outubro 11, 2015

***** AS CRIANÇAS PRODÍGIOS de HOLLYWOOD

shirley temple
Celebridades hollywoodianas têm suas vidas invadidas e controladas pela mídia o tempo todo. Isso porque o público quer saber o que se passa com elas, o que vestem, que carro usam e que lugares frequentam, entre outras coisas. O universo infantil cinematográfico faz parte dessa obsessão. A pequena Shirley Temple, na sua época a criança mais influente do mundo, era perseguida por milhares de fãs

Aproveitando a Semana das Crianças, relembro astros e estrelas guris. A maioria desapareceu da mídia e de Hollywood com o passar dos anos. Alguns desistiram do mundo do cinema, outros tentaram conseguir um papel de destaque em seriados de televisão, mas raros superaram os personagens que fizeram na infância.

jackie cooper, mickey rooney e freddie bartholomew
Eles começaram cedo, roubando a cena e chamando atenção pelo profissionalismo de gente grande. Na maioria das vezes, tais seres precocemente talentosos perderam a infância e a adolescência, sacrificadas em nome do cinema, queimando etapas imprescindíveis para a constituição da personalidade adulta. Muitos enfrentaram o drama das drogas, alcoolismo, ostracismo e mortes trágicas, sumindo com a mesma velocidade com que fizeram sucesso. Como uma maldição, raras ESTRELAS MIRINS se tornaram atores adultos celebrados.

Confira looks de celebridades mirins. Uma lista com 15 crianças prodígios que encantaram e marcaram a história de Hollywood:

BOBBY DRISCOLL
(1937 - 1968) 

Ganhou um Oscar Especial pela atuação em Ninguém Crê em Mim / The Window (1949) e foi o primeiro ator ainda menino a ter contrato exclusivo com os estúdios Disney. Lembrado também pelo sucesso “A Canção do Sul / Song of the South” (1946), com o amadurecimento e a diminuição das ofertas de trabalho, envolveu-se com drogas, o que arruinou sua saúde e o reduziu à pobreza. Morreu aos 31 anos, sozinho, de um ataque cardíaco, numa construção abandonada em Nova York, tendo sido sepultado numa cova comunitária. Um ano e meio depois de sua morte, sua mãe realizou uma busca, localizando sua cova, onde o indesejado, esquecido e pobre Driscoll foi enterrado.

O público não se soube do seu fim trágico até que Canção do Sulfoi relançado em 1971. Repórteres estavam procurando seu paradeiro, quando a mãe do ator revelou a tragédia. Eu descobri que o passado não é muito útil, disse Driscoll. Eu foi lançado em uma bandeja de prata ... e depois despejado no lixo. Ele apareceu em 22 filmes entre 1943 e 1958. Seu papel em A Ilha do Tesouro / Treasure Island (1950) rendeu-lhe uma estrela na Calçada da Fama. Também atuou como a voz de Peter Pan no clássico animado.

driscoll em “a ilha do tesouro
BRANDON DE WILDE
(1942 - 1972)

Estreou de forma consagradora nos palcos no retumbante sucesso Cruel Desengano / The Member of the Wedding. Repetiria em 1952 o mesmo personagem quando o diretor Fred Zinnemann o convidou para a versão cinematográfica da peça, mas foi George Stevens quem lhe deu o papel de sua vida, o do pequeno Joey, fascinado pelo misterioso pistoleiro interpretado por Alan Ladd no faroeste clássico Os Brutos Também Amam / Shane (1953). A atuação valeu-lhe uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Teve sua própria série na televisão, Jamie(1953-1954). Sem o êxito da infância, tentou a carreira musical, abortada ao morrer num trágico acidente de carro, aos 30 anos de idade.


de wilde em “os brutos também amam
CLAUDE JARMAN JR.
(n. em 1934)

Descoberto por um caçador de talentos, estreou com pé direito no poético Virtude Selvagem /The Yearling (1946), ao lado de Gregory Peck e Jane Wyman, numa atuação que recebeu críticas entusiasmadas, rendendo-lhe um Oscar Especial. Terminado o contrato com a Metro-Goldwyn-Mayer, fez filmes B na Republic Pictures e logo após a adolescência, desanimado, abandonou a profissão para trabalhar nos bastidores, como produtor executivo. Outro grande momento seu aconteceu no anti-racista O Mundo Não Perdoa / Intruder in the Dust, adaptação do romance de William Faulkner.



DEAN STOCKWELL
(n. em 1936)

Começou a atuar ainda criança, aos nove anos de idade, brilhando em Marujos do Amor / Anchors Aweigh (1945), O Menino dos Cabelos Verdes / The Boy With Green Hair (1948) e “Kim / idem” (1950). Muito popular devido ao ar de inocência e rosto de querubim com covinhas e olhos brilhando. Durante a adolescência ficou cinco anos sem filmar, retornando em 1956 e nunca mais parando, colecionando sucessos como Estranha Compulsão / Compulsion (1959), Filhos e Amantes / Sons and Lovers (1960) e Paris, Texas / idem(1984).

DICKIE MOORE
(1925 – 2015)

Estreou em 1927 com apenas 18 meses de idade como bebê François em Amor de Boêmio / The Beloved Rogue, ao lado de John Barrymore. Estrela infantil requisitada, foi o filho de Marlene Dietrich em A Vênus Loura / Blonde Venus, de 1932, e interpretou o papel-título de Oliver Twist / Idem, de 1933. No mesmo ano rodou O Paraíso de Um Homem / Man's Castle, ao lado de Spencer Tracy e Loreta Young. Esteve em A História de Louis Pasteur / The Story of Louis Pasteur (1936) e A Vida de Emile Zola / The Life of Emile Zola (1937), ambos de William Dieterle. Adolescente, continuou filmando, fazendo praticamente pontas em Sargento York / Sergeant York (1943), A Canção de Bernadette / The Song of Bernadette” (1943) e O Diabo Disse Não / Heaven Can Wait (1943), entre outros. Nos anos 1950 atuou com sucesso em séries de TV. Por fim, abandonou a carreira, dedicando-se a publicidade.

marlene dietrich e moore em “a vênus loura
ELIZABETH TAYLOR
(1932 - 2011)

Descoberta aos dez anos de idade, filmou a fracassada comédia There's One Born Every Minute (1942). Contratada pela Metro para uma pequeno participação em A Força do Coração / Lassie Come Home (1943), teve seu primeiro momento de glamour em A Mocidade é Assim Mesmo / National Velvet (1944), de Clarence Brown, ao lado de Mickey Rooney e de outro excelente ator tampinha, o sardento Jackie “Butch” Jenkins (1937-2001). Liz foi uma das raras crianças que se tornou super star quando adulta.

liz e roddy mcdowal em “a força do coração
FREDDIE BARTHOLOMEW
(1924 - 1992)

Um dos atores mirins mais famosos de todos os tempos, popular na década de 1930, protagonizou clássicos como David Copperfield / idem” (1935) e Marujos Intrépidos / Captains Courageous(1937). A beleza delicada, dicção refinada e olhar angelical fizeram dele um campeão de bilheteria. Criado por uma tia, enfrentou uma batalha nos tribunais com seus pais - que desejavam sua custódia e administrar sua fortuna - durante sete anos, resultando em problemas com a Metro-Goldwyn-Mayer e um enorme custo com advogados e despesas legais que abalou suas finanças. Ao exigir aumento de salário, foi castigado pelo estúdio, que deixou de se interessar por ele. Depois de alguns longas de baixa qualidade, abandonou a carreira, tornando-se na idade adulta produtor e diretor de programas de tevê.

bartholomew e douglas scott em lloyds de londres
JACKIE “BUTCH” JENKINS
(1937 - 2001)

Atuou em onze filmes entre 1943 e 1948, sendo os mais famosos A Comédia Humana / The Human Comedy, A Mocidade é Assim Mesmo / National Velvet, O Roseiral da Vida / Our Vines Have Tender Grapes e Meu Irmão Fala com Cavalos / My Brother Talks to Horses. Filho de uma atriz e contratado da Metro-Goldwyn-Mayer, carismático, talentoso, seus ganhos de infância foram bem investidos, deixando-o rico. Aos onze anos desenvolveu uma gagueira nervosa que nunca o abandonou. Sem poder atuar, montou próspera empresa de lavagem de carro.

JACKIE COOGAN
(1914 - 1984)

Descoberto por Charlie Chaplin, começou no cinema mudo, em 1917, aos três anos de idade. Lembrado por seu papel no clássico O Garoto / The Kid (1921) e pelo papel-título de Oliver Twist / idem (1922), dirigido por Frank Lloyd, foi o primeiro ator mirim a ter sua imagem fortemente comercializada (figurinhas, manteiga de amendoim, bonecos, discos, estatuetas e outros produtos). Famoso por seu corte de cabelo e o macacão velho que usava em cena, viajou pelo mundo, sendo recebido por multidões. Com o sucesso, arrecadou milhões de dólares, mas a fortuna desapareceu nas mãos da mãe e do padrasto. Coogan processou-os em 1938. Depois das despesas legais, recebeu $ 126.000 dos cerca de 250.000 dólares restantes. Anos depois, sem trabalho e enfrentando dificuldades financeiras, Chaplin lhe deu apoio. Após a Segunda Guerra, voltou a atuar como coadjuvante e em seriados de tevê, chamando a atenção como Tio Funéreo em A Família Addams, nos anos 1960.

chaplin e coogan em “o garoto
JACKIE COOPER
(1922 - 2011)

De uma família de artistas, indicado ao Oscar por Skippy / idem (1931), dirigido por seu tio Norman Taurog. Em O Campeão / The Champ (1931), atuou ao lado de Wallace Beery, destacando-se também em A Ilha do Tesouro / Treasure Island (1934), adaptação do clássico literário de Robert Louis Stevenson. Como aconteceu com diversas crianças que trabalharam no cinema, seu êxito findou-se com a chegada da adolescência. Adulto, participou de inúmeras séries e trabalhou como produtor de TV.

cooper em “skippy 
MARGARET O’BRIEN
(n. em 1937)

Aos quatro anos de idade atuou em Calouros na Broadway / Babes on Broadway(1941), assinando contrato com a Metro. Seu papel mais memorável foi a Tootie do musical Agora Seremos Felizes / Meet me in St. Louis (1944), com o qual ganhou um Oscar como Melhor Atriz Infantil. Brilhou também em Jane Eyre / idem (1943) e O Fantasma de Canterville / The Canterville Ghost (1944). A partir dos anos 1950, com a adolescência, a carreira declinou. Ainda fez algumas tentativas frustradas de reconquistar o sucesso, mas não funcionou. Segundo Vincente Minnelli, a excelente atriz era uma criança neurótica, com reações emocionais surpreendentes e assustadoras.

judy harland e margaret o'brien
em “agora seremos felizes
NATALIE WOOD
(1938 - 1981)

Rodou o primeiro filme quando tinha apenas cinco anos de idade. Em 1947 filmou De Ilusão Também se Vive / Miracle on 34th Street, considerado um clássico natalino. Muito ativa como atriz infantil, apareceu em mais de uma dezena de filmes, entre eles a sensacional comédiaO Fantasma Apaixonado / The Ghost and Mrs. Muir (1947). Em 1955, aos 17 anos, estrelou Juventude Transviada / Rebel Without a Cause, com James Dean e Sal Mineo, garantindo-lhe a primeira indicação ao Oscar e o seu desenvolvimento como atriz adulta. Suzanne Finstad, sua biógrafa, narrou que a atriz, ainda menor de idade, dormiu com o diretor do filme, Nicholas Ray, para conseguir o papel de protagonista.

REX THOMPSON
(n. em 1942)

Estreou no cinema no drama histórico A Rainha Virgem / The Young Bess (1953), de George Sidney, no papel do príncipe Edward. Carismático e com cara de bom menino, atuou com competência em Melodia Imortal / The Eddy Duchin Story (1956), O Rei e Eu / The King and I (1956) e Em Cada Coração Uma Saudade / All Mine to Give(1957), seu último filme, além de participar em várias séries de tevê. Desiludido com a profissão de ator, em 1966, aos 24 anos, largou a carreira.

thompson em  “a rainha virgem
RODDY McDOWALL
(1928 - 1998)

Com dez anos de idade atuou no seu primeiro filme, ainda na Inglaterra. Em Hollywood destacou-se no famoso drama Como Era Verde o Meu Vale /  How Green Was My Valley (1941), dirigido por John Ford, e em filmes como Minha Amiga Flicka / My Friend Flicka (1943), A Força do Coração / Lassie Come Home (1943) e As Chaves do Reino / The Keys of the Kingdom. Adulto, trabalhou em peças na Broadway, sem nunca deixar de filmar. Foi um dos primeiros atores a assumir abertamente a homossexualidade, confessando que ainda menino se relacionava sexualmente com colegas de profissão do mesmo sexo e bem mais velhos.

mcdowal em “a força do coração
SHIRLEY TEMPLE
(1928 - 2014)

Maior estrela infantil de todos os tempos, a menina dos cachinhos dourados estreou no cinema aos quatro anos de idade e teve sua imagem comercializada em produtos como bonecas, vestidos, canecas e bonés. Com um sorriso encantador e personalidade otimista, faturou milhões, salvando a 20th Century-Fox da falência e ganhando um Oscar Especial aos seis anos. Participou de filmes como A Mascote do Regimento / The Little Colonel (1935), Heidi / idem (1937) e O Pássaro Azul / The Blue Bird (1940). Depois de adulta, não teve o mesmo sorte e se aposentou do cinema em 1949, provando a carreira política e diplomática.



27 comentários:

Alexandre Santos disse...

Como sempre o blog surpreende com ótimas postagens como estas!Ótimo, gostei muito!

Edivaldo Martins disse...

Entre os PEQUENOS GRANDES ATORES, você citou DEAN STOCKWELL, que ainda está em atividade. Participou do grande filme VELUDO AZUL, DUBLANDO O FABULOSO ROY ORBISON, CANTANDO A MUSICA IN DREAMS - GENIAL. Dean filmou no Brasil, Jorge, um Brasileiro.

Luiz Santiago disse...

Deles eu tinha a lembrança do Coogan por conta de O Garoto, mas foi bom ver os outros indicados aqui.

renatocinema disse...

Muito bom sua homenagem a atores mirins.

Pena que alguns se perdem no meio do caminho.

Parabéns pela visita histórica ao cinema.

Marcelo C,M disse...

Quando eu estava lendo eu iria citar RODDY McDOWALL caso tivesse esquecido, mas como foi lembrado então tudo bem. Mas Linda Blar é uma que merece ser citada, mesmo não tendo sido uma parte dessa geração da era de ouro do cinema. Seu desempenho em O Exorcista ainda impressiona até hoje e é de se lamentar que não tenha ido além disso.

Kley disse...

Cresci assistindo Virtude Selvagem, um belo filme que sempre me marcou. Claude Jarman Jr. sempre foi muito carismático e merecia ter feito boa carreira nas telas.

Andreia Mandim disse...

Já conhecia algumas das curiosidades. Mas acho interessante este espaço que dá a conhecer um pouco mais das nossas estrelas para lá do ecrã.continuação do excelente trabalho.


Cumprimentos,
cinemaschallenge.blogspot.com

Jamil disse...

Nunca fui com a cara da Shirley Temple. Que menininha bizarra. Tenho certeza que ela não é normal. É só ver esse filme para constatar que é um robozinho. Achei ótimo o comentário de Minnelli, esses atores mirins forçados a trabalhar por mães ambiciosas são assim mesmo. O McDowall tinha um olhar de maluco, assim como o Stockwell quando adulto. A Natalie e a Liz se afogaram no álcool. O meu preferido é o Brandon de Wilde. Ótimo ator e belo. Merecia uma longa carreira.

Jamil disse...

Assisti Identidade Paranormal. O Meyers tá muito bom nesse filme pretensioso, que passou em branco porque filme de terror já era, não assusta mais ninguém. Só que mesmo vivendo um personagem complexo nesse filme, nota-se que ele não está bem emocionalmente, os seus olhos atraentes transmitem muita dor.

Andressa Vieira disse...

O Mayers é sem duvida meu ator da nova geração favorito. Sou louca pelas interpretações dele e como ele vai a extremos, como Henrique VIII, de The Tudors, e o músico apaixonado de August Rush. É uma pena que enfrente tantos problemas. Mas os melhores (quase) sempre enfrentam. Quanto ao Quiz, acho que vou deixar para uma próxima. Aquele está muito difícil para a minha imaturidade :(

disse...

Quanto aprendi com essa postagem! Realmente não conhecia alguns dos atores citados. Nem tinha me ligado que Roddy McDowall era o menininho de "Como era verde o meu vale". Pobre Jackie Coogan! O primeiro ator infantil de sucesso teve de pagar o pato ao ter sua fortuna desperdiçada por seus pais. Depois do caso dele surgiu uma lei que obrigava os pais a deixarem parte do dinheiro em uma poupança para o astro gastar quando crescesse.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Marcelo, é que não consigo ver Linda Blair como criança... Quantos anos ela tinha quando fez O EXORCISTA?

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Você é terrível, Jamil...rs... Que ácido... Mas confesso que também tenho verdadeira antipatia pela Shirley. Até hoje só consegui ver 3 filmes dela: O PÁSSARO AZUL, DESDE QUE VOCÊ PARTIU e FORTE APACHE. E nenhum deles por causa dela.

linezinha disse...

excelente post Antonio,acho que a Linda Blair na epoca do filme devia ter 14 anos.

GIANCARLO TOZZI disse...

Ninguém merece crianças como protagonistas de filmes.

pinguim disse...

Eu nunca fui muito fã de crianças prodígio.
Posso gostar aqui ou ali, mas raras vezes uma linda criancinha dá origem a uma grande estrela.
Na história mais recente do cinema, há dois nomes que gostaria de destacar: Jamie Bell, de Bill Elliot e principalmente Christian Bale, de O Império do Sol, que hoje são excelentes actores.

Luiz Carlos Freitas disse...

Amigo, fiquei fascinado por algumas coisas que descobri lendo esse artigo sobre os jovens talentos que cresceram. Não sabia que o "Garoto" do filme do Chaplin (Jackie Coogan) era o mesmo da Família Adams. Nem que o Roddy McDowall (o menino da Lassie) fez Planeta dos Macacos, O Destino de Poseidon e, principalmente, o caçador de vampiros de A Hora do Espanto (apesar de bobo, esse filme marcou demais a minha infância).

Parece bobo, mas me remeteu a filmes que me marcaram muito. Obrigado mesmo!

A propósito, também não sabia da homossexualidade do McDowall. Não sei se já escreveu a respeito, mas seria bem interessante um artigo sobre os grandes astros que assumiram abertamente sua sexualidade (até mesmo porque essas revelações de grandes nomes públicos tiveram um forte impacto na sociedade e ajudaram em muito os movimentos para discriminalização).

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Ótima idéia, Luiz. Aguarde postagem.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Pinguim, entre os novos tem muita gente bacana que deu certo - ou não. Por exemplo, a Jodie Foster que começou menina. Mas me limitei aos clássicos.

Marta Scarpa disse...

Por que deixou de lado Judy Garland e Mickey Rooney?

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Marta, só listei atores crianças. A Judy e o Rooney quando fizeram sucesso já eram adolescentes.

Daniele Moura disse...

Antonio,
outro destaque na carreira de Mag O'brien é Little Women(Quatro Destinos), ao lado de June Allison e Liz Taylor, que está passando agorinha no TCM(1:58min).
Outro filme dela de enlouquecer qualquer fã(como eu) é O Jardim Secreto(The Secret Garden).
Grande post. Grande blog!

Um abraço

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gosto muito de O JARDIM SECRETO, Dani. A Margaret realmente tá ótima nele. Nunca vi QUATRO DESTINOS, só conheço a versão de Cukor com Katharine Hepburn e Joan Bennett, e a mais recente com a Winona Ryder e a Susan Sarandon.
Beijos

annastesia disse...

Admito que não tenho muita paciência para atores mirins (e crianças em geral), mas não há como ficar impassível ao talento de Liz Taylor, Roddy McDowall e Natalie Wood.

Anônimo disse...

Que lindas as fotos! Esses atores,todos filhos do 'american way of life', tão saudosista pensar nesses filmes.
Quanto ao Rhys Meyers,que desperdício de beleza!

siby13 disse...

Delícia relembrar estas crianças lindas e talentosas.
Adorei.
Obrigada meu amigo :)

siby13 disse...

Delícia relembrar estas crianças lindas e talentosas.
Adorei.
Obrigada meu amigo :)