Ela inspirou inúmeras imitadoras durante sua vida. E foi esse fenômeno, em particular, que alavancou sua popularidade. Seu sucesso inspirou estúdios rivais a cultivar loiras sensuais e curvilíneas. E, aparentemente, da noite para o dia, surgia uma safra de belezas que imitava a aparência física de Marilyn em busca da próxima Marilyn. Algumas dessas atrizes eram talentosas e também tiveram seus fãs. Outras, que simplesmente imitavam o cabelo de Marilyn ou a sua voz provocante, rapidamente saíram de cena.

JAYNE MANSFIELD
(1933 - 1967)

Citada muitas vezes como a grande rival de Marilyn, ela foi um dos principais símbolos sexuais da década de 1950. Chamou primeiro a atenção do público ao se tornar a playmate da edição de fevereiro de 1955 da revista Playboy, Contratada pelo mesmo estúdio de Marilyn, a Twentieth Century-Fox, embora tenha sido uma comediante de talento ficou sempre à sombra da estrela. Apesar dos triunfos hollywoodianos como “Sabes o Que Quero / The Girl Can't Help It” (1956) e “Em Busca de um Homem / Will Success Spoil Rock Hunter?” (1957), sua carreira decaiu rapidamente depois de 1960.

Fez alguns filmes sem importância na Europa e apareceu nua em uma produção hollywoodiana, “Promises! Promises!” (1963). Passou a se apresentar em nightclubs e, numa dessas viagens sofreu um trágico acidente de carro. Ela, o namorado Sam Brody e o motorista morreram na hora. Seus três filhos, que estavam no banco traseiro, escaparam com ferimentos leves. A história de que Jayne teria sido decapitada não passa de uma lenda urbana. Ela usava uma peruca, e a mesma foi encontrada a alguns metros do local. Sua filha Mariska Hargitay hoje é uma atriz de sucesso, estrela da série de TV “Law & Order: SVU”. Mansfield continua sendo um dos ícones mais conhecidos da cultura norte-americana dos anos 1950 e 1960.

MAMIE VAN DOREN
(nasceu em 1931)

Descoberta pelo produtor Howard Hughes, com quem namorou, foi lançada em filmes da RKO. Em 1953, foi contratada pela Universal. Como o contrato foi assinado no mesmo dia da posse do presidente Eisenhower, Van Doren Levou o primeiro nome da esposa dele, “Mamie”. Estrelou em filmes cult clássicos e de baixo orçamento como “Mocidade Indomável / Untamed Youth” (1957) e “Escola do Vício / High School Confidential” (1958). Teve um papel coadjuvante em “Um Amor de Professora / Teacher's Pet” (1958), uma grande produção estrelada por Clark Gable e Doris Day, mas na maior parte das vezes ela só conseguia papéis em filmes de baixo orçamento.

Em 1966, estrelou com Jayne o filme “The Las Vegas Hillbillys”. Mamie, Jayne e Marilyn eram conhecidas como os três “M's”. Van Doren também trabalhou em nightclubs e teatro, aparições esporádicas em filmes de baixo orçamento e lançou uma autobiografia escandalosa. Nos últimos anos, fez uso de multimídia, incluindo redes sociais. Com seu marido mantém seu site, onde mercadorias diversas, incluindo nudes contemporâneos (!), estão disponíveis. Aos 85 anos, sua carreira como símbolo sexual é uma das mais longas em Hollywood, tal como Mae West.

SHEREE NORTH
(1932 - 2005)

Começou dançando em shows, tendo estreado no cinema em 1951, como extra. Em 1954, North assinou com a Fox. No ano seguinte, conseguiu o papel principal em “Como Usar as Curvas / How to Be Very, Very Popular”, papel rejeitado por Marilyn. Depois deste sucesso, foi chamada de “a nova Marilyn Monroe”. Era uma dançarina dinâmica e talentosa, mas o estúdio a usava somente como uma ameaça para manter Marilyn na linha.

Participou de “O Tenente Era Ela / The Lieutenant Wore Skirts” (1956), com Tom Ewell, “O Encanto de Viver / The Best Things in Life Are Free” (1956), com Gordon MacRae e “A Mulher do Próximo / No Down Payment” (1957), com Tony Randall, entre outros. A Fox logo perdeu o interesse nela e focou a atenção em Jayne Mansfield. Depois do fim do contrato com a Fox em 1958, ela continuou fazendo filmes e aparecendo em séries de TV. Em 1980, fez o papel da mãe de Marilyn num filme para TV, “Os Amores de Marilyn / Marilyn: The Untold Story”.

DIANA DORS
(1931 - 1984)

Apelidada a MARILYN MONROE britânica, durante os anos 1950 ela participou de muitos filmes (começou em 1947) e tornou-se muito popular na Inglaterra. Com uma boca carnuda num rosto de boneca e um corpo perfeito, seus principais filmes foram: “A Rua da Esperança / A Kid for Two Farthings” (1955), “Esbanjador Econômico / Value for Money” (1955), “Meu Amor, Minha Ruína / Yeld to the Night” (1956), “A Vergonha de Ser Profana / The Unholy Wife” (1957), “A Vênus de Carne / I Married a Woman” (1958) e “A Tentação e a Mulher / Tread Softly Stranger” (1958).

A década de 1960 marcou seu declínio. Engordou e passou a fazer papéis de coadjuvante, tendo participado de vários filmes de horror, como “Espetáculo de Sangue / Bersek” (1967) e “As Sete Máscaras da Morte / Theater of Blood” (1973).

CLEO MOORE
(1924 - 1973)

Sua estreia em filmes foi em 1948. Era uma conhecida pin-up. Trabalhou para a Warner em 1950 e para a RKO de 1950 a 1952 antes de assinar com a Columbia em 1952. O estúdio tinha planos de transformá-la em sua próxima estrela. Loira platinada, queria fazer dela “sua Marilyn Monroe” ou “a nova Rita Hayworth”. Na Columbia, ELA estrelou “Alma de Pecadora / One Girl's Confession” (1953), “The Other Woman” (1954) e “Mulheres Condenadas / Women's Prison” (1955).

Sua carreira entrou em declínio quando o estúdio contratou Kim Novak e passou a investir nela em vez de Moore. Ela retirou-se do cinema em 1957. Apesar de nunca ter atingido o verdadeiro estrelato, tornou-se uma atriz cult, e alguns de seus filmes são clássicos cult. É considerada a Rainha do Filme B das Bad Girls.

JOI LANSING
(1928 - 1972)

Modelo e atriz, muitas vezes foi escalada para papéis semelhantes aos desempenhados por suas contemporâneas, Jayne Mansfield e Mamie Van Doren. Ela frequentemente vestia trajes sumários e biquínis que acentuavam sua figura atraente, mas nunca posou nua. Sua carreira cinematográfica começou em 1948. Participou principalmente de filmes B.

Em produções mais importantes, fez papéis não creditados ou pequenas participações como no clássico “A Marca da Maldade / Touch of Evil” (1958), de Orson Welles. Participou de muitos seriados de TV, tendo feito mais de 200 apresentações. Às vezes era chamada de “Marilyn Monroe televisiva”. Em 1965, entrou na vida de night club e gravou seu primeiro álbum.

BARBARA NICHOLS
(1928 - 1976)

Popular pinup de revistas nos anos 1940, foi considerada uma rival menor para MARILYN MONROE. No meio dos nos 1950, ela foi para Hollywood e apareceu regularmente em papéis como coadjuvante em produções classe A como “Esse Homem é Meu / The King and Four Queens” (1956), com Clark Gable, “Um Pijama Para Dois / The Pajama Game” (1957), com Doris Day, “Meus Dois Carinhos / Pal Joey” (1957), com Frank Sinatra, “Meu Coração Tem Dois Amores / Woman Obsessed” (1959), com Susan Hayward e “Quem Era Aquela Pequena? / Who Was That Lady” (1960), com Tony Curtis.

Raramente estrelou filmes, sendo a ficção científica “A Era dos Robôs / The Human Duplicators” (1965) um dos poucos. Foi também uma frequente estrela convidada em muitas séries de TV.

BEVERLY MICHAELS
(1928 - 2007)

Chegou em Hollywood em 1948, aos 19 anos, e rapidamente encontrou trabalho de modelo. Em 1951, chamou a atenção do diretor de cinema independente e produtor Hugo Haas, que a lançou no filme noir “Eco do Pecado / Pickup”. O filme foi um sucesso surpreendente, ainda que uma característica “B”, e lançou a carreira de Haas como diretor em Hollywood. Teve um papel importante ao iniciar o ciclo de filmes de “bad girl” da década de 1950, geralmente estrelados por loiras símbolos sexuais.

Seguiu-se “The Girl on the Bridge” (1951), que não teve sucesso, e Haas trocou Michaels em favor da recém-chegada Cleo Moore como sua estrela feminina regular. Em 1953, estrelou Mulher Sem Brio / Wicked Woman”, que hoje é talvez seu filme mais conhecido. Em 1956, fez seu último filme, “Blonde Bait”.

GRETA THYSSEN
(nasceu em 1933)

Chegou nos EUA após vencer o concurso de Miss Dinamarca em 1952. Ela procurou seguir os passos dos símbolos sexuais que reinavam, as loiras MARILYN MONROE e Jayne Mansfield, procurando uma carreira no cinema. Ela foi dublê de Marilyn em “Nunca Fui Santa / Bus Stop” (1956) e apareceu em “Marcado Para a Morte / Accused of Murder” (1956), “Criatura Sangrenta / Terror Is a Man” (1959), “Monstro do Planeta Perdido / Journey to the Seventh Planet” (1962) e outros, sendo considerada uma das rainhas dos filmes B.

Participou de vários shows de TV. É provavelmente mais lembrada por suas aparições em três curtas dos Três Patetas, “Quiz Whizz” (1958), “Pies and Guys” (1958) e “Sappy Bull Fighters” (1959). Em 1967, fez seu último filme.

TEXTO de ERALDO URANO

GALERIA de FOTOS

 

23 comentários:

Jean Guilherme Paixão disse...

Não trocaria MM por nenhuma delas

AlphaSolangen Goncalves disse...

MM geminiana típica, usava sua sensualidade a seu favor e tornava-se linda. Nos dias de hj seria considerada fora" dos padrões" de beleza, mas enqto viveu soube encantar a todos.

Augusto B. Medeiros disse...

Ahaha....belo post...incrível o número de "imitadoras" que a M.M. tinha...a prova que nem sempre quando se usa uma "receita" de sucesso ela será garantia para ele.

Luiz Antonio de Araujo disse...

A Marilyn era inigualável.

Alice Dias disse...

Até mesmo as cópias de antigamente tinham mais qualidade. Belas garotas.

Jô Paranhos disse...

Diva.

Jean Guilherme Paixão disse...

Curioso. Nenhuma delas tinha a inocência de menina de MM.

Renata Cotin disse...

Maravilhosas!

Marcia Moreira disse...

A própria Marilyn se inspirou em outra loura: Jean Harlow.

Luiz Antonio de Araujo disse...

A Marilyn era inigualável.

AlphaSolangen Goncalves disse...

MM geminiana típica, usava sua sensualidade a seu favor e tornava-se linda. Nos dias de hj seria considerada fora" dos padrões" de beleza, mas enqto viveu soube encantar a todos.

Antonio Francisco Sousa disse...

Diva eterna!!

Raquel Costa disse...

Marylin permanece porque é única. Não havia outra parecida com ela antes dela surgir....

Bete Nunes disse...

Todas são lindas, mas nenhuma tem a beleza especial dela; todas essas tentaram imitá-la, só conseguiram na aparência, ou melhor, na produção. MM era esplêndida.

Edivaldo Martins disse...

Cleo Moore que dizem ser uma imitadora da MM, mas não era, pois a Cleo Moore surgiu antes da Marilyn Monroe, logo foi apenas uma coincidência.

Flavinha Canhim disse...

De todas as imitadoras, a que mais se aproxima, em minha modesta opinião, é a DD

Eraldo Urano disse...

Cleo Moore é associada a Marilyn pelos historiadores por terem o mesmo tipo físico e a pretensão da Columbia de fazer dela uma nova Marilyn. Ela não era um clone de Marilyn, é verdade, porque de bad girl a Marilyn não tinha nada. Mas Cleo não surgiu antes: estreou no cinema no mesmo ano que Marilyn. Eram contemporâneas.

Marcos Pedini disse...

É que esqueço os nomes, a que contracena com a Sophia Loren em Seu Tipo de Mulher, lembrei, a Barbara Nichols, nao que Nichols seja uma imitadora mas uma loura, fazendo concorrência, mesmo que não tenha nada à ver sendo totalmente diferentes

Maria Jose Saffi Boso disse...


Sou fa de MM, imbativel, parece que a palavra sexy foi criada para tentar defini-la. De todas as imitadoras, a que mais lembro eh Jayne Mansfield, acho que vi todos os seus filmes. Agora que corpo tem essa Greta! Minha nossa, que cintura, que pernas, que tudo!

Eraldo Urano disse...

A MM é minha preferida dentre todas, desde a adolescência. A Greta Thyssen foi Miss Dinamarca, aquele corpo que as mulheres de hoje em dia não tem mais. Da Jayne, assisti poucos filmes.

Elisa Rodrigues disse...

Eterna. Vive no nosso coracao!

Maria Jose Saffi Boso disse...

A loura linda e burrinha que de burrinha nao tinha nada . Morreu tao jovem e nem estava no auge, auge da fama . Pra mim , seu melhor filme eh Qto Mais Quente Melhor . Quem cantaria melhor que ela o parabens ao Mr. President ????

Eddie Lancaster disse...

Mais um excelente texto e um belo apanhado da grande Marilyn Monroe!
Quanto a Cleo Moore, eu não diria que é uma imitadora de MM., pois apareceu antes, sempre como bad girl!